activa

Perfil

Estilo de Vida

Filme da Semana: "Toy Story 4" faz as delícias de miúdos e graúdos

Woody e Buzz estão de volta num novo filme de animação da Disney e da Pixar que funciona como o fechar de um ciclo.

Cláudia Sérgio

"Toy Story 4" chega aos cinemas esta quinta-feira, dia 27, mas a Activa já teve a oportunidade de assistir ao filme e conta-lhe as emoções que pode esperar. Sem spoilers!

Foi em 1995 que o mundo ficou a conhecer Woody e Buzz Lightyear, dois brinquedos muito especiais para Andy. Cerca de 24 anos depois desta estreia, a Disney e a Pixar parecem ter encerrado uma saga que cresceu com muitos fãs e acabou por ganhar novos admiradores ao longo do tempo.

No quarto filme de "Toy Story", vemos os brinquedos a viverem uma nova aventura, desta vez com a pequena Bonnie, uma menina cheia de imaginação. No primeiro dia de escola, Bonnie cria Garfy através de material que tinha como destino o lixo. A ligação da menina com este novo brinquedo manufacturado é tão forte que Woody sente o dever de fazer com que os dois estejam sempre juntos. Mesmo que isso implique colocar-se em risco.

O reencontro com as personagens antigas é sempre nostálgico, ainda mais quando algumas destes figuras eram tidas como perdidas. É o caso da boneca Bo Peep, a pastorinha do candeeiro que sempre surgiu como sugestão de interesse romântico de Woody. Depois de não ter aparecido no terceiro filme da saga, o que levantou algumas questões aos fãs, esta personagem surge com uma nova força e importância. Bo dá uma nova dinâmica à história e revela-se uma figura feminina forte, independente e dotada de um grande coração.

Mas também surgem figuras novas que conseguem conquistar. Garfy é alto tosto e ingénuo, características que funcionam no elemento cómico da história. Contudo, os momentos em que as gargalhadas saem mais facilmente são os que estão relacionados com a "voz interior" de Buzz ou com as divagações da dupla de peluches Ducky e Bunny.

Nesta trama, é curioso ver o que os argumentistas fizeram com uma das principais forças opositoras a Woody. Ao longo da narrativa, percebemos que é o ambiente e o que está oculto que mais assusta, uma vez que assim que a comunicação sincera surge tudo é colocado em perspetiva. Surge a lição de que devemos comunicar o que sentimos e desejados e que não devemos temer pedir ajuda.

Ao longo dos 100 minutos de duração do filme, encontramos uma história que tem mensagens importantes para miúdos e graúdos. Os mais novos vão ficar sensibilizados com a importância de cuidar dos seus pertences, de serem criativos. Além disso, os valores da amizade, família e lealdade voltam a ser muito fortes. Os adultos vão recordar que nunca é tarde para agarrar uma nova aventura e que a vida pode sempre trazer o que é correto na altura certa. Resta-nos termos a coragem para agarrar estas oportunidades.

Uma conclusão divertida para toda a família, e que vai provocar fortes emoções para os fãs deste grupo de brinquedos de criança. Sim, no final as lágrimas podem cair.

DR