126242530.jpg

Nunca se questionou de onde lhe vem a vocação inata para a pintura, para a expressividade oral, ou para fazer contas de cabeça ou resolver equações do 5.º grau? Se pensar que esse jeito, que sempre levou na brincadeira, se transformou em gosto e moldou o seu percurso profissional, talvez a origem esteja no tipo de inteligência que você possui.

Até há pouco tempo, acreditava-se de que a inteligência poderia ser medida através do simples teste do QI (Quociente de Inteligência), que mede apenas um determinado tipo de inteligência: a lógica. Durante anos a fio, o teste de QI serviu para analisar a inteligência lógica e linguística, determinando e catalogando as pessoas em função do mesmo e não colocando a hipótese de existirem outros tipos de inteligência. As empresas utilizavam-no para recrutar pessoal, ciente de que os seus resultados conduziriam a trabalhadores com o perfil adequado e determinariam se a pessoa que temos à nossa frente, é ou não, inteligente. Mas não será este teste redutor das nossas verdadeiras capacidades?


O homem das sete inteligências

Foi em 1983 que o americano Howard Gardner provocou uma pequena revolução quando publicou o livro ‘A teoria da inteligências múltiplas’ no qual afirmava que cada um de nós possui, em maior ou menor grau, vários tipos de inteligência apesar de haver uma que prevalece sobre as outras menos ‘trabalhadas’.

Segundo este professor da Universidade de Harvard, só esse facto poderia explicar porque é que há várias pessoas, que possuem baixos resultados no teste de QI, conseguem ser bem sucedidas em diversas áreas profissionais.

A inteligência, segundo Gardner, não é mais do que ‘A capacidade para resolver problemas ou elaborar produtos valorizados num ambiente cultural ou comunitário’. Para este teórico, todos nascemos com vários potenciais, mas devido às relações que estabelecemos com o ambiente que nos rodeia e a cultura com que somos confrontados, somos levados a desenvolver determinadas vertentes da nossa inteligência em detrimento de outras. No fundo, cada um de nós pode alcançar um respeitável nível de competência para cada habilidade cerebral, sempre que tenhamos o estímulo e a formação necessárias. E isso é o que nos faz ao longo da vida, desenvolver as ferramentas necessárias para resolvermos os mais diversos problemas e situações.

Para este professor são sete os diferentes tipos de inteligência que podemos desenvolver: Verbal ou Linguística, Lógico-Matemática, Cinestésica Corporal, Espacial, Musical, Interpessoal e Intrapessoal.


De Mozart a Gandhi

Saber em que tipo de inteligência nos encaixamos, até pode ser aparentemente fácil. Basta olharmos para aquilo que nos moldou a vocação e nos fez seguir um determinado trajecto profissional. No entanto, apesar de acharmos que podemos facilmente catalogar a nossa mente numa determinada categoria, podemos sempre revelar talentos desconhecidos, que não são tão evidentes.


Senão imagine, o que teria sido de Mozart se a sua genialidade musical tivesse sido completamente ofuscada por um teste psicotécnico revelador de uma inteligência pobre a nível linguístico e matemático? Ou até mesmo os génios da pintura como Van Gogh ou Gaugin? E o que teria sido de Einstein, que na escola era um péssimo aluno, mas que foi quem descobriu a teoria da relatividade? Este tipo de talentos implica um determinado tipo de inteligência dominante, onde também entram em linha de conta a lógica, mas igualmente os condicionalismos ambientais e culturais.


Segundo Gardner, a inteligência linguística pode ser exemplificada pelos grandes escritores; a do corpo é revelada através dos atletas; mas também existe a inteligência que nos permite compreender os outros, da qual Freud, o pai da psicanálise, é um bom exemplo; a da solidariedade e da paz, como Gandhi; ou a intrapessoal, que nos permite compreender profundamente o nosso próprio ser, como o escritor Proust.


(Re)Descubra os seus talentos

Antes de deitar contas à vida, sobre qual o tipo de inteligência que lhe tocou, leia em pormenor o que caracteriza cada uma delas, e esteja atenta ao tipo de profissões ou de talentos para o qual poderá estar mais apta.


É aquela que nos ‘persegue’ desde sempre e que geralmente aparece nos testes psicotécnicos que tanto odiamos por nunca conseguirmos acabar tudo dentro do tempo limite. As pessoas que revelam uma capacidade lógico-matemática têm propensão para contas e tratam os números por tu. São rápidas no cálculo mental, possuem a excelente capacidade prática de solucionar problemas que envolvam números e são capazes de pensar de forma abstracta. Geralmente descobrem sempre quem é o criminoso de um filme de mistério, quando ele ainda se encontra no início da trama e quantificam os problemas quotidianos de forma surpreendente. São muito curiosos com o mundo que os rodeia, fazem muitas perguntas que começam com ‘porquê’ e adoram fazer experiências.

