iStock_000057969100_Large.jpg

Existe uma fase que se inicia cerca de 2 a 5 dias após o parto denominada por Baby Blues. É uma fase perfeitamente natural decorrente de um pós-parto, mas se os sintomas não desaparecem após algumas semanas ou se se intensificam, poderá estar presente uma depressão pós-parto. Este tipo de depressão pode interferir com a capacidade para cuidar do bebé, por isso é extremamente importante que se tenha ajuda imediata.

Com apoio familiar e profissional adequado, a mãe, poderá voltar com confiança ao seu papel maternal.

Baby Blues

Acabamos de ter o nosso filho e de acordo com o que nos transmitem verbal e não verbalmente, é suposto que estejamos a celebrar a chegada deste novo membro da família com os nossos amigos e família. Mas ao contrário de grandes festejos, só nos apetece chorar. Estávamos preparadas para a alegria e celebração, e não exaustão, ansiedade e choro. Certo? Estávamos preparadas para a construção de um novo amor isento de significativas problemáticas subjacentes, mas em vez disso, iniciamos essa construção quebradas numa realidade hostil e nulamente confortável.

Embora possamos não estar preparadas, estas repentinas e frequentes mudanças de humor são comuns nas mães que o foram recentemente.

O Baby blues não tem ainda uma tradução consensual. Trata-se de uma condição benigna que se inicia nos primeiros dias após o parto, com duração de alguns dias a poucas semanas. É de leve intensidade e não requer, normalmente, o uso de medicação.

A grande maioria das mães numa fase recente da maternidade experimenta pelo menos alguns sintomas decorrentes deste, nomeadamente, tristeza, dificuldade em dormir, irritabilidade, alterações do apetite e problemas de concentração.

Para terem uma noção, entre as mulheres que acabam de ser mães, aproximadamente de 50 a 85%, experienciam esta condição após o parto (Mehta e Sheth, 2006).

Desta forma, tenham a noção de que, se passarem por esta fase não é caso para alarme, pois é provável que virão a sentir-se melhores assim que as hormonas equilibrarem, sendo que, o apoio dos que a rodeiam, especialmente do seu companheiro, é essencial e suficiente para ultrapassar esta fase.

Contudo, convém estar atenta ao tempo que este período predomina na sua vida. Pois se demorar mais do que 2-4 semanas, então convém procurar apoio especializado (Psicólogo/ Médico de Família/Psiquiatra). Poderá estar perante uma Depressão pós-parto.

Depressão Pós-Parto

A Depressão pós-parto é um problema sério que não deverá ser ignorado. Contudo nem sempre é fácil distinguir entre Baby Blues e Depressão pós-parto.

No início, uma depressão pós-parto pode ser semelhante ao Baby Blues. Afinal ambas as situações partilham muitos sinais e sintomas, incluindo as alterações do humor, choro frequente, ansiedade, tristeza, insónia e irritabilidade. A diferença está na severidade e maior duração da sintomatologia no caso da depressão pós-parto.

Exemplo de alguns sinais e sintomas típicos da depressão pós-parto são:

• Falta de interesse no bebé;
• Sentimentos negativos para com o bebé;
• Grande preocupação relativamente à incapacidade de cuidar do bebé;
• Falta de interesse em si própria;
• Falta de energia e motivação;
• Sentimentos de inutilidade e culpa;
• Alterações no apetite ou peso;
• Dormir mais ou menos do que o habitual;
• Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio.

A depressão pós-parto surge normalmente pouco depois do nascimento do bebé e desenvolve-se num período de vários meses. Mas também pode surgir repentinamente, e em algumas mulheres os primeiros sinais só aparecem após vários meses de terem sido mães. Para além disso, as causas da depressão pós-parto ainda permanecem pouco claras, no entanto, são apontadas vários tipos de alterações a nível físico, psicológico e social.

