activa

Perfil

Saúde e Beleza

Alternativas de saúde: medicinas naturais

As medicinas naturais são um complemento terapêutico à medicina convencional. Não curam sintomas: tratam as causas das doenças, enquanto promovem a saúde e o bem-estar total

Cristina Tavares Correia/ACTIVA

'As pessoas andam fartas da sobrecarga de medicamentos a que estão sujeitas e procuram outras maneiras de se tratarem, sem ser necessária medicação que esconda os problemas ou as faça andar mais bem-dispostas', quem o diz é a naturopata Ana Marques. A maioria das terapias alternativas à medicina convencional procura um regresso à Natureza, às plantas, alimentos, produtos naturais ou ao toque como terapia. Têm uma visão holística do corpo, vêm-no como um todo: quando uma das suas partes adoece, todo o corpo é afectado, por isso nos tratamentos procura-se o equilíbrio total das energias do corpo e não apenas de uma das suas partes. Fomos conhecer as mais importantes.

Massagem Shiatsu
Indicada para:
Aliviar o stresse, dores de cabeça e musculares, dores nas costas, depressão, dores menstruais, lesões desportivas e problemas nas articulações. Também é usada para melhorar a função respiratória, asma e enxaquecas.

Em que consiste: A técnica é japonesa e a palavra quer dizer exactamente 'pressão dos dedos'. Essa pressão é usada para equilibrar o Ki a energia vital do ser humano de que falam os Orientais. Este tipo de massagem procura equilibrar essa mesma energia através da pressão de certos pontos nos meridianos do corpo, que liberta bloqueios energéticos. A manipulação incluiu o toque leve, a pressão com as palmas das mãos, dedos, cotovelos, joelhos e até com os pés. Pernas e braços sofrem gentis rotações ou são esticados com suavidade. 'Todos nós estamos receptivos ao toque e há mesmo pessoas que se 'soltam' durante as sessões e começam a chorar', explica Luís Câmara, terapeuta na Botica da Saúde.

É contra-indicada em: Hérnias, tumores sanguíneos, hipertensão arterial, febre alta, doenças contagiosas.

Preços: As sessões duram 45 min./1 hora e custam entre €30 e €50. Na primeira visita, como há uma consulta seguida da massagem, sobe para €60/€80.

Contactos: Porto: Centro de Massagem e Recuperação Oriental, tels.: 223700721/223705039; Lisboa: Botica da Saúde (Galerias Twin Towers), tel.: 210050060.

Osteopatia
Indicada para:
Quem sofre de dores musculares nas costas, pescoço, ombros, braços ou pernas, bem como enxaquecas, torcicolos, entorses, stresse, irritabilidade, ciática e lombalgias. É excelente para melhorar a postura.
Alguns estudos demonstram que a osteopatia tem uma eficácia tão grande como os medicamentos alopáticos no alívio das dores de cabeça e enxaquecas com origem em problemas de coluna.

Em que consiste: É uma técnica de manipulação do sistema muscular e esquelético. Desenvolveu-se depois de 1874, quando o médico norte-americano Andrew Taylor Still percebeu que as alterações no sistema músculo-esquelético se reflectiam na saúde do resto do corpo. Lidamos com as nossas emoções contraindo e distendendo os músculos. Quando as tensões que aí se acumulam não são libertadas, a rigidez muscular provoca dores e incide negativamente sobre os ossos, as articulações, a postura e o equilíbrio de todo o corpo. Os osteopatas usam apenas as mãos para manipular suavemente as articulações e os músculos.

É contra-indicada em: Fracturas, artrite reumatóide, espondilite anquilosante, lúpus, insuficiências circulatórias localizadas, hérnia discal extrusada, osteoporose, tuberculose, acidentes vasculares cerebrais e tumores ósseos malignos.

Preços: Variam entre €25 e €60.

Contactos: Federção Portuguesa de Osteopatas, tels.: 213941511/2/3

Homeopatia
Indicada para:
'Reduzir a frequência de enxaquecas, gripe, constipações, alergias sazonais e asma', refere um estudo sobre homeopatia, publicado no jornal médico 'The Lancet'. Infecções respiratórias, cólicas, diarreias, reumatismo, problemas na menstruação, depressão, insónia e todo o tipo de dores também podem ser tratados.

