activa

s

Perfil

Saúde e Beleza

A sua farmácia é na sua cozinha

O que faz quando tem uma dor de cabeça ou de estômago? Recorre a comprimidos e já está. Mas não tem de ser assim. Falámos com o nutricionista Pedro Queiroz, que nos disse o que devemos (ou não) comer para evitar alguns problemas de saúde.

Gisela Henriques

sergeyshibut

Se tiver...

Dores de estômago
Estas devem ser avaliadas clinicamente caso se mantenham por alguns dias. Ainda assim, a alimentação pode ter
um papel na estabilização ou melhoria.

O arroz, por ser de fácil digestão e apresentar um elevado teor em amido capaz de revestir as paredes do estômago, dando saciedade e conforto, alivia estes sintomas. O pão torrado é ideal como primeiro alimento para estabilizar as dores de estômago, porque a sua digestão e absorção é rápida e fácil, e o chá quente de hortelã ou camomila devido às suas propriedades calmantes que atuam nas paredes digestivas, dando conforto. Fazer refeições regulares com intervalos de não mais de 3 horas é uma regra essencial para ajudar no alívio destes sintomas.

O café, devido às propriedades estimulantes, pode sensibilizar a parede digestiva. Se não o consegue deixar, tome-o apenas no final das refeições.

A laranja pode acidificar mais o estômago, agravando a sensibilidade digestiva; e as gorduras da fritura excessiva de alimentos. O esforço para a correta digestão vai ativar enzimas e sucos digestivos que agravam o desconforto.

.. Dificuldade em dormir

Fatores como o stresse e a ingestão aumentada de alimentos antes de dormir podem ser causa de um sono menos retemperador. Mas a dificuldade em adormecer ou o acordar a meio da noite poderá ser um distúrbio de sono a valorizar clinicamente. Se for frequente deve ser vista por um profissional da área.

A banana tem um elevado teor de triptofano, um aminoácido que contribui para a produção de serotonina (neurotransmissor que melhora o humor e nos dá uma agradável sensação de bem-estar). Prefira as mais pequenas e nacionais (Açores ou Madeira).

O espinafre é riquíssimo em ácido fólico, com propriedades que contribuem para o nosso bem-estar geral e acalmia, o que faz com que tenhamos uma boa noite de sono. A amêndoa é um excelente alimento, rico em zinco, magnésio, cobre e ferro. Tudo nutrientes envolvidos nas funções cerebrais responsáveis pelo nosso sono. Ao deitar, se tem picos de apetite, coma 4-6 e beba um chá de cidreira quente. Este ritual poderá ajudar a reencontrar o equilíbrio para o sono.

O café devido à sua ação estimulante poderá atrasar o adormecer, mantendo o corpo e a mente alerta. O álcool, embora possamos pensar que favorece o sono, na realidade ele não será tão profundo nem de qualidade. O consumo de carnes vermelhas deve ser minimizado porque são de digestão mais difícil e o seu teor em gorduras saturadas poderá também dificultar o sono.

... Tensão pré-menstrual
Para atenuar os sintomas – inchaço, cólicas, dores de cabeça, irritabilidade – pode recorrer ao consumo de certos alimentos que vão ajudar a reequilibrar o organismo nesta fase hormonal.

A banana, rica em potássio, ajuda a estabilizar os níveis de sódio geralmente em excesso nesta fase. Também é fonte de vitamina B6 e aminoácidos (como o triptofano) que ajudam a estabilizar o humor e a boa disposição. A aveia, cereal riquíssimo em zinco e magnésio, contribui para a boa disposição e estabilidade emocional, ajuda na diminuição dos níveis de absorção de gorduras pelo organismo e é saciante. Beber água leva à eliminação de toxinas, além de prevenir o inchaço.

Alimentos ricos em açúcar são desaconselhados, por darem origem a picos de apetite, difíceis de controlar e que levam a uma saciedade momentânea, e que até nos deixam tristes connosco próprias. O sal deve ser excluído da alimentação para não agravar
os sintomas de retenção de líquidos e inchaço. Para temperar, use e abuse das ervas aromáticas e especiarias.

... Afrontamentos na menopausa
A brusca alteração hormonal que ocorre durante a menopausa deixa o corpo com afrontamentos, alterações nas zonas de acumulação de gordura, irritabilidade... Para combater estes sintomas há um conjunto de alimentos que podem ajudar.

A aveia é um superalimento com elevado nível de zinco e magnésio, fundamentais para uma boa coordenação mental e pensamento rápido e fluido. As elevadas doses de ácidos gordos ómega 3 são também fundamentais para a proteção de doenças cardiovasculares e das ‘ondas de calor’ típicas da menopausa. As nozes, riquíssimas também neste tipo de ácidos gordos, protegem as articulações e previnem doenças como o alzheimer.

