activa

Perfil

Saúde e Beleza

Como tirar o melhor partido da cidade no verão

Teve de cancelar a viagem ao Algarve? Não gosta de praia? O orçamento é apertado? Não interessa o motivo, se vai passar as férias na cidade e está a pontos de se deprimir com o ‘cheiro a praia’, chegou ao local certo. Este texto é exclusivamente para si. Para o usar, só tem de munir-se de um bom mapa e seguir as nossas sugestões.

Activa

Por parques e jardins nunca visitados

Faça um roteiro dos parques e jardins e parta à descoberta dos espaços verdes que a cidade tem para oferecer. Além de passear, pode sempre dar comida aos patos ou meter conversa com os velhotes que ali jogam às cartas. Com um bocado de sorte ainda ganha uns trocos na jogatana. Mas não se entusiasme, a ideia é conviver e não encher a carteira. Seja uma boa alma e partilhe os ganhos.

Música para os seus ouvidos

São muitos os festivais de verão que oferecem música para todos os gostos. E nada de pôr de parte sons diferentes do que está habituado, a ideia é abrir-se a novas experiências sonoras sem preconceitos, por isso seja eclética e não se coíba de passar do arraial da junta de freguesia para o festival de jazz na Gulbenkian e daí para um concerto de fado em Monsanto, por exemplo.

No fresquinho do cinema

Já que não pode estar numa ilha paradisíaca deitada na areia a beber água de coco e a bronzear-se, ao menos aproveite para pôr a cultura cinematográfica em dia e tornar-se na cinéfila que sempre sonhou. Pense bem, quando os seus amigos vierem ter consigo a exibir descaradamente o bronzeado pode sempre fazê-los passar uma vergonha por não saberem quem protagonizava a última longa-metragem do Howard Hawks. Se não acusarem o toque aborreça-os com citações de Kiewslowsky.

Em busca dos monumentos desconhecidos

É sabido que muitas vezes acabamos por conhecer bastante mal os monumentos da cidade em que vivemos. E afinal, que sentido faz ter entrado em tudo quanto era igreja no Vaticano e nunca ter posto os pés na Torre de Belém, no Cristo Rei ou nos Clérigos? Não deixe a oportunidade para quando os amigos do estrangeiro vierem de visita. Faça uma lista dos monumentos que nunca visitou, arme-se em turista acidental e vista-se a preceito com sandálias, meias, chapéu e máquina fotográfica. Vai ver que fica com uma visão diferente da cidade.

Todos ao Pedy-paper!

Junte os amigos e organize um pedy- paper pelas igrejas da cidade. Se foi a única a não ir para fora, não desespere e coloque um anúncio na entrada do prédio a pedir inscrições. Mesmo que não tenha muito sucesso é um pretexto para estabelecer melhores relações de vizinhança.

Pechinchas na feira

Tem de ser logo de manhãzinha para evitar o calor. Leve uma cesta e divirta-se a regatear preços e encontrar pechinchas de fazer inveja aos "recuerdos" que os seus primos vão trazer do México. Sugestões: Feira da Ladra e Carcavelos.

'Piquenicar' é bom

Fazer atividades menos usuais nos sítios por onde passa habitualmente a caminho do trabalho pode ser engraçado. Encha a cesta de coisas boas e convide uns amigos que estejam a trabalhar para almoçar consigo no Jardim da Estrela ou no Campo Grande.

Passeios frescos

Perde a vontade de passear quando pensa em enfrentar o sol abrasador? Não desista já. Há passeios fresquinhos que pode fazer sem a desculpa do calor para ficar na sorna. Se está numa cidade costeira atreva-se a um passeio de barco ou uma travessia até à outra margem do rio. Já existem muitas empresas que se dedicam a estas atividades, nomeadamente no Tejo e no Douro. O Aqueduto das Águas Livres e a Mãe d'Água são outras ideias frescas que pode pôr em prática na capital.

Queimar calorias

Experimente alugar uns patins em linha ou uma bicicleta em Oeiras e Monsanto para queimar umas calorias. As mais aventureiras podem tentar a escalada mas é melhor praticar primeiro em locais como o Centro Comercial Alvaláxia antes de passar às ravinas da Zambujeira. Para as mais calmas há sempre o taichi, que se pratica gratuitamente aos domingos de manhã no jardim de Belém ou em Monsanto. Se na sua cidade não houver nada do género, comece a fazer sozinha e diga que é uma vertente nova que acabou de criar, vai ver que em pouco tempo se juntam mais uns quantos. Inscreva-os no pedy-paper.

Siga o ar condicionado!

Ir a centros comerciais pode parecer esquisito mas pense bem, quantas oportunidades vai ter de andar pelo Colombo ou o Vasco da Gama sem as hordas de gente do costume? Além disso têm ar condicionado.