Em que consiste: Foi inventada pelo médico alemão Samuel Hahnemenn, por volta de 1780, desiludido com os métodos de cura bárbaros da sua época. A homeopatia (que quer dizer 'doença semelhante') assenta em dois princípios básicos: o da similitude, que diz que o que provoca uma doença também a cura. Assim, é preciso dar a um doente um remédio que, se fosse dado a alguém saudável, lhe provocaria sintomas dessa doença. O outro princípio é o da diluição infinitesimal: uma substância será mais eficaz quanto mais diluída for (em água ou álcool). Os remédios homeopáticos são sempre de origem vegetal, animal ou mineral.

Como actuam os remédios: O nosso corpo reage à substância produzindo anticorpos que combatem as infecções e fortalecendo o sistema imunológico. Os remédios apresentam-se em forma de pequenos grãos, líquido ou cápsulas. Não causam alergias, efeitos secundários ou habituação. Podem ser preparados em algumas farmácias comuns ou homeopáticas. Podem ser tomados com os medicamentos da medicina convencional. 'A homeopatia e a medicina alopática são complementares', esclarece o Prof. António Novaes, vice-presidente da Associação Portuguesa de Homeopatia.

É contra-indicada em: Não há contra--indicações, até os animais podem usá-la.

Preços: Nunca mais de €74 por consulta. Os preços são tabelados.

Contactos: Associação Portuguesa de Homeopatia, tel.: 214176829.

Hipnoterapia
Indicada para:
Tratar fobias, ansiedade, stresse, problemas emocionais diversos, cólon irritável, problemas de auto-estima, insónias, para deixar de fumar, de gaguejar, fazer preparação para o parto e problemas sexuais. Algumas pesquisas mostram que a hipnose pode ser eficiente no tratamento da dor e até pode acelerar o processo de cura.

Em que consiste: Há quase 200 anos que se pratica clinicamente. O objectivo é o relaxamento do corpo e da mente para o paciente entrar em transe estado alterado, mas focalizado, de consciência. Durante o transe, que tem vários graus de profundidade, o paciente é sugestionado pelo terapeuta. A matéria-prima é o subconsciente, que o terapeuta tenta 'reprogramar' de modo a solucionar bloqueios ou a alterar comportamentos nocivos. É essencial que a relação com o terapeuta seja muito boa. No final, ele deve contar-lhe o que foi aprofundado durante o transe.

Dica: Peça ao hipnoterapeuta licença para gravar a sessão. Averigúe se ele tem formação em psicologia ou psiquiatria; certo tipo de problemas só devem ser tratado por terapeutas com formação nestas áreas.
É contra-indicada em: Psicoses, epilepsia, tendências suicidas, perturbações da personalidade, casos de tensão muito baixa e doenças cerebrais orgânicas.

Preços: €75/€80 (1.ª consulta); €60/€65, as restantes.

Contactos: Consulte a lista de hipnoterapeutas certificados pelo London College of Clinical Hypnosis no sítio www.hipnose.net.

Apiterapia
Indicada para:
Problemas digestivos, como úlceras e distúrbios intestinais, doenças de pele eczema, acne ou psoríase, dores musculares, ciática, artrite, reumatismo e até na esclerose múltipla. 'Não cura, mas melhora a qualidade de vida destes doentes, porque diminui os surtos da doença', esclarece António Couto, fundador da Associação Portuguesa de Apiterapia e da Beefine, o seu consultório e loja de produtos apícolas.

Em que consiste: A apiterapia usa os 10 produtos das abelhas para curar ou aliviar doenças e estados de dor: mel, cera, pólen, pão de abelhas, larvas de zangão, própolis, geleia real, mel de melato, apitoxina (veneno de abelha) e as próprias abelhas. Dependendo do organismo e da doença, a terapia através da picada de abelha requer uma sessão semanal. O número de picadas varia entre 1 e 40; não são dolorosas, mas provocam desconforto. 'Há 5000 anos que as abelhas e os seus produtos são usadas na China como terapia', garante-nos. Como terapia, só apareceu há 120 anos, pela mão de um médico austríaco. 'A maior parte dos apiterapeutas são médicos. É mais conhecida na Alemanha, no Brasil e Japão. Em Espanha já se pratica há 25 anos', diz António Couto.

É contra-indicada em: Doenças no fígado, anemia, úlceras, tuberculose, cardíacos, diabéticos, intolerância ao pólen e mel, períodos pré ou pós-operatórios, durante a menstruação, a doentes psíquicos ou renais. A apitoxina é contra-indicada a quem é alérgico ao veneno de abelha, mas é feito um teste de reacção alérgica.

Preços: €50 por consulta.

Contactos: Beefine, R. do Guarda-mor, 37, Santos-o-Velho, Lisboa, tels.: 213928290/938025330. Sítio: www.beefine.com.

