Getty

Será pelo desejo de regressar às coisas boas de um tempo antigo que, visto daqui, nos parece mais simples, mais fácil e mais honesto? Pela vontade de descomplicar e reduzir a vida ao essencial? Pela preocupação em não agredir o planeta com substâncias que ele não ‘digere’ e embalagens desnecessárias? Talvez por tudo isto junto… A verdade é que, numa altura em que a limpeza e a lavagem das mãos são gestos vitais para a nossa saúde, o que nos mantém limpos é de suprema importância e, portanto, passámos a dar mais atenção àquilo que usamos para esse fim. Há qualquer coisa de reconfortante no ato de pegar numa barra de sabão natural e passá-lo nas mãos, no rosto ou no corpo molhado. Um gel de limpeza pode ser muito cremoso, sensorial e perfumado, mas um sabão natural artesanal feito a preceito, com os seus cantos rudes que o uso vai suavizando, o cheiro a limpo, parece despertar memórias ancestrais que nos obrigam a abrandar e a viver o momento. Mesmo que o momento seja apenas tomar duche ou lavar as mãos…

 

UM MÉTODO ANCESTRAL

Quando se pensa em sabonete, pensa-se muitas vezes na sensação de secura que fica na pele a seguir à lavagem (talvez por isso muitos sabonetes convencionais, industriais, acabem a perfumar as gavetas e não na saboneteira). Mas isso não acontece com um sabonete natural artesanal: desde que seja feito por quem sabe, claro, e não por alguém com um tacho e uma receita que tirou da internet… Porque fazer um bom sabonete natural de forma artesanal exige ingredientes de uma qualidade irrepreensível e um domínio perfeito das técnicas de saponificação. O processo de base de criação de um sabão ou sabonete é sempre o mesmo, inventado há milénios (supostamente pelos árabes, embora antes já se fizessem uns ‘antepassados’ do sabão, mas que não eram usados para lavar a pele) e consiste na transformação de uma gordura, vegetal ou animal, através da adição de um agente alcalino (atualmente é usado o hidróxido de sódio). Uma vez completada a reação entre esses dois ingredientes, a gordura fica saponificada e temos o sabonete. Mas se esse é o método de base, na prática há muitas diferenças na forma como o processo é realizado, na formulação propriamente dita e nos ingredientes utilizados.

Os sabonetes da Saponina contêm superalimentos que ajudam a cuidar da pele

FÓRMULAS MINIMALISTAS… E TEMPO

“Há vários métodos, mesmo dentro dos sabonetes naturais artesanais”, explica Eduarda Marques, que trabalha na Abegoa, empresa familiar de saboaria artesanal situada em Marvão e fundada pelo seu primo Emílio Fonseca há cerca de 13 anos. “O nosso método é o processo de saponificação a frio e a gordura que usamos é apenas azeite virgem extra biológico certificado. O azeite é ligeiramente aquecido, mas não a temperaturas muito elevadas, portanto não se perdem as suas propriedades. Por isso os rótulos dos nossos sabonetes têm apenas um ingrediente: 100% azeite. Nalgumas variedades temos ainda umas gotas de óleos essenciais para aromatizar. Também não retiramos a glicerina. Durante o processo de saponificação é criada glicerina, que no processo industrial é muitas vezes retirada, mas nós não a retiramos, por isso o sabonete é muito cremoso e hidratante.” O azeite é batido com o hidróxido de sódio para homogeneizar a mistura e fazer a saponificação, até obter a consistência desejada. “As pessoas às vezes assustam-se quando ouvem falar em hidróxido de sódio, mas não há razão para isso porque no processo ele é todo transformado e a seguir ainda há o processo de cura.” Enquanto na saboaria industrial a saponificação é feita a quente e é usado um processo que permite fazer um sabonete em menos de 1 dia, o sabão artesanal é curado durante 4 a 6 semanas após a saponificação, para que haja uma evaporação completa do hidróxido de sódio e o sabonete seque e fique pronto a utilizar. “Feita a mistura, o sabonete vai para uns moldes, passados 2 ou 3 dias é cortado e depois, já no formato final, fica a curar num local com uma temperatura estável. Durante a cura, passa por vários estados: primeiro aquece muito, depois fica em gel, e tem de ficar lá sossegadinho até ficar seco”, diz Eduarda.

