Fred Farrugia: a reinvenção da maquilhagem

Ele é um dos maquilhadores mais talentosos da sua geração e foi director artístico da maquilhagem Lancôme durante 8 anos, até decidir lançar a sua própria marca. Que na verdade é todo um sistema inovador de paletas-módulos, totalmente personalizável, giro, prático e facílimo de usar, graças a texturas extraordinárias que se podem aplicar até com o dedo e num ápice.

A marca, que se chama Fred Farrugia como o seu criador, estará à venda a partir de Outubro, em exclusivo nas lojas Sephora, mas já a descobrimos e mostramos como é na ACTIVA de Outubro. Se adora maquilhagem, não perca essa edição, até porque ela dá-lhe a oportunidade de se candidatar a ser responsável da marca Fred Farrugia em Portugal, trabalhando na Sephora.

Entretanto, vá abrindo o apetite para esta apetitosa maquilhagem, lendo a entrevista com o maquilhador e vendo as fotos.

Qual foi a sua inspiração para fazer esta gama?

A minha inspiração foram as mulheres, como sempre aliás. A diferença desta vez é que me servi da minha experiência total: desde o princípio da minha carreira até ao meu último dia na Lancôme. A Lancôme deu-me a possibilidade de aprender a criar matérias e cores, mas ensinou-me, sobretudo, a estar atento às mulheres e às suas expectativas. E é por isso que a minha marca não é futurista nem passeísta, mas verdadeiramente de hoje, para responder realmente às necessidades das mulheres de hoje.





E levou bastante tempo a desenvolvê-la…

Cinco anos. Na verdade, ainda antes da minha saída da Lancôme, apercebi-me de que começava a ter limites que já não me permitiam ir realmente ao fundo da minha inspiração.



Porque tinha de criar para aquela marca, à imagem da marca…

Exactamente. O papel de um director artístico não é vampirizar a marca para a qual trabalha, mas pelo contrário valorizá-la. Nessa altura percebi que a única forma que eu tinha para continuar e ir realmente ao fundo das coisas, era criando a minha própria marca. Então, completamente naíf, habituado aos meios incríveis da Lancôme para criar o que queria…



Bastava-lhe levantar o dedo…

E levantar só até metade! (risos). Portanto na minha cabeça, até porque era mais jovem na época, achava que no ano seguinte iria apresentar a minha gama. Ora… nada disso. Não tinha meios, tudo era feito em minha casa, que se transformou em atelier/laboratório, tudo era feito lá, as cores, as texturas… E tudo somado durou 5 anos. Porque cada vez que chegávamos a uma conclusão ou um produto, op! percebíamos que era preciso criar mais outra coisa para que a história ficasse completa. De modo que o processo não chegava ao fim…! Mesmo neste momento ainda estou a criar (risos)… Mas é verdade que é preciso que as coisas atinjam a sua maturação, tudo pronto e coerente de A a Z, que o mínimo detalhe tenha sido pensado.



Como é que pensou no Ora Ito para fazer as embalagens?

Na verdade, tudo nesta marca se passou de forma um pouco mágica, e com base em encontros fortuitos. Quando saí da Lancôme, tinha o meu conceito na cabeça e a primeira coisa que fiz foi tentar encontrar fabricantes de embalagens. Contactei todos os fabricantes do planeta, todos. E todos me propunham as mesmas coisas, que já estavam mais que vistas em todo o lado, de tal forma que a certa altura pensei, pronto, o meu sonho acaba aqui. Resolvi então tirar umas pequenas férias, fazer uma pausa para esquecer tudo, e fui para Marselha, onde apanhei um barco para uma pequena ilha alí ao largo. E nessa ilha, um rapaz chega-se ao pé de mim e pergunta: é o Fred Farrugia? Eu disse que sim e ele apresentou-se: Ora Ito. Eu fiquei pasmado porque achava que o Ora Ito era japonês, quando na verdade ele é marselhês. Na época conhecia-se bem o seu trabalho mas não o seu rosto. Confessámo-nos fãs do trabalho um do outro, na semana a seguir encontrámo-nos para falar sobre o meu projecto e dois dias depois ele apresentava-me as minhas embalagens. E a história começou.



Neste projecto todo, o que foi mais difícil criar ou afinar?

