Fotografia: Gonçalo F. Santos | Styling: Diana Bastos | Maquilhagem: Rita Fialho | Cabelos: Lília Costa Agradecimentos: Valverde Hotel

Tem um olhar triste, ainda que decidido. Pelo semblante, adivinha-se-lhe um passado recente de dificuldades e preocupações. Maria João tem 53 anos, formou-se em hotelaria e trabalhou na área hospitalar, e é uma das protagonistas desta história de superação – e de tantas outras que se escondem atrás de rostos de mulheres maduras como ela. Ao elenco, juntam-se ainda Margarida (50 anos), com formação em belas-artes, e Cardomina (45 anos), técnica administrativa, mulheres e mães, tão diferentes entre si, mas com uma história de vida em tudo tão semelhante. São vencedoras. Cairam. Levantaram-se. Foram à luta.

Em comum às nossas três heroínas há um nome que as faz sorrir: Dress For Success Lisboa. Os olhares iluminam-se quando recordam o apoio que esta associação lhes deu numa das alturas mais complicadas das suas vidas. Ora não se tratasse de uma IPSS com o objetivo de capacitar mulheres para conseguirem um futuro melhor e mais seguro (ver caixa).

Em épocas diferentes, tanto Margarida, como Cardomina e Maria João perderam os seus empregos, os seus rendimentos – e, com eles, a confiança, a resiliência e a auto-estima, que as ajudariam a ganhar coragem para enfrentar este desafio. Ganharam cabelos brancos, noites sem dormir, incerteza em relação ao futuro, inseguro enquanto mulheres com mais de quarenta anos. O destino levou-as a pedir apoio à Dress For Success Lisboa, e foi o melhor que fizeram.  

Hoje, cada uma à sua maneira, as três ultrapassaram essa fase complicada e, mesmo com uma guerra a formar-se no horizonte europeu, acreditam que o futuro ainda lhes reserva muitas surpresas boas. Como a experiência de hoje, de serem rainhas por um dia, soberanas das suas vidas todos os dias, sendo na ACTIVA protagonistas das suas histórias. Vestidas, maquilhadas e penteadas de forma especial, bem ao jeito da Dress For Success, a convite da Apivita e da sua gama Queen Bee, e com direito a usarem um adereço exclusivo: o colar desenhado para o efeito pela joalheira Raquel Poço, com a geleia real, o elixir da vida produzido pelas abelhas-rainhas, como fonte de inspiração.

Queen Bee, o real cuidado antienvelhecimento

Uma abelha leva oito dias a chegar a rainha. Oito dias de imersão total e nutrição exclusiva com geleia real e nasce uma Queen Bee. É este o nome também da icónica gama da Apivita, nascida com a marca e com mais de 40 anos de vida, inspirada no poder da geleia real. A longevidade, no entanto, não impediu a Queen Bee de continuar a evoluir e a reinventar-se.
A nova gama Queen Bee da Apivita é ainda mais concentrada – incorpora 4 vezes mais geleia real que a sua versão anterior, que alia aos efeitos protetores e regeneradores do Própolis e do Mel – e envolve ainda maior utilização de tecnologia patenteada de libertação controlada (que oferece uma difusão contínua e duradoura da geleia real altamente concentrada), para uma melhor absorção da pele e
maior eficácia contra os sinais globais de envelhecimento. O resultado? Uma transformação visível da pele. Ao fim de 8 dias de utilização, o rosto revela um aspeto rejuvenescido.

Para um cuidado completo, a gama Queen Bee da Apivita inclui o Queen Bee Sérum (pvp 89,50€), o Queen Bee Creme de Dia (pvp 85,70€), o Queen Bee Creme de Noite (pvp 89,50€) e o Queen Bee Creme de Olhos (pvp 56,20€). Disponível em farmácias e parafarmácias.

“A gama de antienvelhecimento absoluto Queen Bee é muito especial para a Apivita. Reúne todos os resultados da tecnologia de ponta e oferece um cuidado real para a transformação visível da pele. Ao fim de 8 dias de utilização, transforma todas as mulheres em verdadeiras rainhas! Queríamos homenagear todas as Mulheres-Rainhas e existe melhor forma de fazê-lo do que com uma peça de joalharia única, exclusiva? Pensámos imediatamente na joalheira portuguesa Raquel Poço, que se inspirou nos pingos da geleia real para criar um colar elegante, intemporal, diferenciador”, explica Sara Santos, Product Manager da Apivita. “Mas quisemos ir mais longe e contribuir para que mais ‘Mulheres-Rainhas’ tenham sucesso, por isso, a associação à Dress For Success Lisboa foi muito natural, orgânica. 8% das vendas que resultarem do colar Queen Bee (um colar em prata 925 com banho de ouro de 24k, com 45 centímetros de comprimento, que pode ser adquirido no atelier da joalheira Raquel Poço e online) revertem, até Junho deste ano, para apoiar esta associação que faz um trabalho tão bonito, tão nobre, junto de várias mulheres, ajudando-as a alcançar a independência económica, fornecendo uma rede de apoio, roupas profissionais e ferramentas de desenvolvimento para ajudá-las a prosperar na vida pessoal e profissional”, conclui.