Passear no elétrico

Cheios de charme, são ótimos para passear nas férias quando o tempo não é obstáculo. Faça um "dia do elétrico" e ande sem destino pelas ruas da cidade.

Ficar na sorna

'Esplanar' é o verbo amigo de quem está de férias na cidade. E com tanta oferta de esplanadas bem pode estabelecer critérios consoante a qualidade da vista, o conforto das cadeiras ou a largura das mesas para acondicionar pilhas de livros e jornais juntamente com os refrescos. Vá experimentando várias e crie o seu top ten.

Vocação escondida

Procure a coletividade do seu bairro. Geralmente têm bastantes atividades e é provável que encontre uma do seu agrado. Xadrez, artesanato, pintura... quem sabe se não descobre uma vocação escondida.

Pôr os museus em dia

Confesse, há quanto tempo não põe os pés num museu? Redima-se já e toca de visitar aqueles que até tem vergonha de dizer que nunca viu. Sugestões: Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa (além dos quadros tem uma ótima esplanada com vista sobre a cidade), Museu do Azulejo, Lisboa, (este é bastante fresquinho), o Grão Vasco, em Viseu (recentemente remodelado) ou o Museu de Serralves, no Porto (com um enorme jardim para passear).

Arme-se em turista

Meta-se nos autocarros turísticos descapotáveis que percorrem a cidade e faça como se estivesse no estrangeiro. Além de treinar o seu inglês, ainda ganha uns amigos novos para ir beber uns copos à noite e contactos que podem ser úteis quando for para fora. E pode sempre convidá-los para o pedy-paper...

Mire a cidade

Lisboa é a cidade das sete colinas, mas conhece-as a todas? Em caso negativo já tem mais um dia ocupado a passear entre o Castelo, a Graça, a Penha de França, Monte, S. Pedro de Alcântara, Santa Catarina e Estrela. Delicie-se com a vista nos miradouros no final da tarde.

Cineminha no Drive In

Se os seus amigos estrangeiros a deixaram pendurada e os do taichi não têm pedalada, faça uma panela de pipocas e vá até um Drive-In, desses que no verão surgem um pouco por todo o lado, ver uma comédia. A vantagem? Pode comer de boca aberta, rir-se a bandeiras despregadas sem pensar na figura que está a fazer, sujar o carro à vontade e falar ao telemóvel.

Ficar por casa

Não pense que tem de sair todos os dias e encher cada minuto com actividades. 'Férias' é sinónimo de descanso, não vale a pena andar com listas de coisas para fazer e a correr de um lado para o outro se não vai descontrair-se. Ficar em casa a ler, ou mesmo não fazer absolutamente nada, não é pecado e pode fazer muito bem à alma. Mas claro, se quiser, pode sempre:

• Divertir-se a cozinhar: não deixe os suplementos de culinária a apanhar mofo nas gavetas, afinal estão guardados à espera de quê? Agora que tem tempo, descubra a chef que há em si e aprenda a fazer receitas de nouvelle cuisine e sobremesas exóticas para impressionar no próximo jantar lá em casa. Convide os vizinhos que foram ao pedy-paper para cobaias das experiências gastronómicas... que correrem bem.

• Livrar-se do lixo: porque férias também é tempo de renovação, nada como pegar nuns sacos do lixo tamanho gigante e livrar-se da tralha acumulada durante o ano. Seja corajosa, comece pelos roupeiros e deite fora todas aquelas peças que não usa e, admita, não vai usar, e que só estão a ocupar espaço. Lembre-se, se não se livrar do velho não cria espaço para o novo... Mais convicta, passe aos armários e gavetas e descarte tudo aquilo que guardou porque 'pode ser útil um dia'. A verdade é que se não foi útil até agora a probabilidade é que não venha a ser nunca. Guarde fotografias antigas, postais de ex-namorados e outros recuerdos que andam espalhadas por vários sítios numa caixa. Não tem de se pôr a fazer balanços se não tiver vontade. A ideia não é deprimir-se mas criar espaço para se sentir mais leve.

• Fazer um SPA caseiro: tire um dia para cuidar de si e apaparicar-se com tudo a que tem direito, desde banhos com espuma até máscaras faciais de argila.

• Mudar a decoração: pode ser uma boa terapia e nem precisa de gastar dinheiro. Por vezes, trocar os móveis de sítio é o bastante para ficar com a sensação de que tem uma nova divisão. E sempre queima umas calorias no processo.

• Aprender uma língua nova: muna-se das cassetes do Planeta Agostini e aprenda a falar russo. Pode ir repetindo o que ouve enquanto muda a decoração, durante o banho de espuma ou até a cozinhar.

• Escrever: cartas aos tios e tias afastados que deixou de contactar porque não usam o e-mail, aos amigos que foram para fora a contar as suas aventuras ou até, porque não, aos escritores e atores que mais admira. Com um pouco de sorte também não foram de férias e até lhe respondem.

 

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!