É engraçado como tudo parece estar ligado. Por mais planos que se façam, a vida encontra forma de surpreender e de traçar o seu caminho. Sofia Paixão, 51 anos, sempre gostou de cozinha. Mas na altura de escolher uma profissão, ser cozinheira não era opção. “Não era moda como hoje. Acabei por seguir a área de gestão e marketing. Fiz o percurso que era esperado, trabalhei numa multinacional como gestora de produto, até que decidi que tinha de mudar de vida. Em 2000, depois de ter tido o segundo filho, larguei tudo e inscrevi-me na Escola de Hotelaria do Estoril para fazer a licenciatura em produção alimentar”, conta à Activa, no seu luminoso estúdio de cozinha com vista para o mar – onde costuma dar aulas e criar as suas receitas – enquanto alinha os ingredientes para a receita de Bacalhau da Noruega que vai preparar.

Estudar cozinha foi o início do processo de mudança, mas muito mais estava para chegar. No curso aprendeu as bases e conheceu as técnicas da cozinha, mas sentiu que não chegava. Queria saber mais sobre alimentação, sobre o impacte dos ingredientes na saúde, sobre nutrição. Por isso investiu mais na formação. Seguiram-se cursos de macrobiótica, cozinha japonesa, cozinha natural, todos com um foco maior na alimentação saudável.

A grande mudança deu-se há cerca de 12 anos e foi impulsionada por um problema de saúde. “Andava sempre cansada, doente, com amigdalites constantes, passava a vida a tomar antibióticos… Até que uma cunhada minha descobriu que era celíaca e comecei a fazer algumas receitas para ela. Ao provar as receitas, apercebi-me de que me sentia melhor. Fui fazer daquelas análises de intolerâncias alimentares e o resultado foi uma intolerância aos alimentos que contêm glúten”. Uma coincidência que trouxe frutos, pois foi assim que nasceu o blog/marca Glúten-Free com Paixão, onde Sofia fez o relato da sua nova aventura alimentar.

Um desafio que vira profissão
“Foi um desafio enorme retirar o glúten da alimentação e começar a cozinhar assim, numa altura em que nem se falava no glúten nem havia secções dedicadas nos supermercados. Mas, ao mesmo tempo, comecei a descobrir grãos de cereais – muitos deles ancestrais, com muita fibra – diferentes, muito mais saborosos que o trigo”, recorda.

A porta do glúten-free estava aberta e, com ela, mais desafios. “Tudo convergiu na mesma altura: descobri a intolerância, criei o blog, tirei o curso de health coach e comecei a fazer coaching. Entretanto continuei a estudar e licenciei-me em Cozinha Natural na School of Natural Cookery, Boulder – Colorado, onde acabei por ser convidada para dar aulas – e faço-o já há dois anos”.

O Glúten-Free com Paixão foi crescendo, Sofia foi convidada a escrever um livro, “Sem Glúten Com Paixão” (Lua de Papel). “Que foi um sucesso, já vai na 3ª edição”, orgulha-se. “Mas havia sempre este sonho de criar uma escola. Gosto mesmo muito de ensinar. E este ano finalmente dei esse passo e criei a CookingSchool.pt. Um projeto que já estava pensado mas que nasceu mesmo em pleno Covid, que foi importante para dar o impulso final. É uma escola digital, que terá uma parte presencial mas que ainda não está ativa. Tem cursos mais curtos, temáticos, e outros mais completos, com vários professores convidados. A ideia é que quem se inscreva tenha acesso a mais que um mero curso de receitas: que tenha antes uma formação que lhe dê as ferramentas necessárias para se orientar na cozinha saudável. O curso mais completo – Curso Completo de Cozinha Natural – tem 12 módulos e a duração de 3 meses. Aborda desde as bases de cozinha até à food photographymeal prep, módulos sobre proteínas vegetais e animais, conservação de alimentos e módulos sobre desperdício e sustentabilidade. Quem quiser, tem até a hipótese inovadora de ter uma sessão de cooking coach privada – uma aula personalizada comigo, onde pode tirar dúvidas, uma espécie de PT da culinária”, revela, mesmo antes de deitar mãos-à-obra na receita de Bacalhau da Noruega com Miso e Açorda de Espinafres e Coentros que preparou para esta sexta-feira Santa.

“A base da cozinha natural é a qualidade e a origem dos ingredientes. É isso que eu defendo: variedade, qualidade, olharmos para a origem e optarmos sempre pelo melhor. Não dá para disfarçar um bacalhau que não é bom”. Não é o caso destes suculentos lombos de bacalhau oriúndos das águas cristalinas da Noruega, pescados de forma sustentável, posteriormente demolhados e prontos a cozinhar, cheios de sabor, que prometem levar à mesa dos portugueses a tradição da Páscoa, ainda que confinada. “Sou muito tradicional e o bacalhau não pode faltar na Sexta-feira Santa. Mas mesmo dentro do tradicionalismo gosto de inovar e esta receita que aqui trago é a prova disso: inspirei-me numa receita clássica de um chef de que gosto muito, o Nobu Matsuhisa, e misturei o sabor clássico do bacalhau com um toque especial de miso, mel e vinho do Porto, acompanhado de uma açorda feita de forma diferente. Espero que gostem!”, conclui.

