Nutryplan quer colocar portugueses a comer melhor!

A conclusão não é nova: que a obesidade é fator de risco para o cancro, já se sabe há muito. Mas um novo estudo mostrou que emsmo uma pequena perda de peso pode influenciar os níveis hormonais que contribuem para o desenvolvimento do cancro.

Cada vez mais, perder peso é uma questão de saúde e não apenas de estética. Um estudo do Fred Hutchinso Research Center, em Seattle, analisou 439 mulheres. Em média, as que faziam dieta e exercício perderam 10% do seu peso. Os cientistas mediram os níveis de estrogéneo e testosterona, hormonas relacionadas com o aparecimento do cancro da mama.

70% dos tipos de cancro da mama são hormono-dependentes, ou seja, alimentam-se de estrogéneo para sobreviverem. O estrogéneo está por sua vez ligado à produção de gordura no corpo. Daí que a obesidade apareça como factor de risco para desenvolver cancro de mama.

Neste estudo, os níveis hormonais desceram entre 10 e 20% nas mulhrees que perderam peso. Mesmo que uma mulher perdesse apenas 5% do seu peso, isso já significaria menos probabilidade de desenvolver um tipo de cancro hormono-recetivo.

Os investigadores recomendam um tipo de vida que inclua dieta e exercício físico para se manter dentro do peso recomendado, embora, obviamente, nada disto garanta que não se venha a desenvolver algum tipo de cancro.

De qualquer maneira, no ano passado, um estudo do Cancer Research Centre no Reino Unido provou que 134,000 casos anuais de cancro poderiam ter sido evitados se se tivessem tomado medidas básicas de prevenção.

Tabaco, obesidade, alcool, e falta de exercício são os quatro inimigos principais da saúde, e os quatro ‘amigos’ do cancro.

Palavras-chave

Assine a ACTIVA e receba uma fabulosa OFERTA da LIERAC. ASSINE AQUI

Relacionados

Mais no portal