Eu diria tudo… Tudo foi muito difícil. Para cada textura escolhi um fabricante, que para mim era o melhor pela sua especialidade. E escolhi-os em função do trabalho que eram capazes de fornecer, mas sobretudo pela sua motivação. Porque eu sabia o que lhes ia pedir. Para eles foi terrível ao princípio, porque eu destrui toda a concepção… toda a visão deles do que é uma base ou um batom, por exemplo. Ignorei todos os interditos – porque há coisas que não é possível fazer em química – e obriguei-os a eliminar todos os componentes que eles usam habitualmente e a substituí-los por outros. Eles diziam que era impossível, que nunca iria resultar, mas lá experimentavam e tornavam a experimentar até finalmente funcionar. E foi assim para todos os produtos e todas as texturas. Uma cor demorava 3 semanas a criar! Foi uma loucura.



Qual é a diferença das suas texturas face às outras existentes no mercado?

Por exemplo, a maior parte das bases são feitas à base de óleo e de silicone, e é por isso que os sentimos sobre a pele. O silicone pode ser óptimo para certos produtos, mas infelizmente se colocarmos pó por cima temos a impressão de ter uma espessura sobre a pele e, além do mais, não camufla e anula a personalidade. Por isso mandei retirar os componentes oleosos e substituí-los por ceras vegetais, que permitiram tornar o produto ‘inteligente’: a cera, em contacto com o calor dos dedos e do pincel, funde-se e torna-se cremosa, criando uma segunda pele, sem fazer demarcações, deixando transparecer o que deve transparecer, como as sardas ou os sinais, mas camuflando tudo o resto. Por exemplo nos glosses e nos batons também usei ceras porque queria ter o resultado de um líquido mas em forma de pasta. E aqui mais uma vez, o calor dos dedos e do pincel torna-os líquidos. No pó, mandei retirar todos os componentes de talco e substituí-los por mica transparente, porque tenho horror da pele ‘aprisionada’ pela maquilhagem e com este pó… vivemos com ele sem dar por ele. O segredo está na mica, que capta realmente a luz e é de uma transparência tal que podemos mesmo aplicá-lo com os dedos, coisa qué impossível com outros pós. Para as sombras, eu queria cremes que fossem empoados, mas não queria sombras-creme. Então mais uma vez retirei o talco para o substituir por óleo, porque ao contrário da base, a presença do óleo nas sombras permite fazer degradês e esfumar sem ser preciso ser maquilhador ou super especialista. Aplica-se com o dedos, podemos misturar as cores umas com as outras, sobrepô-las…



Qual é o produto da gama no qual tem mais orgulho?

Todos! (risos) Mas se tivesse de destacar um seria a base, que é realmente incrível.



Tem algum conselho para as nossas leitoras para elas tirarem mais partido da sua gama de maquilhagem?

Esqueçam as técnicas, divirtam-se com os produtos, experimentem, metam-lhes os dedos para compreender realmente o benefício e a diferença destas texturas. Porque quando olhamos para os produtos sem lhes tocar podemos pensar que é uma maquilhagem como outra qualquer, mas não é. E é por isso que, justamente, é preciso tocar-lhe e mexer-lhe com os dedos.

Assine a ACTIVA e receba mais 6 meses grátis. Garanta uma boa leitura durante as suas férias e relaxe. Conheça todas as opções e não perca esta oportunidade. ASSINE AQUI

Relacionados

Mais no portal

Mais Notícias

Passageira morre horas depois da descolagem e passa tempo restante do voo no seu lugar ao lado do marido e dos filhos

Passageira morre horas depois da descolagem e passa tempo restante do voo no seu lugar ao lado do marido e dos filhos

Mantém-se uma frente ativa e

Mantém-se uma frente ativa e "preocupante" na serra da Estrela

Ganha uma consola Nintendo Switch

Ganha uma consola Nintendo Switch

Raquel André: Uma Língua Portuguesa afiada

Raquel André: Uma Língua Portuguesa afiada

Quanto custa uma noite de aniversário como a do Lourenço Ortigão?

Quanto custa uma noite de aniversário como a do Lourenço Ortigão?

