148796265.jpg

Em casa não prega olho e depois passa o dia no emprego a lutar para manter os olhos abertos e a cabeça longe do teclado enquanto bebe café atrás de café. Chega aos fins-de-semana e já se está mesmo a ver: passa o dia inteiro na cama a recuperar o sono perdido. Este padrão de sono tem custos elevados para a saúde e já foi apelidado de somnorexia, uma síndrome cada vez mais habitual em pessoas jovens, sobretudo mulheres, com empregos stressantes.

Num estudo realizado pela DECO em 2004, 90% dos inquiridos assumiam dormir menos do que precisavam para recarregar baterias. Metade confessou que dormia mal habitualmente. O resultado das noites mal dormidas? Manhãs ‘submersas’ e falta de energia para enfrentar o dia de trabalho, claro. Três em cada quatro inquiridos referia ainda ter dores de cabeça e problemas de concentração, bem como irritabilidade e reflexos diminuídos. A sensação de poder adormecer a qualquer momento, a ver televisão, no cinema ou em reuniões de trabalho, para além de inconveniente, pode mesmo afectar a segurança quando associada à condução, por exemplo. Nos Estados Unidos estima-se que a sonolência esteja relacionada com mais de 1500 mortes por ano nas estradas. A neurologista Teresa Paiva corrobora estes números. Segundo a presidente do Instituto do Sono, ‘a maioria dos acidentes mortais na estrada devido ao sono ocorrem porque a pessoa não tem comportamentos defensivos’.

O estilo de vida é a principal causa apontada para a falta de tempo para dormir, nomeadamente o stresse associado ao trabalho. ‘São razões comportamentais, não distúrbios físicos’, diz a neurologista. Por causa dele, mesmo que tencionem ter uma noite descansada, muitas pessoas acabam a olhar para o tecto ou a contar carneiros sem conseguir entrar no reino de Morfeu. Isto acontece porque os níveis de cortisol, hormona associada ao stresse, que se elevam naturalmente durante o dia, permanecem elevados à noite, altura em que deveriam baixar para permitir um sono tranquilo. As insónias acabam por causar ainda mais stresse, e o resultado é um ciclo vicioso de onde é difícil sair.

MENOS SONO, MENOS SAÚDE

Dormir sistematicamente menos horas do que o necessário têm efeitos nefastos na saúde: ‘Baixa produtividade, falta de concentração, memória enfraquecida, mau humor, menos capacidade para tomar decisões’, assegura Teresa Paiva. Isto acontece porque uma das principais funções do sono é permitir a recuperação do córtex cerebral, que tem um papel vital na consciência.

Altos níveis de cortisol e poucas horas de sono também estão associados às doenças cardiovasculares, hipertensão, depressão e insónias. E os estudos também comprovaram uma ligação com a diabetes e a obesidade, o que parece justificar-se devido à produção nocturna de hormonas relacionadas com os níveis de açúcar no sangue e da aleptina, substância ligada à redução do apetite.

‘As pessoas têm de perceber que dormir é mais essencial do que comer. Podemos passar mais dias sem nos alimentarmos do que sem dormir. Todas as espécies dormem; há milhões de anos que é assim e perturbar esse ciclo é interferir com um mecanismo essencial ao nosso equilíbrio’, diz Teresa Paiva. Apesar disso, os danos decorrentes da falta de sono ainda são bastante subestimados, alerta a neurologista. ‘Basta ir aos centros comerciais à noite para ver crianças a pé a horas em que já deviam estar a dormir. Os pais ficam a brincar com os filhos até à uma da manhã e acham normal que elas tenham os horários dos adultos.’ Já sabe, dormir está longe de ser uma perda de tempo, ‘é essencial ao corpo, ao cérebro e ao espírito’, e mesmo que não o faça com o empenho do Zé Carioca, faça-o pela sua saúde. Sonhos cor-de-rosa!

OS MAUS HÁBITOS PORTUGUESES

Os estudos efectuados no nosso país revelam que nesta matéria há muito para mudar.
47% dos portugueses dormem mal e apenas
19% têm consciência disso.
56% sofrem de sonolência no dia-a-dia, o que afecta a sua qualidade de vida.
21% dizem que seria possível adormecerem ao volante.
75% deitam-se depois da meia-noite.

Palavras-chave

Relacionados

Beleza

Como viver mais anos com qualidade de vida!

Cortar nas calorias, beber um copo de vinho por dia, cultivar uma boa rede de amizades e encontrar o amor da sua vida podem fazê-la chegar aos 100 anos a vender saúde. Descobrimos o elixir da juventude.

Beleza

Dor de cabeça provocado pelo stress: como evitá-la

Stress é o principal responsável por este problema que afecta quase 80% de mulheres

Beleza

Mulheres mais afectadas pelos riscos do tabaco

O número de fumadoras não pára de aumentar. Mas é um dado comprovado que as mulheres têm mais razões do que os homens para largar o vício

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?

Comportamento

A sustentabilidade chegou ao sexo

Conheça quatro formas de ajudar a salvar o planeta entre quatro paredes.