activa

Perfil

Estilo de Vida

As barbas abrigam "significativamente" mais micróbios que o pelo de um cão

De acordo com um novo estudo.

Activa.pt

Anchiy

Dizem que a barba é a maquilhagem dos homens, sendo esta uma característica que chama a atenção do sexo oposto. Contudo, aquilo que ela pode esconder não é assim tão atraente.

Uma investigação recente, publicada na revista científica European Radiology, mostra que a barba no rosto de um homem comum pode esconder quantidades "significativamente mais altas" de bactérias do que aquelas encontradas no pelo de um cão.

O trabalho comparou amostras de bactérias de 18 homens barbudos, com idades compreendidas entre os 18 e os 76 anos, com as de 30 raças caninas, incluindo Pastores-Alemães, Dachshunds (também conhecidos como 'Salsichas') e Border Collies.

"Com base nos resultados, os cães podem ser considerados 'limpos', quando comparados com homens barbudos," dizem os autores.

As pequenas porções bacterianas foram recolhidas de pelos faciais humanos e de pescoços caninos, entre as omoplatas, uma área que os veterinários dizer ser a menos higiénica, porque está altamente suscetível a infeções de pele em cães.

"As barbas dos homens abrigam significativamente mais micróbios do que a pele do pescoço dos cães, e esses micróbios eram significativamente mais patogénicos para os seres humanos."

Giphy

O ponto de partida para esta investigação está relacionado com os scanners de ressonância magnética usados em clínicas veterinárias. Os autores dizem que, originalmente, estavam a tentar determinar se cães e humanos podiam usar os mesmos aparelhos. No final das contas, determinaram que "os cães não representam qualquer risco para os humanos se usarem o mesmo scanner de ressonância magnética."

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!