Os iogurtes, devido ao teor em cálcio e vitamina D, protegem a saúde dos ossos e previnem a osteoporose. As bactérias digestivas presentes fazem também ‘milagres’ na normal função digestiva, minimizando os inchaços abdominais.

Procure também manter a atividade física, com pilates, ioga ou caminhadas.

A pimenta não deve ser consumida porque eleva a temperatura corporal, agravando a sensação de afrontamentos e suores ocasionais típicos desta fase, além de condicionar também o sistema digestivo. O sal deverá ser reduzido, devido ao aumento de risco de doenças cardiovasculares e neurológicas. Prefira especiarias e ervas aromáticas.

... Dificuldade de concentração
Há alimentos que contribuem para uma maior atenção e concentração, devido ao elevado teor em magnésio, zinco, vitaminas e ácidos gordos, que afetam favoravelmente o nosso cérebro.

A aveia é rica em minerais como zinco e magnésio, mas também em hidratos de carbono de absorção lenta, que favorecem um melhor aproveitamento da energia disponível. Procure ingeri-la logo de manhã, para que possa começar o dia com energia ao máximo.

As nozes são consideradas o alimento do nosso cérebro. Não só pela analogia morfológica mas essencialmente pelo teor em ácidos gordos essenciais e teor mineral, que interferem diretamente na rapidez das transmissões nervosas que ocorrem a nível cerebral.

O atum é uma boa fonte de ácidos gordos ómega 3, que não só protegem o cérebro e sistema circulatório como também permitem um melhor funcionamento neuronal.

O álcool interfere na rapidez das transmissões nervosas e tem também um papel limitador das nossas aptidões físicas e mentais.
O açúcar (refrigerantes, bolos, doces...), que embora possa ajudar numa fase inicial dando a falsa sensação de energia e capacidade cognitiva, vai fazer com que após este arranque haja grande quebra de energia.

As gorduras alteradas (fritura ou processamento excessivo) podem também trazer consequências ao nível da concentração, pela limitação das normais funções circulatórias, e a médio prazo nas funções neurológicas.

... Falta de energia
O cansaço e a falta de energia são sintomas comuns na população ocidental. Falta de exercício, erros alimentares, baixa ingestão de líquidos, stresse, entre outros, são possíveis causas. Mas certos alimentos são capazes de nos devolver alguma energia extra.

O arroz integral é um superalimento, pois, para além dos hidratos de carbono (que nos dão energia) naturalmente presentes, tem também um conjunto de vitaminas do complexo B na sua casca que vão permitir aproveitar ao máximo esta energia.

O ovo, riquíssimo em proteína de excelente qualidade na clara, é na gema que apresenta um elevado teor
de vitamina B12, capaz de assegurar o máximo aproveitamento da energia pelo nosso organismo. Pode ser escalfado, mexido, cozido...

Os brócolos são fonte privilegiada de ácido fólico, que é necessário para o máximo aproveitamento da energia pelo nosso organismo.

Os doces e refrigerantes devem ser evitados, devido às elevadas quantidades de açúcar que nos dão alguma energia momentânea mas que depois rapidamente nos trazem uma sensação de apatia, cansaço e falta de energia.

O álcool também faz com que a sensação de cansaço apareça rapidamente. Os lácteos com lactose são uma das áreas menos consensuais, mas há evidências de que a presença de alimentos ricos em lactose nos deixa mais cansados. Esta sensação será sempre diferente de pessoa para pessoa, pelo que é aconselhável que faça um teste, com a ajuda do seu nutricionista, para que possa avaliar por si, sem comprometer a sua saúde.

... Enxaquecas
Estas podem ter causas não relacionadas com o que se come, mas há alimentos que têm maior ligação às enxaquecas.

O salmão, rico em ácidos gordos ómega 3 e vitaminas lipossolúveis, contribui para neutralizar as enxaquecas. As amêndoas, além de ricas nestes ácidos gordos, têm selénio, que neutraliza os efeitos nefastos do stresse, origem de muitas enxaquecas.
O maracujá tem propriedades calmantes, daí prevenir os picos de enxaqueca.

O álcool e o chocolate, sobretudo o branco, são potenciadores da enxaqueca. O queijo devido ao teor elevado de gordura pode levar a sobrecargas do fígado, que podem causar cansaço, enjoos e dores de cabeça.

... Síndrome do colon irritável
Este problema de saúde obriga a ajustes alimentares que previnam a inflamação intestinal ou que aumentem a intensidade dos movimentos peristálticos do intestino.

Água, chás ou infusões para potenciar os seus efeitos hidratantes com funções calmantes. Maçã cozida, de fácil digestão.Iogurtes sem lactose são também de fácil digestão. Aliás, uma alimentação sem lactose pode melhorar os sintomas.

O álcool tem uma ação ‘corrosiva’ no aparelho digestivo. Pode beber, de vez em quando, às refeições. As gorduras esforçam mais
a digestão. O café, como é estimulante, vai aumentar a intensidade dos movimentos peristálticos (intestinos).

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!