activa

Perfil

Saúde e Beleza

O elemento 'secreto' que faz toda a diferença na saúde e beleza da pele

E de outras coisas mais.

Activa.pt

MS YAPR

Pele mais firme e com menos rugas, prevenção da osteoporose, articulações mais saudáveis, unhas e cabelos mais fortes. Estes são alguns dos benefícios do colagénio, uma proteína produzida naturalmente pelo nosso organismo mas que também pode ser tomada em forma de suplementos. Falámos com Lillian Barros, nutricionista e responsável pelo blog Santa Melancia, para saber o que é o colagénio, qual é o momento certo para usá-lo e como iniciar a suplementação.

O que é o colagénio?

O colagénio é uma proteína presente em quase todos os órgãos do corpo. É o elemento essencial na constituição da pele, ossos, tendões e dentes. A principal função desta proteína é dar sustentabilidade e elasticidade aos tecidos.

Como toda a proteína, o colagénio é composto por aminoácidos. Sempre que consumimos alimentos ricos em proteínas, como carne vermelha, ovos, frango e peixe, o nosso corpo absorve e quebra as proteínas em vários aminoácidos, que servem como peças de um quebra-cabeças. Então o organismo reconstrói as proteínas necessárias para o funcionamento correto do corpo a partir dos aminoácidos absorvidos com a alimentação. No caso do colagénio, estes aminoácidos são a lisina, a glicina, a prolina e a hidroxiprolina.

Quando e como começar a tomar suplementos?

Lillian Barros destaca que “a partir dos 30 anos começa a haver uma descida da produção endógena de colagénio, que se acentua ao longo dos anos.” É neste momento que “a suplementação começa a parecer fazer algum sentido e que coincide com o surgimento das primeiras rugas”, explica a nutricionista.

A suplementação mais indicada, segundo Lillian Barros, é a ingestão do colagénio hidrolisado (líquido, em cápsula ou em pó). Mas para garantir que, após a absorção dos aminoácidos, o corpo produz o colagénio e não outra proteína, o seu consumo precisa estar associado a outros elementos como as vitaminas: C, E, piridoxina, betacaroteno, ácido pantoténico e biotina, e os minerais: manganês, selénio, cromio, cobre, zinco e silício. “Só assim é possível uma melhor acção por parte da suplementação. Alguns suplementos já apresentam esta combinação em dosagens interessantes, caso contrário é importante complementar.”

A nutricionista lembra que cada pessoa tem uma necessidade diferente de suplementação, que deve ser avaliada caso a caso. Mas recomenda que “a melhor forma de suplementar é com 10g de colagénio hidrolizado em pó, tomado dissolvido em água ao final do dia na fase de repouso ou no pós treino.” É importante também ter atenção à presença das vitaminas e minerais necessários para a absorção e produção do colagénio pelo organismo. Aqui volta a importância de uma alimentação equilibrada, colorida e associada à prática de exercícios físicos.

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!