uffe.h5.jpg

Como começou o seu interesse no colesterol?

Quando a campanha anti-colesterol começou na Suécia, em 1989, fiquei surpreendido porque nunca tinha visto indicações na literatura médica que mostrassem que o colesterol elevado ou as gorduras saturadas fossem prejudiciais. Como sabia pouco do assunto comecei a ler de forma sistemática e rapidamente percebi que o rei ia nu.

Parece haver uma guerra de estudos nesta matéria…

Quase todas as pesquisas nesta área são pagas pelas farmacêuticas e pela indústria das margarinas. É também um facto triste que muitos investigadores que mostraram que o colesterol elevado não é mau, não o percebam eles próprios. Por exemplo, dois grupos de investigação norte-americanos mostraram recentemente que o colesterol de doentes que deram entrada no hospital com ataque cardíaco estava abaixo do normal. Concluíram que era preciso baixar o colesterol ainda mais. Um dos grupos fez isso mesmo. Três anos depois tinha morrido o dobro dos pacientes a quem tinham baixado o colesterol, comparativamente aqueles em que o colesterol foi deixado na mesma.

Se o colesterol não tem influência na doença coronária como se explica que haja tantos estudos a mostrar efeitos positivos das estatinas em pessoas com historial de doenças coronárias?

A razão prende-se com o facto das estatinas terem outros efeitos, anti inflamatórios, além de baixarem o colesterol. O seu pequeno benefício só foi demonstrado em pessoas jovens e homens de meia- idade que já tiveram um ataque cardíaco. Nenhum ensaio de estatinas foi capaz de prolongar a vida às mulheres ou pessoas saudáveis cujo único ‘problema’ é terem o colesterol alto. E há mais de 20 estudos que demonstram que pessoas mais velhas com colesterol vivem mais tempo.

– Há quem não desvalorize completamente o papel do colesterol, nomeadamente o LDL, mas enfatize a importância do tamanho das partículas.

O investigador norte-americano Ronald Krauss descobriu que o LDL existe em vários tamanhos e que um número elevado de partículas pequenas e com maior densidade está associado a um maior risco de ataque cardíaco, enquanto que um numero alto de partículas de LDL grandes está associado a um risco menor. Também demonstraram que ao comer gordura saturada o número de partículas pequenas no sangue descia e que o número das grandes subia. Isto não significa que as partículas pequenas sejam a causa dos ataques cardíacos. Haver uma relação não implica que seja de causa efeito. O que estes estudos demonstraram foi que comer gorduras saturadas não causa doenças coronárias. De qualquer forma, uma análise do colesterol diz pouco. O nível de colesterol depende de muitas coisas. O stresse pode aumentar o nível de colesterol em 30% a 40% em meia hora.

Diz ainda que as gorduras saturadas não são um problema mas sim a comida processada, com gorduras hidrogenadas, e o açúcar…

Sim, o triste é que até os autores do mais recente relatório da OMS/FAO admitiram que a gordura saturada é inocente e apesar disso continuam com as recomendações de dietas com baixos teor de gordura e altos teores de hidratos de carbono. O relatório diz ‘As provas disponíveis de ensaios controlados não permitem fazer um juízo sobre efeitos substantivos da gordura na dieta no risco de doença cardiovascular’. Na Suécia, milhares de diabéticos obesos puderam deixar a medicação para a diabetes evitando os hidratos de carbono e comendo alimentos ricos em gordura saturada.

O que recomenda às pessoas relativamente à toma de estatinas?

Não usem estatinas! O seu benefício é mínimo e o risco de efeitos adversos é muito mais alto do que o que as farmacêuticas dizem. Vários investigadores independentes mostraram que há problemas musculares em25 a 50% das pessoas, especialmente nos mais velhos. Pelo menos 4% ficam com diabetes e parece haver também ligação a perdas de memória ou Alzheimer. Os problemas de fígado também são um risco. A campanha do colesterol é simplesmente o maior escândalo médico do nosso tempo.

Relacionados

Beleza

O mito do colesterol

Como? As gorduras saturadas e o colesterol fazem bem à saúde? É uma versão. Não oficial.

Beleza

Colesterol alto: risco para a saúde?

Depois de anos a sermos bombardeados com informações acerca dos malefícios do colesterol alto, eis que surgem estudos a dizer que afinal ele pode não ser tão mau como pensávamos, e até ter efeitos benéficos na saúde.

Mais no portal

Moda

Estas saias prometem fazer furor nas estações quentes

Apresentamos-lhe seis modelos que são ótimos investimentos tanto para a primavera como para o verão de 2021.

Lifestyle

Vamos falar sobre os deliciosos tacos japoneses do FishFish Sushi?

Às quartas-feiras, na compra de três tacos, o restaurante oferece um quarto. Uma oferta literalmente irresistível!

Body Shaper

O derradeiro plano para declarar guerra à celulite e à retenção de líquidos

O novo episódio da rubrica Body Shaper traz-lhe um plano de ataque, sublinhe-se, só com dicas caseiras.

Diz Quem Sabe

Questões a ponderar antes de avançar com uma mudança na vida profissional

A coach Lúcia Palma deixa alguns pontos a ter em conta antes de efetuar qualquer mudança neste campo.

Saúde

Os reajustes necessários para perder peso depois dos 40

Aconselhados por uma especialista.

Beleza

Base demasiado clara? Este truque do TikTok ajuda a resolver o problema

É bastante simples e económico.

Moda

Duvidamos que haja um vestido mais prático do que este

É só vestir e sair porta fora, sem pensar muito no styling.

Comportamento

Os 10 pilares de relacionamentos saudáveis

De acordo com um perito em relações amorosas, existem 10 alicerces de uma parceria que tendem a ser subestimados.

Celebridades

Ex-mulher de Travis Barker alega que o músico teve um caso com Kim Kardashian

Barker é o novo namorado de Kourtney Kardashian.

Diz Quem Sabe

O guia para criar uma selva urbana em casa

Um artigo de opinião assinado por José Luís Velasco, product manager da Gardenia, sobre os novos hábitos que se cultivaram e enraizaram em tempos de confinamento.

Comportamento

Como ser mais vulnerável num relacionamento (mesmo que isso a assuste)

O medo da rejeição faz-nos levantar a guarda e, por conseguinte, perdemos coisas boas como a intimidade e a conexão.

Diz Quem Sabe

O couro cabeludo também precisa de proteção solar

O Dr. Carlos Portinha, coordenador Clínico do Grupo Inspary, explica que o cancro da pele pode ser uma das consequências da exposição do couro cabeludo aos raios solares.