Ana Vale

Enfermeira | Autora do blog “Mulher, Filha e Mãe”

Site do blog:

http://mulherfilhamae.blogs.sapo.pt/

Movimento Depressão Pós-Parto: http://mulherfilhamae.blogs.sapo.pt/movimento-o-que-e-que-tu-sabes-sobre-76842

Baby blues e Depressão Pós-parto: Duas realidades (muito) diferentes.

Como temos vindo a falar consecutivamente, existe um momento após o parto que pode vir a ser muito stressante não só para a mãe, como para o pai e toda a família envolvente e presente.

A verdade é que ter um bebé é por si só stressante! Não interessa o quanto se desejou este momento ou o quanto se ama esse filho.

Existe uma fase que se inicia cerca de 2 a 5 dias após o parto denominada por Baby Blues. É uma fase perfeitamente natural decorrente de um pós-parto, mas se os sintomas não desaparecem após algumas semanas ou se se intensificam, poderá estar presente uma depressão pós-parto. Este tipo de depressão pode interferir com a capacidade para cuidar do bebé, por isso é extremamente importante que se tenha ajuda imediata.

Com apoio familiar e profissional adequado, a mãe, poderá voltar com confiança ao seu papel maternal.

Baby Blues

Já falámos muito por aqui sobre este tema e iremos continuar a falar muito mais!

Acabamos de ter o nosso filho e de acordo com o que nos transmitem verbal e não verbalmente, é suposto que estejamos a celebrar a chegada deste novo membro da família com os nossos amigos e família. Mas ao contrário de grandes festejos, só nos apetece chorar. Estávamos preparadas para a alegria e celebração, e não exaustão, ansiedade e choro. Certo? Estávamos preparadas para a construção de um novo amor isento de significativas problemáticas subjacentes, mas em vez disso, iniciamos essa construção quebradas numa realidade hostil e nulamente confortável.

Embora possamos não estar preparadas, estas repentinas e frequentes mudanças de humor são comuns nas mães que o foram recentemente.

O Baby blues não tem ainda uma tradução consensual. Trata-se de uma condição benigna que se inicia nos primeiros dias após o parto, com duração de alguns dias a poucas semanas. É de leve intensidade e não requer, normalmente, o uso de medicação.

A grande maioria das mães numa fase recente da maternidade experimenta pelo menos alguns sintomas decorrentes deste, nomeadamente, tristeza, dificuldade em dormir, irritabilidade, alterações do apetite e problemas de concentração.

Para terem uma noção, entre as mulheres que acabam de ser mães, aproximadamente de 50 a 85%, experienciam esta condição após o parto (Mehta e Sheth, 2006).

Desta forma, tenham a noção de que, se passarem por esta fase não é caso para alarme, pois é provável que virão a sentir-se melhores assim que as hormonas equilibrarem, sendo que, o apoio dos que a rodeiam, especialmente do seu companheiro, é essencial e suficiente para ultrapassar esta fase.

Contudo, convém estar atenta ao tempo que este período predomina na sua vida. Pois se demorar mais do que 2-4 semanas, então convém procurar apoio especializado (Psicólogo/ Médico de Família/Psiquiatra). Poderá estar perante uma Depressão pós-parto.

Depressão Pós-Parto

A Depressão pós-parto é um problema sério que não deverá ser ignorado. Contudo nem sempre é fácil distinguir entre Baby Blues e Depressão pós-parto.

No início, uma depressão pós-parto pode ser semelhante ao Baby Blues. Afinal ambas as situações partilham muitos sinais e sintomas, incluindo as alterações do humor, choro frequente, ansiedade, tristeza, insónia e irritabilidade. A diferença está na severidade e maior duração da sintomatologia no caso da depressão pós-parto.

Exemplo de alguns sinais e sintomas típicos da depressão pós-parto são:

• Falta de interesse no bebé;
• Sentimentos negativos para com o bebé;
• Grande preocupação relativamente à incapacidade de cuidar do bebé;
• Falta de interesse em si própria;
• Falta de energia e motivação;
• Sentimentos de inutilidade e culpa;
• Alterações no apetite ou peso;
• Dormir mais ou menos do que o habitual;
• Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio.