Reflexologia
Indicada para:
Aliviar o stresse, a depressão e a ansiedade e para promover o bem-estar.

Em que consiste: A terapia nasceu na China há 5000 anos e, como na acupunctura, acredita--se que o corpo é percorrido por meridianos de energia que têm nas mãos e nos pés as suas terminações. Cada órgão tem, assim, um ponto correspondente nos pés e nas mãos e, quando os pressionamos, libertamos os bloqueios energéticos responsáveis pela doença. Não é doloroso, mas pode causar desconforto, já que irão ser pressionadas e massajadas vigorosamente as áreas mais debilitadas. Isto leva o corpo a libertar endorfina, uma substância que actua como analgésico natural do nosso organismo. O terapeuta Luís Câmara garante que em reflexologia nenhum terapeuta sério se arrisca a fazer diagnósticos. 'Não dizemos à pessoa que, por lhe doer naquela parte do pé, está com um problema de estômago.' A reflexologia tem a vantagem de poder ser auto-aplicada.

É contra-indicada em: Não existem contra-indicações.

Preços: Uma sessão custa €30 a €50 e dura, em média, 45 min.

Contactos: Porto: Associação Portuguesa de Reflexologia, tel.: 226000679; Maia: Centro de Terapia e Recuperação Oriental, tel.: 229481004; Lisboa: Clínica do Bem-Estar, tel.: 217246029.

Naturopatia
Indicada para:
Problemas respiratórios e do aparelho digestivo, depressões, alergias ou anemias. Em doenças graves, a naturopatia não pode nem deve funcionar sozinha. 'Um cardíaco que toma medicação alopática não vai passar a fazer apenas a da naturopatia. Funcionamos como terapia de complemento à medicina convencional', diz a naturopata Ana Marques.

Em que consiste: A naturopatia é um regresso à Natureza e aos seus produtos mais puros para tratar e cuidar o corpo. Por isso insiste em mudar os nossos comportamentos alimentares e tem uma vertente preventiva: tratamse as causas e não os sintomas, para preparar e equilibrar o organismo. Inclui consultas de nutrição, tratamentos à base de plantas medicinais (fitoterapia), argilas, água (aumenta a circulação e a energia), desencoraja vícios, como o tabaco, e promove o desporto. Tudo para livrar o corpo de toxinas. Também se usam terapêuticas complementares, como a cromoterapia (que usa a cor) ou a aromaterapia (que usa os aromas). O diagnóstico é feito através de iridologia, o estudo da íris, onde ficam registados todos os desequilíbrios, doenças do organismo, passadas e presentes, ou propensão para as desenvolver. O curso superior de Naturopatia existe na Escola Superior de Biologia e Saúde.

É contra-indicada em: Não existem contra-indicações. Onde comprar os remédios: Em ervanárias. A maioria dos consultórios tem loja.

Preços: Entre €25 e €50.

Contactos: Ana Marques, tel.: 964216396.

Acupunctura
Indicada para:
O tratamento de vários tipos de dor sobretudo musculares e nas articulações, da asma e de doenças respiratórias. Tem sido muito procurada por quem quer deixar de fumar e perder peso, mas não é cura milagrosa para nenhuma das duas. Depressão e outros estados de perturbação psíquica podem beneficiar da acupunctura. Para melhores resultados, costuma ser aliada à fitoterapia, a antiga terapia das plantas medicinais. 'Em problemas degenerativos ou doenças terminais, ajuda a que não progridam tão depressa', confirma Ana Ferreira, técnica de acupunctura.

Em que consiste: É a mais conhecida das disciplinas da Medicina Tradicional Chinesa. Tal como outras filosofias orientais, acredita que o corpo é constituído por linhas que o percorrem de alto a baixo, os meridianos, e por energia vital Chi, e as doenças são entendidas como desequilíbrios energéticos. Nesta técnica usam-se agulhas de aço inoxidável, esterilizadas, espetadas em pontos específicos desses meridianos. Nas consultas de acupunctura também há um exame e diagnóstico, tal como na medicina convencional.

É contra-indicada em: Grávidas, pessoas que sangram com facilidade, em caso de tumores ou doenças contagiosas, como sida e hepatite. A electro-acupunctura, uma das variantes da técnica, é desaconselhada a quem tenha um pacemaker.

Preços: Ronda os €50 para a primeira consulta mais sessão e €30 para cada sessão posterior.

Contactos: Associação Portuguesa de Acupunctura e Disciplinas Associadas, tel.: 213152269; Ana Maria Ferreira, tels.: 213142780/919801444.