Corrida.jpg

Já é difícil não ter um familiar, amigo ou conhecido adepto do desporto mais barato de sempre. Será que a moda da corrida veio para ficar? Os aficionados garantem que sim e, ceticismos à parte, é bonito ver os passeios da cidade convertidos em ‘calçadões’ estilo Rio de Janeiro, cheios de ténis coloridos a trote. Atenção, estas pessoas não correm para apanhar o autocarro nem para chegar mais cedo ao emprego, correm por prazer, seja às sete da manhã, antes de irem trabalhar, ou às onze da noite, para libertar o stresse. Vão em busca da euforia provocada pela produção de endorfinas, as hormonas do bem-estar que o cérebro liberta e que torna este desporto viciante.

Nem todos podemos vir a ser a Rosa Mota, mas há histórias inspiradoras, como a do ultramaratonista Carlos Sá, 39, que venceu a ultramaratona Badwater, nos EUA, em julho, correndo 217km em menos de 24 horas e que há 10 anos pesava 90kg e fumava dois maços por dia… Ou a da dinamarquesa Annette Fredskov, 41, que decidiu começar a correr maratonas depois de ser diagnosticada com esclerose múltipla. Num ano fez 366 maratonas, gastou 20 pares de ténis e está sem sinais da doença.

6 boas razões para começar

1. É ideal para emagrecer. Correr gasta em média 100 calorias por cada 1,5km. Pode não ser muito, mas com o tempo desenvolve massa muscular, o que ajuda a queimar mais calorias. Além disso, a região das nádegas é bastante solicitada e estas tendem a ficar mais firmes com os treinos.

2. É barato. Não há mensalidade de ginásio para pagar, nem é preciso aprender nada que já não saiba. Pode correr a qualquer hora e em qualquer parte, em último caso até à volta do quarteirão. Só precisa de um par de ténis e um bom sutiã. Sim, há centenas de modelos de ténis, óculos para proteger do vento e do sol, braçadeiras para o smartphone e muitos outros gadgets, mas uns comuns ténis de corrida já fazem a festa.

3. Faz bem à cabeça. São muitos os corredores que dizem correr para espairecer a cabeça, e é um facto referenciado em vários estudos que o exercício tem efeitos positivos sobre a ansiedade e até é usado como prescrição médica para ajudar a combater a depressão. Tudo culpa da produção de endorfinas que ocorre no cérebro após a prática de exercício físico intenso e que produz uma espécie de euforia pós-treino.

4. Faz bem ao corpo. Apesar de poder ter contraindicações (em pessoas com problemas articulares ou circulatórios), de forma geral, correr moderada e regularmente é bom para a saúde. Tonifica os músculos das pernas – o que ajuda a proteger as articulações –, fortalece os ossos –, o que ajuda a prevenir a osteoporose e até a evitar a progressão da doença em estágios iniciais –, diminui o risco de osteoartrite, aumenta a capacidade pulmonar, fortalece o coração e tem um efeito positivo sobre as dores de cabeça (exceção feita às enxaquecas, se estiver com uma não é boa ideia ir correr) e a tensão pré-menstrual moderada. Há pesquisas a indicar que as pessoas que fazem exercício têm menos probabilidade de desenvolver cancro, nomeadamente do cólon e da mama, doenças cardíacas, diabetes e tensão alta. E correr também reforça o sistema imunitário, o que basicamente ajuda a prevenir todo o tipo de doenças.

5. Aumenta a libido. O exercício tem influência sobre a produção hormonal, nomeadamente da testosterona, associada ao desejo sexual masculino, e da progesterona, com o mesmo efeito nas mulheres. Um estudo feito pela Universidade da Califórnia descobriu que as pessoas que fazem exercício físico 40 minutos por dia têm o dobro de atividade sexual do que aqueles que fazem apenas 20 minutos por dia. Claro que 20 minutos é melhor que 0, e para melhorar os efeitos nada como ir correr com o parceiro/a e estimularem a libido juntos.

6.Aumenta o círculo de amigos. São cada vez mais os grupos, formais e informais, de pessoas que se juntam para correr, socializar e manter a motivação. Correr está na moda e correr em grupo também.

Não salte passos

A não ser que já pratique outros desportos regularmente, não é boa ideia começar logo pela corrida. Se é sedentária, os especialistas recomendam intercalar marcha com corrida durante meia hora, no mínimo três vezes por semana, e, de forma progressiva, ir aumentando o tempo da corrida. Por exemplo, corre um minuto e anda quatro, passado uns dias corre dois minutos e anda quatro, até estar a correr o dobro do tempo que anda (8m a correr, 4 a andar) e ir progressivamente correndo cada vez mais tempo. Deve sempre começar por aquecer antes de começar e alongar depois, para evitar lesões.

Participe em corridas

Mesmo que ainda esteja na parte do andar, é bom ter objetivos e participar em corridas pode muito bem ser um deles. Quase todos os meses há eventos, maratonas, corridas solidárias, noturnas, só para mulheres, secretas, para toda a família e qualquer outro formato que lhe ocorra.

