HPV: tudo sobre esta ameaça à saúde feminina

"Na Europa, o cancro do colo do útero mata duas mulheres por hora. Mais de 33 mil casos são detectados todos os anos, dos quais resultam 15 mil mortes, sobretudo porque este tipo de cancro é, geralmente, assintomático e muito invasivo. Trata-se de um problema de saúde pública, ao qual apenas agora se começa a atribuir a verdadeira importância", afirma Monika Hampl, obstetra alemã e uma das principais investigadoras da Sociedade Internacional do Papilomavirus.

Por seu lado, o condiloma vaginal, popularmente conhecido como verrugas vaginais, afecta mais 225 mil pessoas em cada ano que passa e é incomodativo, fonte de ansiedade e de sérios problemas nos relacionamentos interpessoais. Para além do enorme impacto na vida dos doentes, o que têm estas doenças em comum? São ambas directamente provocadas pelo vírus do papiloma humano (HPV), um vírus que ataca os tecidos da vagina, vulva, colo do útero, ânus, pénis e orofaringe.

O cancro do colo do útero não se manifesta imediatamente após a infecção. Por isso, as mulheres a quem são diagnosticadas a infecção pelos tipos 16 e 18 devem ser acompanhadas de perto pelo médico.

Como se transmite

O vírus do papiloma humano transmite-se indistintamente a homens e mulheres, em qualquer idade. É uma infecção muito comum, sendo estimado que cerca de 80 por cento das mulheres seja exposta ao vírus pelo menos uma vez ao longo da vida. A maioria elimina naturalmente o vírus do organismo, mas, quando isto não acontece, podem desenvolver-se diferentes patologias, conforme a estirpe em questão. Dentro de mais de 120 já identificados, os mais comuns são os tipos 6, 11, 16 e 18. A infecção por HPV pode acontecer através do contacto sexual, ainda que a penetração não seja necessária – e daí que o preservativo não seja garante de prevenção.

Menos frequente, mas possível, é a infecção por via não sexual, seja familiar, hospitalar e até durante a gestação e parto. O período de incubação, desde a infecção até ao desenvolvimento da doença, não é conhecido e depende da carga viral, do tipo de vírus e do sistema imunitário do indivíduo.



Testes de despite

É o seu ginecologista que lhe fará o diagnóstico. Se a doente não apresentar sintomas visíveis, o simples teste papanicolau dá o primeiro alerta, expondo o aspecto anormal de algumas células. Havendo esta suspeita, este teste pode ser completado por uma colposcopia e outras análises mais direccionadas, em busca da infecção ou de células cancerígenas ou pré-cancerígenas. Sendo um problema comum, a sua detecção pelo médico não será difícil.

A vacinação gratuita contra o cancro do colo do útero já começou nos centros de saúde. As raparigas nascidas em 1995, hoje com 13 anos, serão as primeiras a ter direito à vacina.

O condiloma vaginal

Os tipos 6 e 11 não são oncogénicos, ou seja, não estão na origem de lesõescancerígenas. No entanto, causam as chamadas verrugas, tanto na vagina como no pénis. "As verrugas são uma doença terrível, com um impacto fortíssimo nas relações, na auto-estima e na qualidade de vida em geral dos doentes", alerta Monika Hampl. O aparecimento destas formações de pele dá-se, por norma, apenas algumas semanas ou meses depois da infecção e a evolução pode ser galopante.

Conforme a situação, o tratamento poderá ir do simples creme ao tratamento laser, que poderá ou não acabar com o problema. "Tenho doentes tratadas a laser que, não só tiveram reaparecimentos no local tratado, como registaram uma propagação a áreas circundantes e até à boca, como aconteceu a uma rapariga que foi infectada pelo primeiro companheiro, aos 13 anos. Desenvolveu doença rapidamente e nunca mais foi capaz de manter uma relação normal. Hoje tem 20 anos e desistiu de ter uma vida sexual porque lhe é muito doloroso.

A pele infectada com HPV, mesmo sem apresentar verrugas, fica extremamente sensível, perde elasticidade e abre fissuras muito dolorosas." Na maioria dos casos, no entanto, a doença pode ser controlada e tratada, com monitorização regular do médico ginecologista.



Quando é cancro

O cancro do colo do útero, ou cervical, ataca a parte inferior, mais estreita, do órgão reprodutor feminino. Uma infecção por HPV não significa necessariamente que irá desenvolver cancro cervical. Mas quase cem por cento das mulheres com este cancro estão infectadas por HPV – e, em 80 por cento dos casos, dos tipos 16 e 18. Este tipo de cancro não se manifesta imediatamente após a infecção, pelo que as mulheres a quem são diagnosticadas a infecção pelos tipos 16 e 18 devem ser acompanhadas de perto pelo médico. "Na Alemanha, no Reino Unido e outros países europeus, as doentes diagnosticadas são contactadas pelas autoridades de saúde para marcar uma consulta com o seu ginecologista", sublinha Monika Hampl.