Profissões: Cientistas, matemáticos, engenheiros, gestores informáticos.

As palavras são o seu mundo. Adora falar, escrever, ler e tem enorme facilidade em expressar-se? Memoriza termos, faz palavras cruzadas com a mesma facilidade que declama um poema de Fernando Pessoa, e não tem qualquer tipo de dificuldade em utilizar a linguagem como vínculo de expressão e em comunicar com os demais. A sua inteligência permite-lhe lidar de forma criativa com as palavras. Tem muito jeito para contar histórias, para dar explicações e lembra-se bem do que lhe contaram – até das palavras exactas – nem que tenha sido há 30 anos.

Profissões: Professores, jornalistas, escritores, actores, advogados, tradutores e criativos.

– Inteligência Cinestésica-Corporal:

Utiliza o corpo como forma de expressão, possui agilidade, destreza e flexibilidade corporal suficiente para o utilizar como potencial de trabalho e resolver problemas. Como refere Gardner, “Há pessoas portadoras de uma inteligência física equivalente às suas aptidões linguísticas ou numéricas.” Os portadores deste tipo de inteligência, são possuidores de coordenação corporal, equilíbrio e rápidos reflexos. Têm muito jeito para manejar objectos e executar tarefas com eles que exijam muita precisão e destreza manual.

Profissões: Desportistas, artesãos, cirurgiões ou bailarinos.

– Inteligência Espacial:

Este tipo de inteligência caracteriza-se em pessoas que possuem um sentido de orientação muito apurado. Pessoas que decoram facilmente o caminho numa cidade que nunca visitaram antes na vida, que vêem o Mundo facilmente esquematizado, quase a três dimensões. A noção do espaço e da direcção está sempre bem presente, há como que uma visualização imediata de um sítio, ou projecto.

Profissões: Marinheiros, arquitectos, escultores ou decoradores

– Inteligência Musical:

Os ritmos, os sons, a vibração, os acordes e as notas musicais não possuem segredos para as pessoas dotadas de uma inteligência musical. Facilmente constroem melodias, inventam sinfonias, reconhecem e distinguem sons muito semelhantes entre si ou decoram com grande facilidade letras e músicas. Conseguem fazê-lo com a mesma facilidade dos que possuem uma inteligência lógica ou linguística. Pessoas com uma inteligência musical necessitam de estar rodeadas de som, cantam com frequência, cantarolam e aprendem a tocar instrumentos com facilidade.

Profissões: Músicos, compositores, cantores

– Inteligência Interpessoal:

É a capacidade de conhecer o mundo através do ponto de vista de outra pessoa, de se pôr no seu lugar. Pessoas que possuem a capacidade de compreensão, de aceitar o próximo, de ajuda e de solidariedade, intuem a personalidade, as motivações e intenções dos que a rodeiam. Este tipo de pessoas disponibilizam-se, são voluntariosas e nunca metem o seu próprio ego como uma prioridade. São impulsionadores, activos e solidários.

Profissões: Psicólogo, médico, enfermeiro e até político

– Inteligência Intrapessoal:

Se possui um conhecimento profundo sobre o seu si próprio, consegue definir-se sem se enganar a si mesmo, possui um alto nível de compreensão, auto-disciplina e auto-estima, então você possui uma inteligência intrapessoal, que lhe permite administrar os seus sentimentos e emoções tendo em conta os seus projectos e objectivos, consegue identificar os seus pontos fortes e as suas fraquezas.

Profissões: Não estando orientada para nenhum tipo de profissão em particular, tem propensão para todas elas, principalmente aquelas onde é suposto controlar os seus impulsos e emoções. Este tipo de inteligência pode ser encontrada em muitíssimas pessoas, misturada com outros tipos de inteligência dominante. Pode sempre dar um excelente investigador, filósofo (se bem que é cada vez mais raro) ou teórico.

Assine a ACTIVA

Assine a ACTIVA e deixe-se inspirar com a oferta que preparámos a pensar em si. ASSINAR

Relacionados

Beleza

Como passar a dormir bem... sem comprimidos!

Não é só o sonho que comanda a sua vida: o sono também. Precisa dele para regular as hormonas, controlar o apetite e aprender. Siga as indicações dos especialistas para conseguir um sono de maior qualidade.

Beleza

Vampiros emocionais: defenda-se de quem lhe suga a energia

E se lhe dissessem que os vampiros, afinal, existem? Não dormem em caixões nem nos sugam as carótidas: pior, sugam-nos vitalidade, deitam-nos abaixo, destroem-nos. Saiba já como descobri-los e como se defender deles.

Beleza

Verão em família: aprenda a sobreviver!

A dois ou a 15, em casa ou na Ilha das Tartarugas, as férias em conjunto costumam ser um stresse. Mas não há mal sem solução: com primos ou sem primos, com bebé ou sem bebé, com tartarugas ou sem tartarugas, está de férias! Aproveite-as!