Um treinador grátis

Se estava a pensar que isso de participar em corridas sem preparação é uma loucura, tem razão. É para isso que existe o Programa Nacional de Marcha e Corrida, que permite a qualquer pessoa treinar com um treinador qualificado de graça. Há 150 centros espalhados pelo país com 200 técnicos preparados para orientar quem quer começar ou já domina e quer melhorar. A ideia é incentivar o exercício e evitar as lesões decorrentes de treinos feitos sem orientação. Só tem de dirigir-se ao centro mais perto de si, preencher uma ficha e pegar um seguro anual de 7 euros. Depois integra um grupo e pode ir treinar todos os dias pelas 19h e aos sábados de manhã. Espreite o centro mais perto de si em www.marchaecorrida.pt ou ligue 969.855.398.

4 Razões para não correr… demais

Seja a correr ou a nadar, o importante é fazer exercício. Por isso, divirta-se com alguns factos curiosos que pode usar para justificar a opção de não correr.

1. Há vários estudos a mostrar que os treinos intensivos podem diminuir a libido. Tudo porque perante o exercício intenso, o organismo ‘esgota’ a produção de hormonas ‘revigorantes’ e aumenta a produção de hormonas do stresse, como o cortisol.

2. Provoca gases. Melhor dizendo, piora os sintomas. Parece que correr estimula o sistema digestivo de forma que os gases podem aumentar, sobretudo quando se comem fibras. Os maratonistas também sofrem de uma síndrome que provoca ataques de diarreia e flatulência.

3. Envelhece. A atividade física moderada rejuvenesce, mas quando é muito intensa pode ter o efeito oposto já que aumenta a produção de radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento da pele.

4. Os maratonistas ficam sem os unhas dos pés. Muitos têm as unhas dos dedos dos pés negras e nalguns casos ficam sem elas por causa do trauma causado pela fricção nos ténis durante muitos quilómetros.

Junte-se a uma ‘running crew’

– Os Scalabis Night Runners, em Santarém, juntam mais de 70 pessoas de todas as idades para correr. Todas as 4.ª, às 21h30, no jardim das Portas do Sol. facebook.com/ScalabisNightRunners.

– Porto Runners. Todas à 4.ª à noite, sábados e domingos de manhã, no Parque da Cidade, Porto. É só aparecer. portorunners.net.

– Corrida na Cidade. Encontros sem data fixa em Lisboa agendados em corridasnacidade.blogspot.pt.

– Treinos Lunares. Todas as noites de lua cheia e lua nova cerca de 50 pessoas de todas as idades partem da lota da Caparica, às 20h30, para andar e/ou correr. A seguir há petiscos. facebook.com/TreinosLunares.

Assine a ACTIVA

Deixe-se inspirar, assine a ACTIVA, na sua versão em papel ou digital, a partir de €2,00 a edição. Saiba tudo aqui ASSINAR

Relacionados

Beleza

A moda do Padel

Não é ténis, não é pingue pongue, não é badminton. O mais parecido é o squash (grande hit dos anos 90), e é possível jogar até de madrugada.

Beleza

Waterbike: a nova forma de praticar exercício

Pedalando em cabines individuais, com jactos de hidromassagem, pode obter resultados surpreendentes

Saúde

6 Mitos que Não Funcionam no Regresso... ao Ginásio

Passam a vida a falar-nos da força de vontade e da motivação, mas será que são assim tão efetivas?

Beleza

Estudo prova que saltar à corda tira o apetite

Um exercício fácil, saudável e com impacto no controlo da fome, diz um novo estudo.

Mais no portal

Saúde

Menopausa: vamos falar sobre como viver melhor esta fase

Um artigo de opinião assinado pela Dra. Marina Gonçalves, diretora do centro de medicina digital P5, a propósito do Dia Mundial da Menopausa (18 de outubro).

Saúde

Dicas que ajudam a melhorar a qualidade de vida das mulheres após a menopausa

A propósito do Dia Mundial da Menopausa (18 de outubro), uma ginecologista e uma fisioterapeuta de pavimento pélvico partilham algumas informações úteis.

Saúde

Os motivos para o IMC ser um método ultrapassado para avaliar o peso e a saúde

Trata-se de um sistema falho e, como tal, não deve ser a única referência para determinar se uma pessoa é (ou está) "saudável".

Moda

Este truque de styling deixa os cadigãs mais elegantes

É simples, mas faz uma grande diferença.

Pera Doce

Já conhece o Otro lado do luxo?

O que têm em comum a perfumaria de nicho, o design e a arquitetura, a alfaiataria de luxo e o chef Vitor Sobral? Foi isso mesmo que fomos descobrir no primeiro restaurante do grupo OTRO.

Celebridades

Adele dita as próximas tendências da estação com look outonal perfeito

Das cores, passando pelos tecidos, às silhuetas, a cantora acertou em cheio.

Celebridades

Kourtney Kardashian e Travis Barker estão noivos

Veja as fotografias do momento em que o músico pediu a empresária em casamento.

Beleza

Seda ou cetim? A melhor opção de fronha para cabelos afro

Deixar tecidos como o algodão de lado faz maravilhas pelos cabelos com textura durante a noite.

Moda

Mafalda Carvalho mostra os desfiles (e as emoções) do último dia de Portugal Fashion

Veja tudo o que aconteceu na Alfândega do Porto.

Lifestyle

A Pizzaria Luzzo é uma das pérolas da Graça

Da comida ao ambiente, tudo é pensado para proporcionar refeições (e momentos) super agradáveis.

Lifestyle

Esta câmara trendy foi concebida para tirar selfies

Ela permite tirar, imprimir e partilhar fotografias em movimento. Um sonho para a Geração Z.