A depressão pós-parto surge normalmente pouco depois do nascimento do bebé e desenvolve-se num período de vários meses. Mas também pode surgir repentinamente, e em algumas mulheres os primeiros sinais só aparecem após vários meses de terem sido mães. Para além disso, as causas da depressão pós-parto ainda permanecem pouco claras, no entanto, são apontadas vários tipos de alterações a nível físico, psicológico e social.

Ana Vale

Enfermeira | Autora do blog “Mulher, Filha e Mãe”

Movimento Depressão Pós-Parto

Já nas bancas!

Assine a ACTIVA por 6 meses a partir de 10 euros Assine já

Relacionados

Beleza e Saúde

Vamos falar sobre Depressão Pós-Parto?

O que sabe sobre um tema que afecta tantas mulheres?

Beleza e Saúde

Infertilidade: quando ter um filho é um sonho adiado (mas não impossível)

Falámos com dois especialistas da área da infertilidade, da AVA Clinic, e desmistificámos algumas das questões sobre este tema.

Beleza e Saúde

Estudo: 1 em cada 6 casais portugueses sofre de infertilidade

A Sociedade Portuguesa de Medicina de Reprodução (SPMR) decidiu fazer um estudo sobre a Fertilidade dos Portugueses

Beleza e Saúde

Filipa Fonseca Silva: O lado menos cor-de-rosa da maternidade

É publicitária, mãe de Tiago e Carlota, blogger (Crónicas de uma Fashion Victim) e publicou um livro, ‘Coisas que uma mãe descobre (e ninguém fala)’, no qual desabafa, na primeira pessoa e com muito humor, sobre o mundo da gravidez e a da maternidade, nas partes menos ‘cor-de-rosa’ que descobriu à sua custa.

Beleza e Saúde

Grávidas têm agora uma app gratuita com tudo o que precisam

A marca promete revolucionar o acompanhamento da maternidade

Mais no portal

Moda

Novidades Parfois: os dois visuais completos que nos vão tornar verdadeiras "influencers"

Da cabeça aos pés!

Celebridades

Que decote é este, Kourtney Kardashian?

Não, não é na zona do peito.

Moda

Harry Styles quebra preconceitos com os seus visuais nos BRITS Awards

Harry Styles esteve presente na entrega de prémios da música britânica em Londres.

Moda

Estas leggings são o incentivo que faltava aos nossos treinos

Moda

Óculos escuros: os modelos mais desejados para esta primavera

É um acessório indispensável e pode ser usado em todas as ocasiões.

Moda

Victoria's Secret vendida a fundo de investimento por quantia milionária

A Victoria's Secret voltará a ser uma empresa privada, com capital fechado.

Celebridades

Tudo o que Meghan vai poder voltar a usar ao deixar a casa real britânica

Unhas coloridas, vestidos curtos ou sandálias abertas são algumas das opções.

Celebridades

"O maior arrependimento da minha vida": é assim que Ben Affleck descreve o seu divórcio com Jennifer Garner

Jennifer Garner e Ben Affleck estão separados desde 2015.

Moda

Letizia usa capa oversize da Zara que é um must-have da estação

A rainha esteve presente na sede da UNICEF em Madrid.

Comportamento

Voz ACTIVA Podcast: Margarida Vieitez e Patrícia Matos revelam-nos o lado menos conhecido de 24 personalidades nacionais

As autoras do livro 'Sucesso Emocional' entrevistaram 24 personalidades para tentar compreender como gerem as emoções.

Celebridades

Aos 16 anos, Millie Bobby Brown faz desabafo sobre hipersexualização

A atriz de "Stranger Things" diz-se frustrada pelo tratamento que recebe da imprensa.

Moda

Meghan Markle e os seus sapatos feitos a partir de garrafas de água

Meghan tem privilegiado o uso de marcas de moda mais sustentáveis.

Assine a ACTIVA por 6 meses a partir de 10 euros

Já nas bancas!

Assine já