Bacalhau da Noruega com miso e açorda de espinafres e coentros

INGREDIENTES

Bacalhau com Miso
4 lombos de Bacalhau da Noruega
4 colheres de miso
4 colheres de mel
4 colheres de vinho do porto
4 colheres de azeite extravirgem

Açorda de espinafres
e coentros
400 g de pão integral sem glúten
1 dente de alho
60 g de folhas de espinafres
10 g de coentros
Sal marinho
700 a 800 g/ml de água

PREPARAÇÃO
Numa taça grande misture o miso, o mel, o vinho do Porto e o azeite, e misture bem. Envolva os lombos de bacalhau no molho e deixe a marinar no frigorífico entre 30 minutos a 24 horas. Quanto mais tempo os deixar mais saborosos vão ficar.
Pré-aqueça o forno a 190ºC, sem ventilação. Coloque os lombos numa travessa e leve ao forno por 20 minutos. De seguida, aumente o forno para 200ºC, com o grill e com a ventilação, e deixe caramelizar por cerca de 6 a 8 minutos (vá vigiando pois depende da altura dos lombos e da potência do forno). Leve a marinada que sobrou ao lume e, em lume médio, deixe reduzir mexendo durante 5 minutos.
Entretanto prepare a açorda. Num processador coloque o alho e triture até estar bem picado. Junte metade do pão cortado em pedaços e triture até obter uma farinha grossa. Retire para uma taça e reserve. No mesmo processador, sem lavar o copo, junte a outra metade do pão, os espinafres, os coentros e volte a triturar. Junte ao pão reservado e misture bem. Coloque numa panela média as 700g/ml de água e leve ao lume até ferver. Junte o sal e a farinha grossa de pão, reduza o lume para o médio e misture bem. Vá mexendo de vez em quando até ligar, se necessário junte o resto da água.
Retire os lombos do forno e sirva-os com a açorda e com o molho.

Palavras-chave

Mais no portal

Beauty Spot

As melhores técnicas e produtos para fazer sardas falsas

A rubrica Beauty Spot desta semana é dedicada a esta tendência divertida, que combina na perfeição com visuais mais naturais de maquilhagem.

É só uma sugestão

Falar de Livros: "D.A.D. - Desempregado, Artista, Dona de Casa" é um retrato humorista da vida de um pai

Um livro de Alexandre Esgaio publicado pela Suma de Letras.

Moda

Olivia Wilde elege sobretudo acessível para se proteger do frio em Londres

Não sabíamos que precisávamos de um sobretudo azul... até vermos um dos visuais mais recentes da atriz.

Comportamento

3 formas de manter a conta bancária emocional do seu relacionamento com saldo positivo

Este conceito está diretamente relacionado com a forma como os casais gerem discussões de conflito.

#ActivaEmCasa

Braços e pernas: cinco exercícios para maior definição muscular

Aqui fica mais um circuito de treino completamente gratuito, preparado e exemplificado por Susana Carromeu, coach do CrossFit Cais.

Beleza

Cabelo: Os produtos que temos de experimentar

Conhece as novidades mais recentes? Para fortalecer, dar brilhou ou obter o styling perfeito.

Moda

Inspire-se no que há de novo nestas marcas de moda populares

A nova estação traz muitas novidades e estas marcas dão o mote para o que vamos querer usar nos dias quentes.

Exclusivo
Beleza

Bárbara Corby: "Considero que a beleza vem de dentro"

A influencer é o novo rosto da Vichy em Portugal, depois de ter sido embaixadora digita da marca durante algum tempo. Em conversa com a ACTIVA falou sobre o novo papel e a a relação que tem com o mundo da beleza.

Imagem de Sucesso

Como usar o cinto para modernizar looks e valorizar a silhueta

Quer seja fino, grosso, de metal ou de couro, o cinto pode ser um grande aliado para no que toca ao styling.

Mulheres Inspiradoras

Joana Pessoa: um novo fado

É fadista desde os 15 anos, mas isso está longe de resumir a sua vida. Estivemos à conversa sobre escolhas, caminhos, filhos, divórcio, destino, amor, velhice, para voltarmos ao fado e fecharmos o círculo. Levei-lhe quase quatro horas de vida. É o que dá conversar com uma das mulheres mais interessantes que já entrevistei.

Comportamento

Existem quatro tipos de vinculação num relacionamento - saiba qual é o seu

Este tipo de apego é construído na infância e pode acabar por ter repercussões na vida adulta.