activa

Perfil

Saúde e Beleza

O que comem as nutricionistas

Seguem os conselhos que dão ou é mais ‘faz o que eu digo mas não o que eu faço’? Em que ocasiões dizem ‘ah, é só desta vez’? Resistem às tentações? Quisemos saber toda a verdade.

Gisela Henriques

Teresa Branco
Teresabranco.com • Instagram: @teresa_branco

Apesar de não ser ela que mais vezes cozinha, a fisiologista na gestão do peso diz que lá em casa nunca pode faltar duas coisas: sopas e saladas, e estas últimas são bem conhecidas pelos seus amigos, porque sempre que a visitam as suas saladas estão na lista dos mais pedidos. E quando falta inspiração, o que faz? Simples, vira-se para o maior livro de receitas do mundo: a internet. Apesar de manter uma alimentação equilibrada em casa, Teresa sabe que os seus filhos adolescentes “quando saem porta fora nem sempre comem de forma saudável”. Mas com ela é ‘faça o que eu digo e faça o que eu faço’, e garante raramente sentir-se tentada – nem mesmo no supermercado – e só se desvia um pouco quando janta em casa de alguém que não a conhece. Exercício físico sempre foi a sua ‘praia’, desde a adolescência que era uma ávida praticante e o interesse pela alimentação saudável veio por arrasto. Quando chegou a hora de escolher um curso, não hesitou e licenciou-se em Exercício e Saúde na Faculdade de Motricidade Humana, seguindo-se o mestrado e o doutoramento em gestão do peso. Há anos a ajudar pessoas a perder os quilos a mais, a dificuldade, diz, está em fazê-las perceber que “emagrecer e manter-se magro não é fácil, e é difícil para o resto da vida”.

Guilty pleasure: Vinho e doce de ovos
É saudável mas detesto: Couve-flor cozida
O meu prato favorito: Peixe grelhado com legumes
Ingrediente que nunca falta lá em casa: Ovos
A receita mais repetida: Panquecas proteicas
Como alivio o stresse: Com um copo de vinho, mas só um
Maior obstáculo à dieta: Os eventos sociais
Quando vou ao meu restaurante preferido... Furnas do Guincho, peço sempre cabeça de garoupa cozida mas nunca batatas fritas
Melhor memória de infância: Comer gemadas debaixo de uma figueira perto de casa
Refeição favorita: Pequeno almoço, acordo sempre com muita fome

Ana (Ni) Ribeiro
Anitricionista.blogs.sapo.pt
Instagram: @a_nitricionista

Ana sabe o que é ter peso a mais e a menos. Teve excesso de peso desde que nasceu até ao final da adolescência, durante a qual aderiu às dietas iô-iô, que faziam com que o seu peso oscilasse muito. Os desequilíbrios na alimentação e problemas de autoestima levaram-na a um peso alarmante de 41kg e a um diagnóstico de princípio de anorexia. Por isso conhece bem os dilemas de quem quer emagrecer, todas as manhas e desculpas , tanto para comer como para deixar de o fazer. “Já senti na pele as dores, as frustrações e a obsessão pela comida.” O seu interesse pelo mundo da nutrição começou durante a luta com o peso, mas só percebeu que queria ser nutricionista quando já andava na faculdade a estudar Biologia Aplicada. Concluiu esta licenciatura e depois deu início à segunda em Nutrição, na Universidade do Porto. Ao seu consultório online chegam pedidos de norte a sul e até do estrangeiro, uma aposta que se tem revelado feliz já que percebeu que as pessoas nem sempre tinham tempo de ir às consultas ao final do dia nem de deixar o trabalho a meio do dia. Assim, faz as consultas e tira dúvidas por email, telefone, mensagem ou até por Skype.


Os conselhos que dá aos pacientes também os segue, porque, como costuma dizer, “não sou dada a radicalismos nem sou uma talibã da comida saudável, há dias e refeições que saem fora do plano, mas não entro em stresse, volto depressa e compenso no ginásio”. A cozinha passou a ser o seu laboratório, onde altera e recria receitas saudáveis, saborosas e bonitas, muitas inspiradas no livro que trouxe de casa dos pais: ‘Cozinha Tradicional Portuguesa’, de Maria de Lourdes Modesto. Pega na tradição e transforma-a numa versão mais saudável (e muitas acabam por aparecer no seu blog ou Instagram).

