activa

Perfil

Moda

A inspiração militar de Ricardo Preto chega a Viena

Depois de no ano passado apresentar a marca Mean na Semana de Moda Viena, o designer repete a experiência desta vez com a sua colecção de autor.

Activa.pt

1 / 7

2 / 7

3 / 7

4 / 7

5 / 7

6 / 7

7 / 7

A primeira linha de Ricardo Preto chegou à Semana de Moda de Viena. “Cotemporary Warriors” é o tema da colecção com propostas para a próxima primavera/verão. As fardas militares fundem-se com os tradicionais lenços de viana numa colecção que tem como inspiração o “mundo inteiro”, como o próprio descreve. De Portugal chegaram os grandes lenços com franjas. “A ideia começou pelos lenços do Minho, porque estou a trabalhar com fadistas como a Ana Moura e a Deolinda. Fui ao Minho e queria mandar fazer lenços gigantes com franjas de seda e não consegui porque só bordavam em algodão e eu queria em seda. Por isso, tive que encomendar de Manila, Filipinas”.

Os conflitos mundiais foram outro dos pontos de partida . “O momento que vivemos no mundo, tudo o que se está a passar com os árabes, com toda a Asia, com todos estes problemas de guerra que não têm qualquer sentido no século XXI”, explica Ricardo Preto. Por isso decidiu camuflar esta colecção com uma forte inspiração militar, com casacos do exército alemão, belga, inglês e português. Pela passerelle desfilaram casacos em tons de verde tropa, caqui, com bolsos salientes. Por entre estas peças surgiam alguns coordenados mais delicados, em saias e vestidos em seda.

As mulheres que o rodeiam continuam a ser uma das maiores fontes de inspiração e um elemento crucial em todo o processo criativo. “Andava a sentir as minhas colecções um pouco pesadas e sentia isso no meu ateliê, quando tinha pessoas tinha clientes mais jovens”, conta. De forma a vestir mães e filhas, o designer criou a pensar em algo “jovem, descontraído e sofisticado”.

Há 8 anos a apresentar as colecções no Portugal Fashion Ricardo Preto já conseguiu tornar a marca sustentável no mercado português. “Estou muito satisfeito, já consigo ter uma vida só daquilo que faço. Não tenho que fazer produções de moda e vitrines, às vezes faço porque é um gosto e um desafio. A minha marca já se sustenta a si própria, neste momento o dinheiro que faço numa colecção já passa para a outra”, explica Ricardo.

O próximo passo é abrir uma loja em Portugal, um objectivo que está próximo de se realizar. “Já apareceram investidores. Talvez abra no próximo verão já com esta colecção”, adianta.

Internacionalmente o caminho continua a ser construído. O ano passado apresentou pela primeira vez na Semana de Moda de Viena e, desta vez, já veio com o convite feito pela organização. “Foi uma semente que deu frutos. O ano passado trouxe a Mean e o próprio showroom de vendas disse que tínhamos compradores para a primeira linha. Nesta edição o  convite voltou a surgir a pedido do gabinete de showroom e já trago a primeira linha”, explicou. 

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!