Em muitos casos, serão apenas lesões de menor grau que aparecerão. Ainda assim, devem ser tratadas e acompanhadas, porque poderão evoluir para cancro. E não só cervical: os cancros da vulva são pouco conhecidos pela opinião pública, mas existem e são tão fatais como qualquer outro. Em casos graves, o tratamento passa pela excisão de partes da vulva, do clítoris e até de toda a vulva.

Também os cancros penianos, rectais e da orofaringe estão a registar um aumento de incidência, tanto em homens como mulheres. Devido ao cada vez mais precoce início da vida sexual e variedade de parceiros, as infecções dão-se também mais cedo. Daí não ser incomum um diagnóstico de cancro cervical em mulheres com menos de trinta anos.

"É sempre triste dar uma notícia destas a uma doente, mas é particularmente difícil dá-la a uma doente jovem. Sei que existe uma grande probabilidade de não ter filhos ou morrer, devido a uma doença que pode ser prevenida com uma simples vacina. Mas anima-me bastante que as pessoas já saibam o que é o HPV e que recorram mais e mais à prevenção."



Vacina: a melhor prevenção

A vacinação contra os tipos 6 e 11 previne um maior número de doenças relacionadas com o HPV, enquanto a contra os tipos 16 e 18 previne a ocorrência de cancro. Existem duas vacinas, uma para os quatro tipos, outra só para os tipos oncogénicos. A vantagem desta última é ter um efeito mais forte. Todos os jovens, a partir dos nove anos de idade, devem ser vacinados e não existe qualquer inconveniente em ser inoculado com os dois géneros de vacina.

Veja o MITOS & VERDADES sobre o CANCRO DO COLO DO ÚTERO

Relacionados

Beleza e Saúde

Cancro de mama: quem pode salvar a sua vida?

A luta contra o cancro da mama trava-se na solidão do corpo de cada mulher. Mas a causa reúne médicos, voluntários e investigadores que salvam cada um à sua maneira. Corremos mundo à procura das pessoas que fazem com que a doença seja cada vez menos uma ameaça.

Beleza e Saúde

Mitos e verdades sobre o cancro no colo do útero

Não acredite em tudo o que ouve sobre o HPV. Saiba toda a verdade

Beleza e Saúde

Previna o cancro do cólo do útero

Esta doença mata uma portuguesa todos os dias mas pode ser erradicada.

Beleza e Saúde

Como falar de Sida aos jovens

Seis mil jovens dos 15 aos 24 anos são infectados pelo vírus da sida em todo o mundo. Não adie mais esta conversa com o seu filho.

Mais no portal

Celebridades

Simon Cowell no hospital após acidente de bicicleta

O jurado do 'America´s Got Talent' está no hospital.

Lifestyle

Unique Sushi Lab: onde comer é sempre uma (boa) surpresa

O restaurante que os amantes de sushi têm de conhecer e que ér capaz de converter mesmo os mais desconfiados em fãs da culinária japonesa. A culpa é do chef Johnny Keep.

Moda

"Eco friendly', portuguesa e trendy: esta é a marca de denim que tem de conhecer

A loja online da My Fair by Just.O disponibiliza ainda alguns best sellers da coleção primavera-verão de 2020, como o Curry Hoddie ou o camisolão oversized.

Beleza e Saúde

Aprenda a recriar esta maquilhagem perfeita para um "date" de verão

Na rubrica Beauty Spot desta semana, partilho o tutorial de um visual simples para um encontro romântico.

Beleza e Saúde

#ActivaEmCasa. O treino da semana do CrossFit Cais

Mais uma segunda-feira, mais um circuito de exercícios preparado pela personal trainer Susana Carromeu.

Moda

10 artigos da Zara que vão arrasar em qualquer destino de férias

Estes visuais prontos a usar prometem fazer furor nos seus dias de descanso.

Moda

Encontrámos as Havaianas perfeitas para dar brilho ao verão

Se é fã da famosa marca brasileira e gosta de dar um toque de brilho a tudo o que faz, vai delirar com esta novidade.

Lifestyle

6 dicas para viajar de carro tranquilamente com crianças

"Estou com fome! Quanto chegamos? Preciso de fazer xixi!" Viajar com crianças durante um longo período de tempo pode ser um verdadeiro pesadelo.

Beleza e Saúde

Afinal, o que é uma "depressão de baixo grau"?

Recentemente, Michelle Obama fez um desabafo sobre a sua saúde mental. Entenda o que se passa com a antiga Primeira-dama dos Estados Unidos.

Celebridades

Michelle Obama admite que sofre de uma "depressão de baixo grau"

A pandemia aliada a todo o clima de tensão que se vive nos Estados Unidos afetou a saúde mental da antiga Primeira-dama do país.

Celebridades

Daisy Coleman, de documentário da Netflix sobre abuso sexual, morre aos 23 anos

O caso da jovem, que se tornou uma defensora das vítimas de violação, é retratado numa série documental do serviço de streaming.

Lifestyle

Estes podem ser os motivos para continuarmos a ver filmes para adolescentes

Sim, tenho mais de 30 anos e por vezes vejo (e revejo) filmes com histórias para adolescentes. Mas sei que não sou a única!

€2,95 por edição 20% desconto  

Assine já!

Papel