bebés

bebés

Thinckstock

Um novo estudo sobre a segurança dos partos feitos em casa, realizado nos Estados Unidos, demonstra que a taxa de sucesso é elevada, registando-se poucos casos em que seja necessária intervenção clínica posterior.

O estudo analisou os resultados dos partos feitos em casa a 17 mil mulheres, registados pela Aliança de Parteiras da América do Norte, entre 2004 e 2009.

Melissa Cheyney, professora de Antropologia Medicinal da Universidade Estadual de Oregon, disse ao The Huffington Post que “se são seguros os partos domiciliares nos Estados Unidos, então porque não haver um sistema de integração entre partos domiciliares e hospitais?"

Cerca de 94% das mulheres no estudo tiveram um parto vaginal, e menos de 5% recorreram à epidural. Onze por cento das mulheres que pretendiam dar à luz em casa, foram transferidas para um hospital. As principais razões razões apontadas para a transferência foram a falta de dilatação, seguido do desejo de alívio da dor, sofrimento fetal e exaustão materna. Cerca de 1.100 mulheres no estudo tentaram um parto vaginal após cesariana, e desse grupo, 87% tiveram um parto vaginal.

Para os recém-nascidos, os resultados foram também positivos, segundo os investigadores.

Um e meio por cento dos recém-nascidos tiveram um baixo índice de Apgar (a avaliação de 5 sinais do recém-nascido nos primeiros minutos de vida: frequência cardíaca, respiração, tónus muscular, irritabilidade reflexa e cor da pele ), e 2,5% foram internados no hospital, pelo menos uma vez, nas primeiras seis semanas. No mesmo período, mais de 97% dos recém-nascidos foram amamentados.

Atualmente, apenas 1% de todos os nascimentos nos EUA ocorrem em casa ou em centros de nascimento (centros onde contam com a assistência de parteiras), embora o fenómeno esteja em ascensão. Estimativas recentes sugerem que a proporção de partos domiciliares aumentou 41% entre 2004 e 2010.

Ainda assim, o nascimento em casa tem muitos críticos. Um artigo de opinião publicado na passada semana no Journal of Medical Ethics apelou para uma maior investigação sobre o risco de deficiência evitável, a longo prazo, associada ao parto domiciliar, e comparou o mesmo a uma condução sem cinto de segurança.

Em Portugal também é cada vez maior o número de mulheres que opta por realizar o parto em casa. O ambiente familiar e o desejo, por parte de mães, de uma menor intervenção clínica, são os principais argumentos dos defensores deste sistema. Adelaide de Sousa foi umas dessas mulheres. Em 2009, desejou ter o seu bebé em casa mas, segundo contou à Caras, ela e o filho correram risco de vida.

Durante quatro dias, a apresentadora de 40 anos, esteve em trabalho de parto e só desistiu de ter o bebé em casa "por exaustão". Em apenas 20 minutos, a criança nasceu de cesariana, na maternidade.

Assine a ACTIVA

Deixe-se inspirar, assine a ACTIVA, na sua versão em papel ou digital, a partir de €2,00 a edição. Saiba tudo aqui ASSINAR

Relacionados

Beleza

Riscos na gravidez são maiores em mulheres entre os 30 e os 34

A probabilidade de complicações pode aumentar 20% nas mulheres com idades entre os 30 e os 34 anos.

Beleza

Está a tentar engravidar? Não durma demais

O resultado de um estudo recente conclui que a quantidade de horas que dormimos pode afectar a fertilidade. O ideal é que o sono dure entre 7 e 8 horas diárias para aumentar a probabilidade de engravidar.

Beleza

Os grandes mistérios da gravidez finalmente revelados

Para que servem os enjoos? E pode-se ou não comer chocolate? E voar? Afinal, faz tudo imenso sentido. Basta perceber porquê.

Beleza

O fim da amniocentese

Uma nova tecnologia já permite detetar as principais trissomias apenas com uma análise de sangue à mãe e evitar o tão temido exame.

Mais no portal

Lifestyle

Perda gestacional e interrupção voluntária da gravidez: este livro fala de ambas

"Camila, meu amor" conta na primeira pessoa a história de Renata Alves Marvão.

#VozActiva

Vera Kolodzig: "É cada vez mais importante vivermos em compaixão"

No Voz ACTIVA deste mês, a nossa protagonista de capa Vera Kolodzig fala sobre a missão de inspirar as pessoas a viverem de uma maneira mais positiva.

Nas Bancas

ACTIVA de outubro: as mulheres que são forças de mudança

A edição deste mês, com Vera Kolodzig na capa, já está nas bancas!

Celebridades

Kate regressa ao trabalho com abordagem fresca à tendência da alfaiataria

Depois de uma pausa de verão, a duquesa de Cambridge retomou os deveres oficiais com uma visita a oficias da Força Aérea Real.

Celebridades

Sofia Vergara celebra o trigésimo aniversário do filho com festa animada

A atriz foi mãe aos 19 anos e Manolo Gonzalez Vergara é o seu único filho.

Celebridades

O motivo para Morgan Freeman usar uma luva na mão esquerda

Muitos pensam que o ator teve a mão amputada ou que se trata de uma afirmação de moda, mas não é o caso.

Celebridades

Os artistas lusófonos que já se apresentaram na plataforma internacional ColorsxStudios

Carolina Deslandes fez manchetes recentemente ao apresentar o novo single "Eco", que homenageia a fadista Amália através do refrão de "Grito", neste palco global.

Moda

Como usar cabedal com estilo e elegância

Com o aproximar da nova temporada, é altura de tirar estas peças da gaveta.

Beleza

Cabelos: conheça as tendências fortes da nova temporada

Dos cortes aos penteados, estas são algumas das apostas fortes para os meses de outono e inverno.

Comportamento

Psicóloga recomenda estratégia de 7 passos para deixar um parceiro controlador

Neste tipo de dinâmica, uma pessoa domina ou participa na intimidação do parceiro. Pode acontecer a qualquer pessoa.

Moda

Ideias de looks casuais que exigem pouco esforço

Inspire-se nestas sugestões!