activa

Perfil

Celebridades

O que é o 'Waist Training', o segredo da cintura de vespa de Khloe Kardashian?

Para os que pensavam que os corpetes  eram coisa do passado, aí estão eles. O 'waist training' (treino de cintura) tornou-se tendência graças às irmãs Kardashian. Mas como actuam estas peças e o que fazem realmente ao corpo?

Activa.pt

As silhuetas em forma de ampulheta estão em alta, popularizadas por celebridades como Dita Von Tease, que faz do charme retro a sua cartilha de estilo, e pelas irmãs Kardashian. Mas é impossível não nos lembrarmos das fotografias vitorianas em que bisavós elegantes nos apareciam com a mesma cinturinha de vespa que Khloe exibiu ontem para os seus milhões de seguidores no Instagram. 





Na verdade, os corpetes nunca deixaram de ser usados, seja pelas fãs dos estilos retro e da clássica figura em forma de ampulheta ou por quem precisa mesmo deles por razões ortopédicas. 

Kim, Khloe e Kourtney andam há meses a apregoar as virtudes do 'waist training', o 'treino de cintura' feito com um corpete especial. Estas peças de modificação do corpo (porque é disso que o 'waist training' trata), feitas em materiais resistentes como o látex, prometem reduzir gradualmente a linha da cintura através do seu uso regular. Há quem os use diariamente, por períodos de 12 horas ou até dormindo com eles; outros apenas algumas vezes por semana. Marcas como a Waist Gang Society tornaram-se as preferidas das Kardashians.

Na prática, agem comprimindo as costelas, bem como o abdómen – o que faz com que se coma menos – para modificar a linha de cintura. Além disso, ainda fazem suar e perder alguma água na área abdominal, como relata a personal trainer Keara Palmay, que os experimentou e escreveu um artigo sobre o assunto, em janeiro deste ano, para o site da Fit Tv, 

Keara assumiu que, quando estava sentada, eles melhoravam a postura e que, à refeição, lhe davam vontade de comer menos sem ficar com fome depois. Mas o resto do tempo tornavam-se quase intoleráveis.

Juntamente com as costelas, o corpete também comprime os pulmões, tornando a respiração mais difícil, segundo Keara. Não era à toa que muitas senhoras desmaiavam nos tempos idos em que eles eram obrigatórios na indumentária feminina.

Além disso são desconfortáveis, pressionam e magoam as costelas, e por comprometerem a respiração ainda lhe deram a sensação de ser impossível relaxar. "Não perdi gordura, apenas a redistribuí. A pressão constante fez com que sentisse os músculos abdominais enfraquecer." 

Os médicos concordam com ela e avisam que o uso regular de corpetes demasiado apertados pode deslocar os órgãos internos, magoar as costelas, tornar o metabolismo mais lento, provocar dor abdominal e comprometer o funcionamento intestinal (provocando prisão de ventre, por exemplo). "Atirei-o para o lixo, claro", escreve Keara.

Muitas mulheres afirmam ter perdido vários centímetros de perímetro abdominal, reduzindo dramaticamente a cintura. Defendem ainda que o desconforto é apenas inicial; o corpo vai-se habituando à peça e ele acaba por desaparecer. Contra todos os detractores, Khloe também se mantém fiel e nem a sessão matinal de treino a impede de usar o seu, como afirma na legenda da sua foto – o que agora ainda parece mais desconfortável e perigoso.

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!