Dores nas costas.jpg

Estima-se que 7 em cada 10 portugueses sofram de dores nas costas. As consequências deste mal vão muito além do desconforto pessoal: a abstinência laboral é o principal efeito colateral mas está longe de ser o único:  num estudo recente estimava-se que 14% de britânicos abdicavam das relações sexuais por causa das dores nas costas e 9% confessava já não ser capaz de brincar com os filhos ou subir escadas. Mau humor, angústia e depressão são outras consequências associadas a este problema. Ignorar estoicamente a dor não é boa ideia, porque tende a agravar-se com o tempo. 
Posturas incorretas, manuseamento de pesos, esforços físicos intensos, quedas e acidentes são as principais causas de dores nas costas. A idade é outra. Com o passar dos anos é normal aparecerem artroses, um desgaste progressivo das articulações que pode causar a diminuição de espaço entre as vértebras e um estreitamento progressivo do canal central da coluna. Os nervos comprimidos neste processo estão na origem da dor. Outra causa comum de problemas nas costas são as alterações estruturais da curvatura natural da coluna, sobretudo a escoliose.
É consensual que a prevenção e os tratamentos conservadores são sempre preferíveis à cirurgia. Controlar o aumento de peso e fazer uma reeducação postural é o primeiro passo. Ao contrário do que possa pensar, a atividade física é altamente recomendada. O sedentarismo é pior para as costas do que o exercício, que ajuda a mobilizar as articulações e a oxigenar os tecidos. O objetivo é evitar a cirurgia, indicada em casos extremos para descomprimir as estruturas nervosas. 

Quando deve preocupar-se?
“Numa parte significativa dos casos, as dores nas costas melhoram gradualmente com tratamentos simples ou medidas caseiras, acabando por desaparecer completamente ao fim de algumas semanas, com melhorias logo nas primeiras 72 horas. Quando isto não acontece, deve fazer-se uma avaliação médica porque pode ser um sinal de outra condição mais grave”, aconselha o médico de clínica geral Pedro Lopes, responsável pela rubrica ‘Médico de Família’, na SIC.


Procure o médico se a dor:
– For constante ou intensa, especialmente à noite ou quando deitada;
irradiar para um ou ambos os membros inferiores, especialmente quando se estender abaixo do joelho;
– Provocar fraqueza, entorpecimento ou formigueiro em um ou ambos os membros inferiores;
– For acompanhada de perda de peso inexplicável;
– For acompanhada de inchaço ou vermelhidão nas costas. 

Os exames, como a TAC, Raio X e ressonância magnética, ajudam a localizar o problema e a fazer o diagnóstico certo. Hérnias discais ou cervicais, calcificações (como os chamados bicos de papagaio) e contraturas musculares são assim rapidamente identificadas e localizadas. O tratamento passa geralmente pelo uso de medicamentos para a dor. Se necessário, o médico poderá aconselhar sessões de fisioterapia ou de reeducação postural. Algumas alternativas do campo da medicina não convencional também podem ajudar em casos específicos, diz Pedro Lopes: “O recurso à manipulação da coluna tem vindo a ganhar notoriedade nos últimos anos, embora sejam técnicas desde há muito conhecidas e com benefícios demonstrados, desde que feitas por profissionais habilitados e experientes.”


Fisioterapia
Faz parte da medicina convencional.  Geralmente faz-se por encaminhamento do médico assistente, ortopedista ou fisiatra, que fazem uma avaliação clínica detalhada e prescrevem os exercícios a fazer pelo fisioterapeuta.Problemas como hérnias discais não têm resolução, para além da cirurgia, mas a fisioterapia pode ajudar a descomprimir as articulações e a diminuir contraturas musculares. Uma grande vantagem da fisioterapia é ser comparticipada e estar incluída na maioria dos seguros de saúde.

 

Osteopatia
Esta terapia manual tem como princípio tratar o corpo como um todo, razão pela qual muitas vezes os osteopatas manipulam zonas do corpo longe da que lhe causa dor. As  técnicas incluem manipulações, mobilização e estiramentos, atuando nas articulações, músculos e ligamentos, órgãos internos (abdómen e tórax), tecido nervoso, vascular e linfático, tudo com o objetivo de restabelecer o equilíbrio orgânico. “O tratamento osteopático permite ao paciente conseguir uma postura correta e recuperar a harmonia corporal, promovendo o bem estar. É um trabalho muito preventivo e muito eficaz como complemento de práticas médicas”, garante Pedro Lopes, lembrando que é uma terapia reconhecida nalguns países, como a França. Tem indicação em caso de contraturas musculares, dores articulares, tendinites, dor de cabeça, dor de costas, dores agudas causadas por stresse, dores crónicas, asma… Ao contrário do quiroprático, o osteopata trabalha o corpo todo e não apenas a coluna vertebral. Três ou quatro sessões com intervalo de uma semana podem aliviar uma ciática. Preço: ronda os e50/sessão.

 

Quiroprática
Esta técnica usa apenas a manipulação da coluna vertebral com o objetivo de recuperar a capacidade motora e melhorar a resposta do sistema nervoso. O princípio subjacente é de que o realinhamento de vértebras e da postura influencia diretamente o sistema nervoso, que tem efeitos positivos na imunidade geral. Tem indicação para problemas cervicais, dorsais e lombares, dores agudas e crónicas e ciática. A dor decorrente de deficiências posturais, como lordoses, cifoses e escolioses, também pode ser tratada, assim como entorses. Duas ou três sessões ajudam a melhorar uma crise aguda, recomendando-se depois uma ou duas sessões anuais de prevenção. A federação mundial de quiroprática é parceira da OMS. Preço: ronda os e40-50/sessão. 

