activa

s

Perfil

Sexo

12 sinais de que não deve avançar para uma relação

Fique atenta ao alguns pormenores que podem ser autênticas bandeiras vermelhas para um futuro relacionamento

Catarina Fonseca

Fuse

O príncipe é giro mas não está livre
Parece básico, mas muita gente se apaixona por pessoas que não estão livres à espera que o vento mude. Cuidado: não escolha alguém que ame outra pessoa. Esteja atenta porque há várias formas de não se ser livre: pode-se ter alguém de facto, em casa, a lavar-lhe a roupa do ginásio e a tratar-lhe dos filhos, pode-se ter alguém na cabeça, aquela loira que ele não esqueceu desde que passou o verão em Olhos d’Água no ano passado, pode estar ele em Marraquexe e ela em Reikiavique e passarem a vida no Skype, enfim, não escolha um homem já apaixonado… por outra. O mais que pode acontecer é ele dar umas voltas consigo num momento de fraqueza, você fica agarrada a pensar que qualquer dia ainda vai acontecer alguma coisa, e 20 anos depois ainda não aconteceu nada.


Ele está mais apaixonado pelo telemóvel do que por si
Se ele em vez de olhar para si e de perguntar qual é o seu livro preferido e o que é que faz ao domingo à tarde e onde estava no 25 de Abril passa o tempo a espetar no Facebook a foto do copo que tem à frente, pegue no seu iphone e peça-lhe amizade. Entre-lhe na página do Facebook e faça-lhe um like. Vá à casa de banho e ligue-lhe. Heheh.

Trata mal os empregados
Sabe aqueles homens muito certinhos, engravatadinhos e charmosos, mas depois, quando falam com alguém ‘abaixo’ deles, salta-lhes o verniz e desatam a dar ordens, para mostrar que mandam? Não fique com alguém que gosta de ‘mostrar que manda’. É sempre sempre sempre mau sinal. Daqui a nada está a querer mandar em si, depois há de querer escolher todos os padrões dos cortinados da casa, depois embica que só dorme em lençóis de linho egípcio, depois há de querer uma casa impecável todos os dias, e uma aposta em como há de ser daqueles que acha (e diz) que a mãezinha dele é que fazia sempre tudo bem.


É incapaz de se divertir
A vida é para ser levada sem se despentear, porque não pode correr o risco de alguém se rir de alguma figura parva que possa estar a fazer… Se ele é certinho e compostinho mas é incapaz de rir de si próprio, de contar uma anedota, de experimentar uma aula de power ioga só porque sim, prepare-se para uma vida bem chatinha sempre a provar a toda a gente que você é a dona de casa ideal.


Troça da maneira como você come (ou não come)
“O quê, vais comer isso tudo?”, ou “Se calhar tens a mania das dietas, não? Olha que os homens não gostam de esqueletos ambulantes”... Está bem que nos primeiros encontros a pessoa vai sempre enervada e pode mandar umas piadolas sem graça. Mas piadas sobre o que se tem no prato (ou o que se tem vestido) além de mostrarem que é um pacóvio, também mostram que não sabe distinguir entre uma piadola com graça e uma piadola às custas da outra pessoa, que por acaso supostamente é a pessoa que está a tentar conquistar, o que prova que além de ter não ter maneiras também não tem neurónios, e você não há de querer que os seus futuros filhos herdem genes parolos e burros.


Não se cala
Ele é sociável, expansivo e comunicativo? Nada contra. Mas há quem exista sozinho no Universo como quem está numa ilha deserta. Há pessoas para quem os outros não têm mais utilidade que fornecerem o par de ouvidos de que eles precisam. Se ele já está há uma hora a desbobinar sobre o trabalho dele e nem uma perguntinha sobre o que você faz na vida, esqueça. Se a meio da conversa começa a pensar se terá deixado o esquentador ligado ou não, fuja.


Ele não conta nada
Este é o contrário, e não abre a boca. Está para ali em silêncio a escrutiná-la por trás dos óculos e a avaliá-la mentalmente (quase se consegue ver os parâmetros a correrem na cabeça dele) mas sobre a vidinha dele, népias. Você não sabe se ele é órfão, se tem 6 irmãos, se se dá bem com a mãe, se prefere frango assado ou esparguete à bolonhesa, e que raio de emprego é que tem na vida. Às tantas pensa que ele foi atacado por um surto de dengue, depois começa a desconfiar de tanto silêncio, e finalmente já só lhe apetece ir-se embora.


Tem aquele ar de quem sabe tudo
Estudou na London School of Economics, arranjou um emprego de sonho lá fora, depois arranjou um emprego de sonho cá dentro, diz que prefere dar imenso dinheiro por uma roupa de marca que lhe dura toda a vida (ele deve ter muitas. Vidas. A ajuizar pelo guarda-roupa), diz que o sonho da vida dele é ter um Porsche 911 4S, e quando sorri nunca é assim uma coisa espontânea, é um sorriso treinado em anos e anos de ser o queridinho da mamã, das tias e das professoras. Se lhe calhou um Master of the Universe, não se deixe encantar por aquele charme de quem tem tudo e é capaz de tudo, e fuja imediatamente. Enfim, se o seu sonho for uma vida igual à dele, podem sempre fazer uma equipa e ter muitos filhos loiros e iguais e a tratarem imenso por você. Sempre se salvam dois casamentos.


Demora imeeeeeenso tempo a comer
Parece uma coisa sem importância nenhuma, não é? E é, de facto, uma coisa sem importância nenhuma. Mas muitas vezes são as coisas sem importância nenhuma que depois nos enervam mais. Enfim, se é daquelas almas descontraídas para quem isso não tem (mesmo) importância nenhuma, simplesmente espere que ele acabe. Mas há poucas coisas tão enervantes como uma pessoa que demora sempre mais tempo a fazer tudo…


Não desenvolve...
Ele não parece por aí além entusiasmado: demora a responder-lhe, não faz conversa, olha para todo o lado à procura de outros focos de interesse, faz longas pausas na conversa, está recostado para trás com todo o ripanço como se estivesse nas termas, e no fim não sugere imediatamente outro encontro. Depois não volta a ligar-lhe ou liga-lhe uma semana depois. Se ele a deixa ir-se embora sem a fazer prometer qualquer coisa, desconfie.


Ele não a faz sentir nas nuvens
Ele até pode ser giro, engraçado e simpático, mas por qualquer razão, a coisa não pega. Não há fogo de artifício. Nem uma miserável luz de vela. Nem aquela ao fundo do túnel que nos andam sempre a prometer. Ignore quem lhe disser que não há príncipes encantados e que não se pode ser muito exigente. Há e pode. E não só pode, como é o seu dever. Seja exigente. Pelo menos, exija que ele a faça sentir vontade de voltar a vê-lo. É o mínimo.

Ele ainda odeia as mulheres?
Há homens assim, ou então estão nessa fase porque a ex lhes fugiu com as pratas, o chefe (o caniche) e o autógrafo do Michael Jackson, e ele ainda não recuperou e acha que todas as presentes são futuras ex. A culpa não é sua. Nem o deixe acabar o café e fuja enquanto ainda não chegaram à fase
de apuramento.

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!