 

Os sabonetes Abegoa são o sabão artesal natural no seu estado mais puro

RESPEITAR A PELE

A nível de formulação, também há grandes diferenças entre o sabonete artesanal e o industrial, como explica Liliana Dinis, criadora da marca de cosmética natural vegan Saponina, sediada em Lisboa. “Os sabonetes convencionais utilizam pós secantes, talcos, sulfatos, perfumes sintéticos, corantes e substâncias químicas para endurecer o sabonete e torná-lo esteticamente mais seco, para não ser um sabonete que liberte gordura e para que as pessoas possam, por exemplo, pô-los nas gavetas para perfumar a roupa… O que acontece é que quando utilizamos um sabonete desses na nossa pele, seja no rosto ou no corpo, também sentimos que é secante, que deixa a pele pouco confortável, a repuxar.” Como a maioria dos produtores portugueses de sabão artesanal, Liliana também usa o azeite como gordura principal dos seus sabonetes, mas junta-lhe várias manteigas, como a de manga, e outros óleos, como o de argão e o de abacate. “E enriqueço vários sabonetes também com superalimentos: moringa, lucuma, utilizo carvão vegetal para uma limpeza profunda da pele, uso também muitas plantas, como a calêndula que é calmante… Embora para mim seja importante que os sabonetes sejam bonitos e goste de os decorar com flores ou dar-lhes um aspeto visual atrativo, a minha principal preocupação são os benefícios para a pele.”

Azeite virgem extra e ervas aromáticas são os ingredientes dos sabonetes Bonjardim

APOIAR O QUE É NOSSO

A pandemia fez-nos dar mais valor ao que temos e redescobrir o que o nosso país tem de melhor, mas a verdade é que quem faz sabonetes artesanais (ou qualquer tipo de atividade artesanal) tem sempre a preocupação de apoiar as tradições e o desenvolvimento local, como é o caso de Elza Neto, da Olivae, uma marca com certificação biológica sediada em Évora. “Conhecemos a associação de criadores de cabra serpentina, uma raça autóctone muito rústica da região de Serpa, daí o seu nome, que estava quase em extinção. Resolvemos associar-nos a eles para ajudar a promover a raça e assim decidimos fazer um sabonete de azeite virgem e leite de cabra. Este leite tem proteínas e vitaminas boas para a regeneração da pele, e é mais uma forma de hidratação para além do azeite.” Uma coisa a ter em conta quando se faz um sabonete é o índice de gordura, e nos sabões artesanais ele é rigorosamente calculado para garantir que a pele não fica ressequida depois da utilização. “Nós não queremos que o azeite seja saponificado na sua totalidade. Ele tem de reagir com o hidróxido de sódio, para fazer o sabão, mas queremos que uma parte fique disponível para a pele. E o leite permite-nos ir buscar mais um extra de gordura para reforçar a hidratação.” Em matéria de óleos essenciais, Elza também se manteve fiel às espécies portuguesas, como o tomilho de uma variedade ibérica e o rosmaninho.

A Olivae combina azeite, leite de cabra autóctone Serpentina e ervas aromáticas nos seus sabonetes

MENOS ESPUMA E MAIS HIDRATAÇÃO

Uma das coisas que se pode estranhar quando se usa um sabonete artesanal pela primeira vez é o facto de não fazer muita espuma, sobretudo se é à base de azeite, como tendem a ser os portugueses. “Há gorduras naturais que fazem mais espuma, como o óleo de coco, mas o azeite, pela composição dos ácidos gordos que tem, não propicia tanto a formação de espuma”, explica Teresa Oliveira, cofundadora da marca de sabonetes artesanais Bonjardim, do Porto. “Mas a espuma é uma questão de hábito porque se tem na mesma a sensação de limpeza. E a pele fica muito mais macia porque, ao contrário dos sabonetes convencionais mais vulgares, estes não desidratam a pele.”

O sabonete para bebé da Terra Saboaria Artesanal

RESPEITAR O AMBIENTE

Teresa Oliveira atribui a valorização atual do sabonete artesanal a uma crescente preocupação ecológica. “É uma escolha lógica do ponto de vista ambiental. Como é sólido, ao contrário de um sabonete líquido ou um gel de banho, não precisa de embalagens de plástico, é embalado em papel. E também vai pesar menos no transporte, o que o torna mais ecológico.” E Liliana Dinis acredita que o que começou por ser uma moda já se tornou mais do que isso. “Essa procura do natural e ancestral, e não só na alimentação, mas em tudo o que nos rodeia, já é uma preocupação diária. Durante uns anos, com a industrialização, isto perdeu-se um bocadinho, as pessoas achavam que o que era produzido em fábrica tinha um glamour diferente, e agora estão a voltar a ter apetência pelo artesanal, que é feito com amor, com outro cuidado, com ingredientes naturais e em harmonia com o ambiente.”

