activa

Perfil

Saúde e Beleza

O grave perigo das dietas yo-yo de que ninguém fala

Perder e ganhar peso constantemente - mesmo que seja pouco - traz riscos associados.

Activa.pt

Cronislaw

Dietas yo-yo: esta é, com certeza, uma realidade para muitas mulheres. Perder peso, ganhá-lo novamente, perdê-lo, ganhá-lo... e assim sucessivamente. O que talvez não saiba é que esta "bola de neve" pode estar a prejudicar (e muito) a saúde. Sobretudo a do seu coração.

Um recente estudo, discutido na recente conferência científica da American Heart Association (AHA), teve resultados preliminares alarmantes: mulheres que estejam a perder e a ganhar constantemente, no mínimo, 4,5 quilos, têm um maior risco de vir a sofrer de problemas de coração, do que outras que nunca tenham passado por processos semelhantes de dieta.

Os investigadores da Columbia University focaram-se em 485 mulheres, com uma média de idade de 37 anos, e um índice de massa corporal médio de 26 (ou seja, ligeiramente acima do peso). Foi-lhes perguntado quantas vezes tinham perdido e ganho, pelo menos, 4,5 quilos em determinado ano.

73% das inquiridas revelaram já ter tido experiências de dietas yo-yo, e perdido os tais 4,5 quilos, no mínimo, uma vez. Algumas, chegaram a revelar ter verificado tais oscilações cerca de 20 vezes ao longo da vida. E pior: todas as que estavam familiarizadas com este tipo de dieta tiveram um resultado mais baixo num "teste" da AHA.

Chamado Os 7 simples da vida, a avaliação pretende analisar se determinada pessoa cumpre sete princípios típicos de um estilo de vida saudável para o coração - comer melhor, ser ativo, perder peso, deixar de fumar, reduzir o açúcar no sangue, controlar o colesterol e controlar a pressão arterial.

O facto de as mulheres que tinham passado por dietas yo-yo terem piores resultados no teste alarmou os especialistas. "Atingir um peso saudável e, geralmente, recomendado como uma atividade saudável, mas mantê-lo é difícil, e as flutuações de peso tornam difícil atingir níveis de saúde cardiovascular ideais", afirma Brooke Aggarwal, um dos autores do estudo.

Além destes resultados, verificou-se que o grupo das mulheres que já tinha perdido e ganho peso após uma dieta, tinham menos 82% de chances de atingir um IMC saudável. O principal conselho? Ter em conta a opinião de um especialista, que elabore um plano adequado às suas necessidades, sem restrições exageradas. Assim, poderá demorar mais tempo a perder os quilos a mais, mas as hipóteses de manter o peso perdido são bem maiores.