Beleza

Entrevista com Victor Rodrigues

Na edição de Setembro da Activa para o artigo, “Não se sinta mal por estar triste”, falámos com o psicólodo Vítor Rodrigues. Leia aqui a entrevista na íntegra.

Beleza

Como resolver os mini-desastres de verão

Não é nada que arruine umas férias, mas se não mata, às vezes pode moer a paciência ao mais calmo...

Beleza

10 conselhos para melhorar a sua vida

Não é um manual de auto-ajuda: são dez dicas muito fáceis de pôr em prática que lhe permitem diminuir o stresse, ganhar tempo para si e desfrutar do simples facto de estar viva.

Beleza

Como ter confiança… aos 20, 30, 40 e 50

Há coisas que vamos aprendendo ao longo da vida, e uma delas é a gostar de nós... Ou não? Conheça alguns retratos de fases por que passamos no caminho da confiança.

Beleza

O que não pode deixar de fazer este verão!

Deitar-se à sombra a dormir? Pois também, mas há tanta coisa interessante, original e fácil que se pode fazer para tornar mais divertidos os dias de calor.

Beleza

25 coisas de que nunca nos devemos sentir culpadas

Todas nós passamos o dia a fazer e dizer coisas de que depois nos arrependemos. Mas algumas ‘culpas’ são mesmo inúteis: porque nos sabem bem, porque são humanas, porque não fazem mal a ninguém, ou porque até nos fazem rir…

Beleza

Porque é que os homens não choram?

Chorar é sempre sinal de emoção, de sensibilidade, de alegria, de tristeza e até de um riso descontrolado. E as mulheres sabem-no melhor do que ninguém. E fazem-no mais do que os homens. Ou será que não?

Beleza

100 ideias para viver até aos 100 (Parte II)

Vire a sua vida a seu favor. Ponha os seus genes (mesmo os adversos) a trabalhar para si. Lemos ‘You – Sempre Jovem’, do Dr. Oz, e contamos-lhe tudo sobre os segredos da juventude.

Beleza

100 ideias para viver até aos 100 (parte I)

Vire a sua vida a seu favor. Ponha os seus genes (mesmo os adversos) a trabalhar para si. Lemos ‘You – Sempre Jovem’, do Dr. Oz, e contamos-lhe tudo sobre os segredos da juventude.

Beleza

Sabe o que lhe causa mais stresse?

Fomos saber o que é que nos deixa à beira de um ataque de nervos e descobrimos seis grandes 'culpados'. Aprenda a lidar com algumas das situações mais stressantes.

Beleza

Dicas para aprender a gostar mais de si

Aprender a gostar de si e a aceitar-se implica começar a mudar os pequenos gestos do dia-a-dia.

Beleza

Dor de cabeça provocado pelo stress: como evitá-la

Stress é o principal responsável por este problema que afecta quase 80% de mulheres

Mais no portal

Beleza

Os motivos para o açúcar ser a kryptonite da pele

De acordo com um dermatologista.

Diz Quem Sabe

Como ter um Natal mais saudável (e ainda poupar algum dinheiro)

Beleza

Conheça o método de limpeza dupla da pele para remover impurezas e maquilhagem

Aqui, no que diz respeito a produtos de limpeza de pele, um é pouco, dois é bom e três é demais.

Saúde

Sente desejos por doces? Eis o que o seu corpo está a tentar dizer-lhe

Uma nutricionista explicam os vários motivos que levam o corpo a querer açúcar.

Comunidade Activa

Morreu Pedro Oliveira, um dos nossos

Ex-diretor da Exame Informática, era o atual diretor de parcerias e Novos Negócios e head of digital da Trust in News. Tinha 49 anos.

Moda

As novidades da Zara, Mango e H&M que aliam elegância e conforto

Não temos de sacrificar uma mais-valia pela outra.

Comportamento

"Ghosting": 5 motivos para alguém desaparecer de uma relação sem deixar rasto

O termo é usado para descrever um término repentino, sem explicações, e deriva da palavra "ghost", que significa fantasma em português.

Mulheres Inspiradoras

Optometrista Vera Carneiro é consultora do Programa da Visão da OMS

A portuguesa está a contribuir para a implementação das recentes recomendações e iniciativas da Organização Mundial de Saúde e Nações Unidas, relativas aos cuidados para a saúde da visão.

Moda

8 truques de moda que aprimoram o estilo pessoal

Ganhe confiança no seu estilo com estes conselhos de styling (e não só)

Saúde

Sabe quais as funções do estrogénio e da progesterona?

Entenda como estas hormonas a podem afetar.

Saúde

5 artigos de fitness que precisa de ter em casa - e que não ocupam espaço

Quer poupar no ginásio? Confira esta seleção.

Beleza

Será esta a solução para as borbulhas?

E pontos negros.