Palavras-chave

Mais no portal

Mais Notícias

Xiaomi Q2 55 em análise: Concessões

Xiaomi Q2 55 em análise: Concessões

VOLT Live: a nova Smart e as notícias da semana

VOLT Live: a nova Smart e as notícias da semana

Hospital de Setúbal, com urgêngia Pediátrica já encerrada, com constrangimentos  na Obstetrícia e Ortopedia

Hospital de Setúbal, com urgêngia Pediátrica já encerrada, com constrangimentos na Obstetrícia e Ortopedia

Cristina Ferreira comete nova gaffe em Inglês

Cristina Ferreira comete nova gaffe em Inglês

Neuralink sob investigação federal nos EUA por testes em animais

Neuralink sob investigação federal nos EUA por testes em animais

A gestão de talento como uma peça-chave na estratégia de ESG

A gestão de talento como uma peça-chave na estratégia de ESG

Dormir pela sua saúde

Dormir pela sua saúde

Harry e Meghan revelam que se conheceram nas redes sociais

Harry e Meghan revelam que se conheceram nas redes sociais

JL 1359

JL 1359

O centenário de Saramago

O centenário de Saramago

Georgina Rodríguez lamenta que Ronaldo não tenha sido titular no jogo frente à Suíça e deixa 'recado' a Fernando Santos

Georgina Rodríguez lamenta que Ronaldo não tenha sido titular no jogo frente à Suíça e deixa 'recado' a Fernando Santos

Hospital S.Francisco Xavier adota medida alternativas após inundação num dos edifícios

Hospital S.Francisco Xavier adota medida alternativas após inundação num dos edifícios

Polícia federal brasileira confirma à PJ presença e crescimento em Portugal do Primeiro Comando da Capital

Polícia federal brasileira confirma à PJ presença e crescimento em Portugal do Primeiro Comando da Capital

Georgina Grávida?

Georgina Grávida?

JL 1361

JL 1361

VISÃO Júnior, uma prenda de Natal original

VISÃO Júnior, uma prenda de Natal original

Casa de Mafra: linhas puras

Casa de Mafra: linhas puras

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Universidade de Évora e Cruz Vermelha testa com sucesso baterias de segunda vida em cenário de catástrofe

Os animais mais cómicos do ano!

Os animais mais cómicos do ano!

Wall&gami: fazer da arte do origami uma peça de decoração

Wall&gami: fazer da arte do origami uma peça de decoração

Governo cria linhas de apoio com dotação global de 100 ME para empresas turísticas

Governo cria linhas de apoio com dotação global de 100 ME para empresas turísticas

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

Volta a Portugal em design nos dois apartamentos da Santo Infante

Bendito burel: 24 peças quentes e bonitas no tecido da serra da Estrela

Bendito burel: 24 peças quentes e bonitas no tecido da serra da Estrela

Conforto térmico

Conforto térmico

Cristina Ferreira aposta em body de renda… mas não é a única! Veja as imagens

Cristina Ferreira aposta em body de renda… mas não é a única! Veja as imagens

Recorde os visuais de Kate durante a viagem aos Estados Unidos

Recorde os visuais de Kate durante a viagem aos Estados Unidos

Moda: Fundo preto

Moda: Fundo preto

Bully de João Félix agride dirigente da FIFA à cotovelada

Bully de João Félix agride dirigente da FIFA à cotovelada

Secretária de Estado pede à população para ficar em casa devido ao mau tempo

Secretária de Estado pede à população para ficar em casa devido ao mau tempo

DHL encomenda duas mil carrinhas Ford E-Transit

DHL encomenda duas mil carrinhas Ford E-Transit

O que faz um meteorologista?

O que faz um meteorologista?

"Pinóquio de Guillermo del Toro": Um clássico sem as amarras da Disney

Conheça as vantagens do recondicionamento dos smartphones

Conheça as vantagens do recondicionamento dos smartphones

CORREÇÃO DO TÍTULO: Iberdrola quer investir 3 mil ME em Portugal nos próximos anos

CORREÇÃO DO TÍTULO: Iberdrola quer investir 3 mil ME em Portugal nos próximos anos

Esta Iguana move-se no universo das novelas gráficas

Esta Iguana move-se no universo das novelas gráficas

Em época de Natal, rainha Camilla abre as portas da Clarence House aos mais novos

Em época de Natal, rainha Camilla abre as portas da Clarence House aos mais novos

A transformação das profissões de RH e a inteligência artificial

A transformação das profissões de RH e a inteligência artificial

Batalha Centro de Cinema abre com três dias de festa - e estes são os momentos a não perder

Batalha Centro de Cinema abre com três dias de festa - e estes são os momentos a não perder

PCP vai propor acesso à água como direito constitucional

PCP vai propor acesso à água como direito constitucional

Oymyakon: a vila mais fria do mundo

Oymyakon: a vila mais fria do mundo

O Natal da EXAME: as escolhas sem sentido de Margarida Vaqueiro Lopes

O Natal da EXAME: as escolhas sem sentido de Margarida Vaqueiro Lopes

Tendências: couro

Tendências: couro