activa

Perfil

Filhos

Por que as crianças doentes pioram à noite?

É da cabeça dos pais – porque estamos cansados e a nossa capacidade para lidar com as adversidades é menor – ou é mesmo verdade que os sintomas das doenças se agravam à noite? Fomos falar com o pediatra Hugo Rodrigues, que nos disse toda a verdade.

Gisela Henriques

Quem tem filhos já sabe que as preocupações sobem de nível à noite quando eles adoecem. Parece que mal põem a cabeça na almofada, quando nós estamos preparados para desacelerar um pouco, os sintomas pioram. Calma, eles não o fazem de propósito, é mesmo assim, há certas maleitas cujos sintomas ficam mais exacerbados durante o período noturno. Hugo Rodrigues, pediatra do Hospital de Viana do Castelo e autor do livro ‘Pediatra para Todos’, da Verso de Kapa, explica-nos por que isso acontece e o que podemos fazer para lhes tornar as noites mais serenas.

FEBRE
Por que é pior à noite: Se se der ao trabalho de tirar a temperatura ao longo do dia, vai verificar que esta varia e sobe um pouco ao fim da tarde e à noite. A razão disso acontecer tem a ver com o arrefecimento noturno e o facto de o nosso organismo tentar compensar essa descida de temperatura exterior, ‘aquecendo’ um pouco. Ora, se tivermos febre é de esperar também que à noite esta seja mais elevada porque naturalmente a nossa temperatura corporal também é mais elevada à noite. “Até é normal que ao fim de 3-4 dias de febre esta voltar no final do quarto dia só à noite e depois não voltar mais, por isso mesmo, porque a temperatura normal sobe sempre um bocadinho à noite”, revela Hugo Rodrigues.

O que os pais podem fazer: “Lá porque a febre é mais alta à noite não quer dizer obrigatoriamente que a situação é mais grave. Os pais têm de ser alertados que a temperatura normalmente sobe à noite e que vai ter intervalos mais curtos, por isso devem evitar o sobreaquecimento. Não é para apanharem frio, mas não se deve abafar os meninos porque isso aumenta a temperatura e as manifestações da febre”, aconselha o pediatra.
Não dê medicamentos como prevenção, só se tiver sintomas. “Se estiver com febre mas está a dormir, se calhar não vale a pena acordá-lo para lhe dar o medicamento, é sinal que está confortável. E a temperatura não sobe indefinidamente se não lhe dermos medicação.”
No primeiro ano de vida, quando a temperatura é retal, só acima dos 38 graus é que se deve dar um antipirético. Para os mais velhos, pode medicar se a temperatura axilar estiver acima dos 37,5ºC e sobretudo se eles estiverem muito diferentes do habitual, mais murchinhos.
Além de medicar, pode arranjar uma toalha humedecida com água à temperatura ambiente para arrefecer o corpo, “mas só vale a pena fazer isso quando as crianças estão na fase natural de descida de temperatura, porque na fase da subida o organismo está a tentar conservar calor (quando tremem, têm os lábios roxos ficam com as mãos geladas). Por isso, se nós forçarmos a baixa de temperatura, estamos apenas a aumentar o desconforto. Só vale a pena quando a febre já está a descer, quando estão vermelhos, transpirados e quentes, é quando o organismo está a libertar calor para o exterior e nós vamos acelerar aquilo que o organismo está a fazer naturalmente”, explica Hugo Rodrigues.

Efeitos não imediatos:
Não espere que os antipiréticos façam efeito instantaneamente, na maior parte das vezes, quer o xarope quer o supositório, demora cerca de 30min a 1h a fazer efeito e só desce cerca de 1-1,5ºC. “É importante também que os pais saibam que a temperatura pode subir mais um pouco antes de começar a descer. Uma criança que tenha 38ºC, por exemplo, e que tome medicação pode, passado uma hora, ter 39 graus. A temperatura poderá ter subido entretanto e ter chegado aos 40ºC e com o efeito da medicação ter descido até
aos 39ºC. E os pais pensam que afinal o medicamento não fez efeito nenhum.”

DORES NOS OUVIDOS
Por que é pior à noite: “Tem a ver com a almofada e com a posição em que se apoia a cabeça, que aumenta a temperatura no ouvido. Se estiver inflamado, o calor vai aumentar a circulação do sangue e a produção das substâncias que provocam dor. Por isso é que as crianças se queixam mais”, diz o pediatra.

O que os pais podem fazer: Neste caso não há muito a fazer, tem mesmo de dar a medicação para as dores e tratar da causa. Como tem a ver com o calor localizado a prevenção torna-se difícil.

