activa

Perfil

Celebridades

Modelo protesta em nome da saúde mental durante desfile da Gucci

Com as mãos levantadas, passou uma mensagem forte.

Activa.pt

Ayesha Jones

Ayesha Jones

Em fevereiro de 2019, a Gucci via-se envolvida numa grande polémica, graças ao lançamento de uma camisola preta de gola alta - até à zona da boca - que continha o recorte de uns lábios grossos. Foram acusados de racismo, pela semelhança da peça à blackface, prática na qual as pessoas negras eram ridicularizadas para o entretenimento dos caucasianos. Agora, surge uma nova questão.

A modelo Ayesha Tan Jones protagonizou um "protesto pacífico", durante um desfile da marca. Tudo porque as peças que vestia, tal como as restantes modelo, eram inspiradas nos coletes-de-forças e uniformes, algo que diz ser "símbolo de uma altura cruel da medicina, quando as doenças mentais não eram entendidas, os direitos dos doentes eram-lhes retirados e eram abusados e torturados em instituições".

De mãos levantadas, a modelo deixava ler a frase "A saúde mental não é moda". Após as declarações de Tan Jones, a marca referiu que as peças não iriam ser comercializadas. A modelo, por sua vez, deixou o público saber que, junto com alguns colegas, planeava doar parte do pagamento pelo trabalho a algumas instituições associadas à saúde mental.

"Quero usar esta oportunidade para relembrar as pessoas que este tipo de coragem é um simples gesto comparado com a daqueles com problemas de saúde mental. Ter a coragem de sair da cama, de abraçar um novo dia e viver as suas vidas é um ato de coragem e eu quero agradecer-vos por estarem aqui e serem vocês!", escreveu ainda, no Instagram.

Instagram

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!