De Gatas Borralheiras a rainhas empoderadas

Todas as mulheres têm o poder de se transformar numa história de sucesso. Não podia ser uma maior verdade e a Dress For Success (DFS) – associação com origem nos Estados Unidos fundada por Nancy Lublin – leva-a bem à letra. Nancy Lublin cresceu a ouvit o pai contar, com frequência, que antes de entrevistar secretárias para o seu escritório de advogados, bastava-lhe observar as candidatas pela janela para perceber, apenas pela forma como estavam vestidas, quais aquelas que seriam contratadas. O que lhe parecia um comentário preconceituoso ajudou-a a compreender que a importância da imagem nas oportunidades de contratação é a melhor forma de ajudar as mulheres a conseguirem um trabalho.
A DFS surge da necessidade de proporcionar vestuário profissional para uma entrevista de emprego, e consequentemente investir em programas de apoio à procura e retenção de emprego, de modo a melhorar as condições de vida. Hoje, a associação, sediada em Nova Iorque, está presente em 156 cidades (Lisboa incluída) espalhadas por 30 países, tendo ajudado mais de 1.000.000 mulheres no mundo inteiro. Além de uma boutique onde são prestados serviços de aconselhamento de moda, maquilhagem e valorização pessoal por consultoras de imagem (e onde é fornecida roupa para as entrevistas de emprego), a Dress For Success dispõe ainda de um Centro de Carreiras – onde são dadas formações, treino para entrevistas, apoio na elaboração de currículos, etc. – e uma Academia de Desenvolvimento – para dotar as mulheres que procuram ajuda das ferramentas necessárias para reforçar as suas competências. Mas nada como resumir a experiência DFS por três mulheres que a viveram na primeira pessoa.
“O trabalho da Dress resume-se numa palavra: Humanismo. Esta associação faz um trabalho extraordinário ao nível da auto-estima e da confiança. A roupa é apenas a última parte do processo, embora a mais visível”, conta Margarida, que foi com a ajuda da Dress For Success que conseguiu o seu emprego atual, numa grande cadeia de retalho. “Sou muito agradecida pelo meu trabalho, tenho a idade que tenho, mas sinto que ainda tenho muito para dar. Sou um furacão”, revela.
Maria João, por sua vez, é já uma “cliente habitual” da Dress For Success. Já é a segunda vez que recorreu ao apoio desta associação, e diz que voltará as vezes que forem necessárias. “Tive o privilégio de ser apoiada pela Dress por duas vezes, primeiro em 2018, depois mais recentemente. E voltarei sempre, porque me sinto bem aqui”, acrescenta.
“Eu costumo dizer que entrei na Dress uma Gata Borralheira e saí de lá uma princesa. Ouvi as dicas de maquilhagem e de styling, levei as roupas para a entrevista, mas sobretudo levei o ingrediente mais importante que a Dress me deu: a auto-estima nos píncaros. Senti-me poderosa, e isso fez toda a diferença”, diz, por sua vez, Cardomina.

Entre uma mudança de look, um retoque na maquilhagem e um disparo dos flashes, a conversa foi prosseguindo, ao sabor dos temas que a todas interessam: o poder no feminino, a mudança premente de mentalidades na sociedade, a importância da educação das novas gerações para a igualdade de género e paridade de direitos e deveres, a importância de todas as mulheres terem uma voz e de a fazerem ouvir, o desemprego com filhos pequenos, a necessidade de investir em formação em qualquer idade. Uma conversa que daria pano para mangas, mas o tempo já escasseia. Atalhamos para um conselho final às mulheres que possam estar a passar pela situação difícil que ultrapassaram. “Temos de nos sentir agradecidas pela vida e por toda a ajuda que temos tido. Estarmos vivas e acordarmos todos os dias já é uma alegria”, arrisca Margarida. “Nós, mulheres, deviamos ser mais unidas e ajudarmo-nos mais. Muitas vezes a ajuda vem de onde menos esperamos e não há nada de errado em procurar por ela”, defende, por sua vez, Maria João. Mas é Cardomina que resume tudo numa frase: “Lutem, persistam, nunca desistam, porque não há impossíveis”. “E nunca deixem de sonhar”, acrescenta Margarida.

8 – Ou o poder de um número

* 8 dias é quanto basta para que uma abelha se transforme em Abelha Rainha

* 8 dias é quanto basta para que as mulheres sintam na pele os benefícios da gama Queen Bee da Apivita;

* 8% das vendas do colar Queen Bee, desenhado pela joalheira Raquel Poço para a Apivita, é a quantia que será doada até ao final de Junho de 2022 à Dress for Success Lisboa, que trabalha o empoderamento de mulheres em situações de fragilidade e as ajuda a integrar o mercado de trabalho.

Palavras-chave

Assine a ACTIVA e receba uma fabulosa OFERTA da LIERAC. ASSINE AQUI

Mais no portal