 

Terapia Dorn-Breuss
O método Dorn de alinhamento da coluna foi criado pelo alemão Dieter Dorn, nos anos 70. A massagem Breuss, criada pelo austríaco Rudolf Breuss, é usada como complemento para aliviar a dor e a tensão, promovendo um estiramento profundo da coluna. “Este método conjuga duas técnicas: o método de Dorn, através do qual o terapeuta corrige desvios da coluna, e a massagem de Breuss, uma massagem suave em volta da coluna que é aplicada antes de se proceder ao realinhamento”, explica Pedro Lopes. Preço: e40-50/sessão.


Terapia de Bowen
Criada pelo australiano Tom Bowen nos anos 50, esta terapia manual trabalha ao nível da fáscia – membranas que envolvem os músculos – e dos ligamentos, ativando o sistema nervoso simpático, o que promove uma sensação profunda de relaxamento. Em vez de manipular a coluna, a terapia de Bowen trata os problemas das costas através dos músculos e das fáscias que mantêm a coluna numa determinada posição. O princípio é o de que alterando a relação entre músculo e fáscia altera-se a estrutura e influencia–se a coluna. Os movimentos Bowen  são feitos de forma leve sobre a pele e em locais precisos, alguns coincidem com os meridianos da acupuntura. Recomendam-se quatro a seis sessões para o tratamento de dores nas costas. Preço: entre €30 e €40/sessão. 
www.apt-bowen.pt.


Ciática 
Quem tem, sabe bem como é esta dor que irrradia ao longo do nervo ciático, geralmente devido a uma hérnia discal ou uma calcificação que comprime parte do nervo. Também pode ocorrer na gravidez, quando o útero comprime o nervo ciático. A dor estende-se das costas até à perna, podendo passar o joelho e causar dormência na perna. 
O tratamento convencional passa por tomar anti-inflamatórios, relaxantes musculares e fisioterapia ou em caso extremo injeção de esteroides. 


Espondilose
É uma fratura de stresse na coluna lombar que pode ser causada por lesões desportivas ou acidentes. Por vezes curam-se por si mesmas, mas mais tarde, com o envelhecimento articular, podem regressar. Causa dor, que se estende ao longo da lombar e pode originar espasmos e contraturas musculares. Se houver o deslocamento de uma vértebra, pode originar uma ciática, devido à compressão de nervos. 
O tratamento pode implicar o uso de colete durante algum tempo, injeções para as dores e fisioterapia. Em casos extremos uma cirurgia pode ser necessária.

 

5 atividades boas para as costas 
Yoga: Há estudos que mostram que tem benefícios na flexibilidade e fortalecimento de músculos e ligamentos, ajudando a eliminar limites na realização de tarefas diárias.
Natação: A ausência de impacto torna-o no exercício quase perfeito para quem tem problemas de coluna. A única exceção vai para quem tenha limitações na coluna cervical.
Pilates: Desenvolve os músculos primários da barriga e das costas que são essenciais para a postura.
Tai Chi: Esta técnica milenar asiática, baseada em movimentos lentos e precisos, é uma boa opção para fortalecer a postura e contribuir para a redução da dor crónica.
Massagens: Sejam desportivas, de relaxamento, aiurvédicas, shiatsu ou de outro tipo, as massagens podem ser bastante úteis no caso de contraturas.

Relacionados

Beleza e Saúde

Quais são os segredos das pessoas que nunca adoecem?

‘Não sei como é que nunca ficas doente...’ Já disse isto a uma amiga? Não, o mérito não está nos genes nem se trata de magia. A saúde tem muito a ver com as pequenas escolhas que fazemos no dia a dia...

Beleza e Saúde

Obstipação: métodos naturais para a resolver

Diana Patrício, naturopata, fala sobre o assunto

Beleza e Saúde

5 estratégias para exercitar a memória

Ela é como um músculo: tem de a treinar ou as informações enfraquecem. Eis algumas estratégias para o dia-a-dia.

Mais no portal

Moda

Descobrimos o blusão que alia o conforto a muito estilo

Uma opção que não nos deixará passar frio a um preço acessível!

Lifestyle

Pizza doce: porque não?

Uma opção saudável para terminar a refeição.

Beleza e Saúde

Diz quem sabe: o poder do jejum intermitente numa vida mais saudável

Uma prática que traz associadas vantagens e desvantagens.

Moda

Conheça as novas máscaras Parfois

E não faltam acessórios com que as combinar.

Beleza e Saúde

Os melhores cortes de cabelo para quem não quer sacrificar muito comprimento

Aqui ficam sete sugestões que encontrámos nas rede sociais e servem de inspiração para futuros looks de outono-inverno.

Beleza e Saúde

Antibióticos: uma arma poderosa quando bem utilizada

Um artigo de opinião de Vitória Rodrigues, microbiologista clínica dos Laboratórios SYNLAB.

Beleza e Saúde

O produto de beleza que conquistou Victoria Beckham e Jennifer Lopez

Meghan, a duquesa de Sussex, também é uma grande fã.

Moda

Kate mostra como usar a tendência do estilo utilitário

O conforto é a palavra de ordem e, como sempre, Kate passou no teste com distinção.