activa

Perfil

Moda

Morreu Hubert de Givenchy

O estilista francês icónico tinha 91 anos.

Activa.pt

O mundo da moda perdeu um gigante - no sentido figurado e literal da palavra. Hubert James Marcel Taffin de Givenchy, o aristocrata francês de 1,98m que fundou a casa Givenchy, morreu aos 91 anos.

O seu companheiro, o antigo designer de alta-costura Philippe Venet, deu a notícia através de um comunicado, avançando que Hurbert faleceu durante o sono. O casal vivia num chalé renascentista perto de Paris.

"É com grande tristeza que informamos que Hubert Taffin de Givenchy morreu. Os sobrinhos e sobrinhas partilham a dor do Sr. Venet", lê-se no texto.

A amizade de Givenchy com Audrey Hepburn, que conheceu nas gravações de 'Sabrina' em 1953, ajudou a transformá-lo numa lenda. Aliás, os fatos com colarinhos estreitos e vestidos de lã que criou para a estrela de 'Cinderela em Paris' e 'Como Roubar Um Milhão' fizeram de ambos verdadeiros ícones de estilo. Isto para não falar no vestido preto que desenhou para as primeiras cenas de 'Boneca de Luxo', que é possivelmente o little black dress mais famoso de sempre - apesar de Coco Chanel ser creditada pela invenção da peça.

Jacqueline Kennedy, antiga primeira-dama norte-americana admirada em todo o mundo pelo seu estilo, também deu preferência à estética da marca durante os seus anos na Casa Branca. Em 1961, durante uma visita de estado a França, fez uma entrada inesquecível ao usar um vestido de seda Givenchy no Palácio de Versalhes.

"Hubert de Givenchy foi um símbolo da elegância parisiense durante mais de meio século. Ele foi o primeiro criador a lançar uma linha de pronto-a-vestir de luxo. Revolucionou a moda internacional ao criar looks intemporais para Audrey Hepburn, sua amiga e musa durante mais de 40 anos", comentou a maison sobre o desaparecimento do seu fundador.

O conde abriu a sua primeira casa de moda em Paris, em 1952. O negócio foi comprado pela LVMH, a maior empresa de artigos de luxo do mundo, em 1989 mas desenhou para a marca até à sua reforma, em 1995. Foi sucedido pelo controverso designer John Galliano, que ocupou o cargo por menos de um ano, antes de dar lugar a Alexander McQueen e, posteriormente, a Julien Macdonald.
A marca esteve sob o comando de Riccardo Tisci, que tem nas Kardashians algumas das suas maiores fãs, até muito recentemente. Entretanto, Tisci deixou a marca para substituir Christopher Bailey como Diretor Criativo da Burberry.

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!