ASMA OU ALERGIAS RESPIRATÓRIAS
Por que é pior à noite: A principal causa de alergias é o pó e os ácaros e estes acumulam-se na roupa da cama, por isso os sintomas são mais frequentes à noite. A descida noturna da temperatura também pode favorecer a dificuldade respiratória numa criança asmática.

O que os pais podem fazer: Retirar peluches e todas as tralhas do quarto, usar lençóis de algodão – evitar os de flanelas ou térmicos que acumulam mais pó – , embora haja um limite para o que pode limpar…. pó existe sempre, mesmo que se tenha muito cuidado. “Nos meninos que são asmáticos e que andam já a chocar uma crise, provavelmente será boa ideia reforçar a medicação preventiva”, aconselha o pediatra.


TOSSE SECA OU COM EXPETORAÇÃO
Por que é pior à noite: “A maior parte das vezes as crianças tossem porque têm secreções no nariz e quando estão deitadas estas escorregam para trás e acabam por se acumular nas vias respiratórias, o que faz com que tussam para as limpar.”

O que os pais podem fazer: Elevar a cabeceira da cama, lavar bem o nariz com soro fisiológico ou com água do mar e aspirar antes de dormir. “Há que lembrar que os bebés pequeninos e as crianças que usam chupeta durante a noite só respiram pelo nariz. Quando têm secreções, que podem não ser visíveis e não saírem, acumulam-se na parte posterior e andam ali para cima e para baixo até fazerem depois barulho ao respirar. Por isso, lavar bem o nariz antes de ir dormir é muito importante”, lembra este especialista em saúde infantil.


NARIZ ENTUPIDO
Por que é pior à noite: A posição horizontal não é muito ‘amiga’ de nariz entupido porque as secreções não ‘descem’ e fica mais difícil respirar.

O que os pais podem fazer: Dê-lhes muitos líquidos durante o dia, para hidratar. Antes de deitar lave o nariz com soro ou água do mar para fluidificar o muco. Use o aspirador nasal se forem muito pequeninos e não conseguirem assoar-se sozinhos. Eleve ainda a cabeceira da cama com uma almofada ou uma manta que não use, um livro...


COMICHÃO
Por que é pior à noite: Acontece o mesmo que com as dores de ouvidos, o calor agrava a inflamação, aumenta a circulação de sangue e a produção das substâncias inflamatórias e uma das manifestações é a comichão.

O que os pais podem fazer: Se a criança tiver eczema, os pais podem massajar com um creme indicado. Aconselhe-se com o pediatra “porque se a criança for muito alérgica e tiver a pele muito fragilizada até os produtos à base de aveia podem agravar o quadro. O ideal é reforçar a dose do anti-histamínico e até há medicamentos que só se dá uma vez por dia – geralmente antes de ir dormir – para terem um pico de ação durante a noite e diminuir o desconforto e a inflamação.”


VÓMITOS
Por que é pior à noite: Não é pior, parece pior porque os pais estão mais cansados e ter de mudar pijama, de lençóis, e às vezes lavar o chão a meio da noite parece uma tarefa hercúlea. “Os vómitos pioram com a alimentação, não por ser noite. Exceto em situações muito raras que têm causa cerebral, como uma meningite ou um tumor que pioram com a posição deitada. Agora se for a situação mais comum, como as gastroenterites ou as situações víricas do estômago e intestinos, estas geralmente pioram com a alimentação” assegura Hugo Rodrigues.

O que os pais podem fazer: Os conselhos mais importantes são: hidratar bem, com soros de hidratação oral à venda nas farmácias que repõem os iões, minerais e o açúcar necessário de uma forma equilibrada. “Dê de forma faseada, uma colher de chá de 5 em 5 ou 10 em 10 minutos. Além disso é muito importante respeitar o menor apetite das crianças porque se forçar elas vão acabar por vomitar ainda mais. À noite, penso que este conselho é ainda mais importante, porque com a posição de deitado é mais fácil que um estômago cheio deixe ‘escapar’ algum do seu conteúdo.”

KIT DE PRIMEIROS SOCORROS:
Para a febre:
• O paracetamol e o ibuprofeno, seja em xarope ou supositório. É indiferente, os dois são eficazes. Se tiver vómitos é melhor o supositório, se tiver diarreia é melhor o xarope, por exemplo.
• Um anti- -histamínico, porque serve para a comichão, para picadas de insetos e para secar um bocadinho as secreções do nariz.

Para o nariz entupido:
• Água do mar, soro fisiológico e um aspirador nasal.

Na sua despensa:
• Água, soros de hidratação oral, cenouras, maçãs e peras para cozer, frango para canja, arroz branco.