activa

Perfil

Sexo

Os 3 principais problemas de intimidade dos casais (e como ultrapassá-los)

Segundo os especialistas.

Activa.pt

fizkes

Por norma, quando um casal vive problemas no campo da intimidade, significa que existem outros obstáculos, normalmente a nível emocional. E, por isso mesmo, é importante identificar as causas para, depois, encontrar soluções.

Tina Konkin, fundadora do programa de aconselhamento Relationshio Lifeline, compara os problemas conjugais aos problemas identificado por um médico, afirmando que a sua principal função é a de encontrar a "doença" na relação. E os principais indicadores para grandes problemas são, entre outros, diminuição dos toques, abraços, beijos, ou mesmo das relações sexuais.

Pelo contrário, "uma relação simbiótica entre prazer, intimidade emocional e satisfação relacional" é, segundo o terapeuta Hernando Chaves, um relacionamento feliz, que advém de, entre outras coisas, um certo nível de intimidade física.

Eis os três principais problemas que os casais enfrentam:

Perda de intimidade física

"Esta começa, frequentemente, no coração. Descobri que a raíz deste comportamento, por norma, vem de há muito tempo, mesmo antes de o casal se conhecer. Olhando para os dois indivíduos, vendo como eles se comportam quando se ofendem ou são magoados, é chave no diagnóstico e tratamento do problema", refere Konkin, que acrescenta que evitar o confronto apenas aumenta a distância entre ambos.

E os motivos para o distanciamento diferem. "Para um homem, a intimidade física está ligada diretamente ao ego, pelo que, quando esta área está desvalorizada, começa a degradar-se a conexão emocional da relação. Por outro lado, as mulheres procuram mais a ligação emocional e, sem ela, desligam-se fisicamente. Em resumo, uma mulher precisa de, primeiro, conectar-se emocionalmente fora do quarto", finaliza.

Diferentes estilos sexuais e fraca comunicação

Os opostos atraem-se, sim, mas nem tanto dentro de quatro paredes. Quando o assunto é a intimidade do casal, diferentes preferências sexuais podem levar a grandes problemas. "Frequentemente, as pessoas têm dificuldade em comunicar as suas necessidades e ter diálogos abertos sobre prazer e comunicação sexual", afirma Chaves. Para isso, devemos, em primeiro lugar, reconhecer quais são as nossas necessidades e, depois, comunicá-las com o nosso parceiro.

Traição

Muitas vezes, este, que é um dos maiores obstáculos a qualquer relação, não tem apenas a ver com sexo. "Os homens são mais visuais e avaliam a sua vida sexual como uma grande forma de se ligarem à pessoa com quem mantêm uma relação. Quando esta é nula ou rara, surgem problemas de desejo, competência ou mesmo de interesse. E estes podem levar a que um homem 'teste' o seu nível de atração com outra mulher, quer seja no trabalho ou na mercearia", explica Konkin.

Por outro lado, as mulheres traem quando procuram gratificação emocional. "Os casos emocionais e o número de mulheres casadas a tê-los está a aumentar, porque elas procuram validação, não só no quarto", acrescenta.

E como se resolvem estes três problemas? Tina sugere 3 princípios.

franckreporter

Revelar - Devemos, antes de mais, tentar entender quais os assuntos mal resolvidos que carregamos. "Não podemos curar ou mudar o que não revelamos primeiro a nós mesmos", afirma a especialista.

Reescrever - Isto significa que podemos mudar a forma como vemos o nosso passado. "O ato de reescrever é feito pelo perdão. Resumindo, uma relação não consegue ser saudável ou íntima se não houver perdão. Assuntos mal resolvidos, sem perdão, irão matar o relacionamento", afirma.

Renovar - "Para manter uma relação vibrante e excitante, mesmo com as borboletas de um amor recente, cada pessoa deve tornar cada dia único. Renovar é tornar a vida melhor do que foi ontem. Mesmo no meio de dificuldades, o amor pelo outro deve crescer e nunca ser tomado como garantido", explica, finalizando com o conselho de que os casais com dificuldades devem procurar ajuda, em vez de "deixar ir o melhor da vida - o amor entre duas pessoas - simplesmente porque não conseguem ultrapassar o problema".

    newsletter

    Receba GRÁTIS no seu email as notícias que selecionamos para si!