Num ano que nos coloca tantos desafios, como o ano de 2020, é necessário mantermo-nos atentos e não descurarmos a rápida identificação e adequado tratamento dos doentes com AVC.  É essencial no Dia Mundial do AVC, assinalado a 29 de outubro, relembrarmos a importância de instruir a população para os sinais de alarme.

Durante a fase inicial da pandemia,  na maioria dos hospitais, o circuito dos doentes da VVAVC não sofreu grandes alterações, mantendo-se assim ativo e em pleno funcionamento o tratamento de fase aguda. Verificou-se, no entanto, uma diminuição acentuada do número de doentes com AVC que recorreram ao hospital, o que levou a um decréscimo do número de doentes tratados quer com fibrinólise, quer com trombectomia mecânica.

Não há explicação para esta diminuição do número de casos, o que é preocupante. Sabemos que a COVID-19 aumenta o risco de eventos trombóticos, o que deveria levar a um aumento do número de AVC. No entanto, num inquérito realizado a 32 hospitais portugueses, cerca de metade teve diminuição do número de doentes internados por AVC em cerca de 25-50%. Será que alguns doentes com sintomas menores, por receio de serem contaminados, não recorreram aos cuidados de saúde? Ou porque os doentes, estando em casa com menos stress e melhor adesão a terapêutica, tiveram menos eventos?

Se é verdade que, neste momento, deve ser reforçada junto da população a importância do confinamento, é igualmente premente lembrar que o 112 deve ser ativado sempre que for identificado um dos sinais de alerta de AVC (face descaída, perda de força no braço/perna ou alteração da fala), de modo a permitir que os doentes sejam orientados para uma unidade hospitalar que permita realizar o tratamento de fase aguda adequado, pois a rapidez de atuação é fundamental para que se possa evitar sequelas.

Além da procura de cuidados de saúde em casos de sinais e sintomas de alerta, deve ser reforçada a indicação, aos doentes, para manter a terapêutica habitual para controlo de fatores de risco vascular (anti-hipertensores, estatinas, antiagregantes plaquetários, anticoagulantes e terapêutica para diabetes). Não existe, atualmente, qualquer indicação para suspender nenhuma das terapêuticas previamente prescritas.

É também essencial garantir o acesso à reabilitação. No início da pandemia, a reabilitação a estes doentes foi suspensa na sua quase totalidade. Segundo um inquérito divulgado pela Portugal AVC, 91% dos doentes com indicação para cuidados de reabilitação, entre 20 e 27 de abril, afirmaram ter sido obrigados a interromper os tratamentos ou não ter tido possibilidade de os iniciar. Houve doentes com enorme potencial de recuperação que, infelizmente, não tiveram acesso a esses cuidados.

Temos de garantir a assistência na sua plenitude a doentes com e sem COVID-19. É assim fundamental permitir que os serviços tenham capacidade para tratar os doentes infetados com SARS-CoV2 e os não infetados. Para que isso aconteça tem de haver um adequado investimento, quer em recursos humanos quer em meios materiais, para evitar o colapso do SNS perante este enorme desafio

Palavras-chave

Relacionados

Beleza e Saúde

Outubro Rosa: saiba como fazer uma palpação correta da mama

Um especialista da plataforma Doctorino ensina os passos essenciais para um autoexame de rastreio do cancro da mama.

Beleza e Saúde

10 formas de fortalecer a nossa saúde em menos de um minuto

Confira estas dicas eficazes (e rápidas) que devem fazer parte da sua rotina.

Beleza e Saúde

Como a densidade mamária pode dificultar o diagnóstico de cancro da mama

Mais no portal

Mulheres Inspiradoras

#SairParaVotar. Fotógrafa portuguesa lança campanha online de apelo ao voto

"É um projeto fotográfico e a decisão do futuro", escreveu Inês Costa Monteiro nas redes sociais.

Beleza e Saúde

Afinal, o que é skinimalism?

Esta será uma das grandes tendências de cuidados de pele para 2021.

Moda

Estas bailarinas provam que o calçado vegan está na moda

Estes três novos modelos, que fazem parte da coleção vegan de uma marca nacional, são criados à mão por mestres sapateiros portugueses e feitos a partir de faux leather.

Lifestyle

Home staging: como (bem) decorar uma casa para vender ou arrendar

Com a ajuda do Habitissimo, explicamos como pode preparar um imóvel em apenas cinco passos.

Faits Divers

O simbolismo da onda roxa que vimos na tomada de posse de Joe Biden

A cor que marcou a cerimónia no Capitólio serviu para transmitir várias mensagens importantes.

Moda

Lily Collins mostra como usar um cardigã com muito estilo

A protagonista de "Emily in Paris" foi fotografada a usar uma peça acessível de uma marca que conhecemos bem.

Moda

Conheça três tendências que já chamam pela primavera

Diz Quem Sabe

Barriga inchada depois das festas? O motivo pode não ser assim tão óbvio

Um artigo de opinião assinado por Rita Verdasca, nutricionista nos Laboratórios SYNLAB.

Finanças de A a Z

Tudo o que deve saber antes de contrair um crédito pessoal

Este é o tema do novo episódio da rubrica Finanças de A a Z.

Faits Divers

A relação das mulheres com o batom vermelho está enraizada na História

A cor é conhecida por aumentar instantaneamente a confiança de muitas mulheres, mas também é um símbolo histórico de poder.

Beleza e Saúde

Eis um grande aliado da libido e fertilidade

É natural, acessível e rico em nutrientes essenciais ao nosso bem-estar.