Se acha que esta crise é igual às outras, não está a prestar atenção

Se acha que esta crise é igual às outras, não está a prestar atenção

Criador de Breaking Bad quis fazer um jogo ao estilo GTA inspirado na série

Criador de Breaking Bad quis fazer um jogo ao estilo GTA inspirado na série

Data, local e bolo: Os detalhes do casamento de Bruno de Carvalho e Liliana Almeida

Data, local e bolo: Os detalhes do casamento de Bruno de Carvalho e Liliana Almeida

De malas feitas

De malas feitas

Profissionais de saúde pedem escusa devido a

Profissionais de saúde pedem escusa devido a "pressão e condições sub-humanas" - IL

A internacionalização como meta para os empresários

A internacionalização como meta para os empresários

Cristina Ferreira vai apresentar casamento de Bruno de Carvalho e Liliana Almeida

Cristina Ferreira vai apresentar casamento de Bruno de Carvalho e Liliana Almeida

Livros-jogos para as férias

Livros-jogos para as férias

Morreu o estilista japonês Issey Miyake

Morreu o estilista japonês Issey Miyake

Brain Snack: O que é a Síndrome de Ramsay Hunt, que paralisou Justin Bieber

Brain Snack: O que é a Síndrome de Ramsay Hunt, que paralisou Justin Bieber

Secretário de Estado fala em

Secretário de Estado fala em "prejuízo enorme" a nível ambiental na serra da Estrela

Cláudia Vieira deslumbra em biquíni

Cláudia Vieira deslumbra em biquíni

JL 1348

JL 1348

‘Jato gigante’ emite volume recorde de energia para o espaço

‘Jato gigante’ emite volume recorde de energia para o espaço

Cata Vassalo e Rita Patrocínio juntas em coleção de joalharia sobre a amizade

Cata Vassalo e Rita Patrocínio juntas em coleção de joalharia sobre a amizade

O

O "tubarão do imobiliário" na capa de Agosto da EXAME

Festival Periferias: Cinema e música dos dois lados da fronteira

Festival Periferias: Cinema e música dos dois lados da fronteira

"Dias de Sol": sugestões de decoração para aproveitar o verão ao ar livre

Entrevista a Fernando Mendes, apresentador de 'O Preço Certo'

Entrevista a Fernando Mendes, apresentador de 'O Preço Certo'

Meghan, Harry e os Beckham: o que motivou o desentendimento?

Meghan, Harry e os Beckham: o que motivou o desentendimento?

Xiaomi apresenta robô humanoide CyberOne

Xiaomi apresenta robô humanoide CyberOne

17 ideias para fazer no Algarve, do Barlavento ao Sotavento

17 ideias para fazer no Algarve, do Barlavento ao Sotavento

CARAS Decoração de agosto: casas inspiradoras

CARAS Decoração de agosto: casas inspiradoras

E o mar aqui tão perto: 11 bares de praia à volta de Lisboa e do Porto

E o mar aqui tão perto: 11 bares de praia à volta de Lisboa e do Porto

EUA oferecem recompensa de 10 milhões por informações sobre gangue de ransomware

EUA oferecem recompensa de 10 milhões por informações sobre gangue de ransomware

A história do Ballett Gulbenkian

A história do Ballett Gulbenkian

Bastonário dos médicos apela ao Presidente da República para ajudar a transformar o SNS

Bastonário dos médicos apela ao Presidente da República para ajudar a transformar o SNS

O visual inesperado de Letizia em Palma de Maiorca

O visual inesperado de Letizia em Palma de Maiorca

Água da chuva já é imprópria para beber em todo o planeta

Água da chuva já é imprópria para beber em todo o planeta

19.643 infeções e 62 mortes devido à covid-19 entre 02 e 08 de agosto

19.643 infeções e 62 mortes devido à covid-19 entre 02 e 08 de agosto

Conduzimos o Nissan Ariya em Estocolmo

Conduzimos o Nissan Ariya em Estocolmo

Matosinhos destrói mais 35% de ninhos de vespa-asiática de janeiro a agosto do que em 2021

Matosinhos destrói mais 35% de ninhos de vespa-asiática de janeiro a agosto do que em 2021

Campeão do Mundo vai competir no Eco Rally de Proença-a-Nova

Campeão do Mundo vai competir no Eco Rally de Proença-a-Nova

Solar Car Charging Palm, estações de carregamento alimentadas a energia solar

Solar Car Charging Palm, estações de carregamento alimentadas a energia solar

Relação entre Maitê Proença e Adriana Calcanhotto chega ao fim

Relação entre Maitê Proença e Adriana Calcanhotto chega ao fim

A Smiley faz 50 anos e está por todo o lado

A Smiley faz 50 anos e está por todo o lado

Estilista Zac Posen está noivo

Estilista Zac Posen está noivo