Pedro Queiroz
Nutricionista.com
Instagram: @drpedroqueiroz

A genética foi simpática com o nutricionista – nunca teve problemas de peso – mas ainda assim consegue um autocontrolo fantástico para não se desviar da sua alimentação supersaudável, a não ser, diz, se a companhia for muito boa e o ‘pecado’ valer muito a pena. Mas depois rapidamente compensa até porque “devemos dar o exemplo daquilo em que acreditamos”.


Estava para seguir informática quando começou a repensar na sua vida e decidiu mudar de escola e de curso para conseguir entrar em Nutrição na Universidade do Porto. Seguiu-se um mestrado no Institute for Optimum Nutrition de Londres e hoje em dia tem duas Clínicas de Nutrição, em Lisboa e no Porto. ‘Mastigar devagar cada alimento, cada garfada,’ é a mais importante das suas regras, revela, algo que também incute nos seus filhos, de 8 e 5 anos. Apesar de não cozinhar muito, quando sente vontade de pôr as mãos na massa vai às receitas da mãe e dá por si a fazer uma ‘tomatada com ovos escalfados’ em nome dos bons velhos tempos. Um dos momentos de que mais se orgulha foi de ter ajudado uma pessoa a perder 70kg e a manter um peso saudável.

Guilty pleasure: Um bom copo de vinho em boa companhia (1 vez por mês)
É saudável, mas detesto: Abacate
Prato favorito: Atum, de todas as formas
Doce preferido: Chocolate negro (85%) com 2-3 morangos, poucas vezes ao ano
Se pudesse, comia todos os dias: Figos
Memória de infância: A gelatina que a minha mãe fazia e colocava em cascas de laranja
Como alivia o stresse: Fruta laminada, relaxa--me bastante cortar e preparar a fruta
A receita mais repetida: Peixe no forno com curgete laminada e uma batata-doce e salada
Lá em casa nunca falta: Orégãos e manjericão, que dão um toque especial a todas as saladas

Mafalda Rodrigues de Almeida
www.loveat.pt • Instagram: @mafaldaralmeida

Em sua casa não entram produtos light, diet, alimentos processados ou com edulcorantes, e é isso também que aconselha nas suas consultas na Nutrialma. Quer sobretudo que as pessoas, tal como ela, tenham uma alimentação funcional, com produtos o mais natural possível. Mas com isso não quer dizer que seja fundamentalista e não se permita umas exceções de vez em quando, “eu adoro comer e acho importante fazer uma alimentação saudável diariamente, no entanto, uma vez por semana devemos ter a liberdade de comer algo que sabemos que não é assim tão bom mas que nos dá imenso prazer… até para mantermos a sanidade mental”.

Desde pequena que Mafalda se dividia entre duas paixões: animais e cozinha. Uma das suas memórias mais queridas é de, aos 8 anos, gravar os programas da Martha Stewart em cassete. No momento decisivo de escolher um futuro ganhou a nutrição, o que fez com que a sua alimentação passasse por duas grandes mudanças: primeiro durante a licenciatura em Nutrição, no Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz, em que passou a ser seguida por uma especialista em medicina chinesa que a fez deixar alimentos processados, carne de porco e lacticínios; a segunda grande mudança aconteceu mais tarde, durante o mestrado na City University em Londres, onde foi apresentada a um mundo novo de alimentos, como quinoa, bagas goji, chia e muitos outros.

Como adora cozinhar, os seus amigos não se fazem rogados a pedir uma das suas (muitas) especialidades: puré de abacate e manjericão e falafels no forno, que de tal modo obteve sucesso que lhe pediram um workshop privado.

Guilty pleasure: Nutella
É saudável, mas detesto: Chá Kombucha, obrigo--me a beber de vez em quando mas só de nariz tapado
Prato favorito: Dourada grelhada com salada de tomate e pepino
Doce preferido: Pavlova de nutella com morangos
O seu prato mais requisitado: Brownies, tenho uma versão com abacate, queijo quark e açúcar de coco no meu livro ‘Superalimentos’
Quando falta imaginação: Recorro aos livros do Jamie Oliver, tenho todos
A receita mais repetida lá em casa: Papa de quinoa com coco tostado

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!