activa

Perfil

Celebridades

Sheryl Crow admite que é uma mãe "muito croma"

A cantora é mãe solteira de dois rapazes aos 55 anos e diz que adotá-los foi a melhor decisão que já tomou.

Sara Santos

Handout

Desde que Sheryl Crow se tornou mãe, a sua vida mudou completamente e, segundo a própria, as coisas não podiam estar a correr melhor.

Em entrevista à 'PEOPLE', a cantora disse que a maior bênção da sua vida é a maternidade.

"Adotar os meus meninos foi a maior decisão eterna que eu tomei e que mudou tudo para melhor", contou.

A estrela, que foi diagnosticada com cancro da mama há mais de dez anos, diz que a doença a ajudou a mudar a sua vida e a definir novos rumos.

"Acho que me obrigou a reavaliar a minha vida e a estabelecer mudanças relativamente à forma como vivia", explicou.

Uma dessas mudanças foi o foco na família. Crow adotou dois meninos, Wyatt, 9, e Levi, 6, em 2007 e 2010, respetivamente. Depois de promover o álbum 'Feels Like Home', em 2013, Sheryl percebeu que não podia estar longe das crianças.

"Eu não queria passar mais noites fora de casa", continuou. "Quando tens filhos, as tuas prioridades mudam. Eu percebi que consistência é a coisa mais importante".

Handout

A vencedora de nove prémios Grammy voltou para Nashville de forma a poder acompanhar o crescimento dos meninos e criar uma rotina com eles.

"Eu sou uma mãe muito croma! No caminho para a escola, ouvimos rádio e eu estou sempre a cantar e a dançar The Chainsmokers. Os meus filhos dizem logo 'Mãe, para de dançar'!", revelou.

Mas a vontade de fazer música não desapareceu e Sheryl está a preparar um novo álbum, que será lançado no final de abril.

"Aquele luxo de ir tomar um copo com os meus amigos não existe mais. Eu gravei um disco, mas só durante as horas de escola dos miúdos", disse. "Sabe muito bem estar todos os dias em casa para jantar".

Os filhos da cantora, que esta prefere não mostrar nas redes sociais, foram a sua maior inspiração na criação deste álbum.

"Eu sou muito protetora em relação a eles e não quero que percam aquela inocência própria das crianças", confessou a artista, que escreveu as novas músicas 'Be Myself' e 'Roller Skate' a pensar na dependência da sociedade das novas tecnologias e das redes sociais. "Eles não têm iPhones, não têm televisão nos quartos e nós temos uma regra: só 30 minutos à frente de um ecrã, seja televisão ou iPad".

Com a sua vida pessoal em harmonia, a cantora vai dar início à sua última digressão, mas com os filhos por perto.

"No final do dia, eu sei que o melhor do mundo é a família. Sinto-me muito abençoada", contou.

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!