activa

s

Perfil

Celebridades

James Blunt revela que Carrie Fisher pode ter previsto a própria morte

O cantor e a atriz tinham uma amizade muito especial.

Rubina Mendes

Jan Hetfleisch

James Blunt falou da relação muito especial que tinha com a atriz Carrie Fisher, que faleceu no final de 2016, vítima de um ataque cardíaco.

Em entrevista ao 'The Sunday Times', o cantor britânico de 42 anos revelou que viveu na casa da eterna Princesa Leia de 'Star Wars' enquanto gravava seu primeiro álbum.

A amizade aparentemente aleatória começou quando Blunt disse a Fisher que estava a gravar o seu álbum de estreia em Los Angeles, e a atriz quis oferecer-lhe guarida.

"Era a minha mãe americana e uma verdadeira inspiração", afirmou.

O artista lembra-se de gravar o single 'Goodbye My Lover' com um piano na casa de banho da atriz - e da lendária Debbie Reynolds, que faleceu apenas um dia depois da filha, a evitá-lo a não ser que estivesse completamente maquilhada.

Debbie Reynolds e Carrie Fisher

Debbie Reynolds e Carrie Fisher

Ethan Miller

Blunt explicou que o nome do seu álbum de estreia em 2004, 'Back to Bedlam', foi influenciado pela experiência porque viveu "num manicómio com ela". Partilhou ainda que durante esse período, Carrie previu a própria morte.

"Ela colocou um recorte de papel de si mesma como Princesa Leia do lado de fora do meu quarto, com sua data de nascimento e a data da sua morte na testa", explicou. "Estou a tentar lembrar-me de qual era a data, porque era por esta altura, mas lembro de pensar que era muito cedo", continuou. "Ela partiu em grande, como nos tempos em que fazia filmes. Talvez tenha sido o melhor momento para ir."

Os dois continuaram amigos depois de Blunt se ter mudado. Aliás, a estrela de Hollywood é madrinha de batismo do seu único filho, a quem deu as boas-vindas no verão de 2016.

"O mais triste é que o meu filho nunca vai conhecer alguém que considerava ser muito especial", lamentou.

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!