Pão: feito em casa ou comprado no supermercado?





Uma vantagem importante de preparar o pão em casa reside no facto de se poder adequar o teor de sal (infelizmente, só agora se está a trabalhar numa directiva que vise a redução do sal adicionado pela indústria panificadora) e escolher farinhas menos refinadas (com mais fibra). De facto, o pão «integral», ou seja, aquele que é feito com farinhas nada ou pouco refinadas, é mais rico em fibras e, para além de em média ter um valor calórico mais baixo, é também mais saciante. Provavelmente já notou que fica mais saciado com um pãozinho integral do que com uma carcaça branca…



Preparando o pão em casa, permite variar o tipo de farinhas usadas, o que é particularmente útil para quem sofre de algumas patologias gastro-intestinais (doença de Crohn, síndrome do cólon irritável, etc.). A escolha de farinhas sem glúten (ou com teor reduzido) e a preparação de pão sem fermento são alguns exemplos das vantagens obtidas com estes aparelhos.





Mas se as máquinas de fazer pão nos permitem preparar pães mais equilibrados e nutritivos, também é possível adicionar uma série de ingredientes às receitas, que podem fazer disparar os valores calóricos: nozes, avelãs, leite, ovos, ou passas são alguns dos «extras» que podem tornar o pão muito saboroso, mas mais calórico. Como em tudo na vida, nem oito nem oitenta: aprenda a incluir na sua alimentação estes pães mais elaborados, para que possa desfrutar do prazer de os comer sem comprometer o seu peso!





Lembre-se que um pão rico em fibras, com pouco sal e sem excessos no acompanhamento (manteiga, queijo, doce, etc.) deve fazer parte de uma alimentação variada, equilibrada e saborosa… Afinal, quem resiste a um bocado de pão quente acabado de fazer?!







Assine a ACTIVA e receba uma fabulosa OFERTA da LIERAC. ASSINE AQUI

Relacionados

Mais no portal