Os melhores livros que falam sobre sexo

Já alguém disse que a maior zona erógena do corpo humano é o cérebro, e nisto de erotismo a imaginação é mesmo a nossa maior ferramenta. Quem disse que sexo não é cultura, quem disse que o sexo não se educa, não se desfruta também em palavras? Imagine um sensual início de serão a dois, com o seu parceiro a ler-lhe passagens de ‘Delta de Vénus’, de Anais Nin, ou da ‘História de O’. Metemos o nariz nos livros e fomos à procura das passagens mais quentes. Inspire-se: as suas noites nunca mais serão as mesmas.

SEXO NO JARDIM
‘O Amante de Lady Chatterley’ D. H. Lawrence
O enredo: Constance Reid é uma bela mulher que casa com um oficial britânico, Sir Chatterley, que volta para casa numa cadeira de rodas depois de ter ficado ferido na guerra. Compreensivo, diz à sua jovem mulher para arranjar um amante que ela deseje de todo o coração. A lady acaba por se meter com o caseiro, Oliver, um tipo feio e rude mas que é um portento sexual e que lhe dá um prazer desmesurado. No final, o caseiro vai trabalhar para uma fábrica, Constance engravida, confessa ao marido e sai de casa A cena escaldante: Oliver e Constance fazem sexo selvagem no jardim, à luz do luar, depois de ela o ter tentado esquecer numas férias em Paris, das quais só regressou mais apaixonada. Ele diz que é o seu ‘cobridor’; ela fica atrapalhada mas ele sossega-a dizendo que não há nada de mal nisso. Oliver descomplexifica o sexo na cabeça da patroa e assegura-lhe que não há lugar para vergonhas.
Ponha em prática: No jardim, no parque de campismo, numa praia deserta à noite (pode ser um chavão romântico, mas é sempre muito romântico), no carro, como nos tempos de namoro. A espontaneidade é sempre excitante. O ‘aqui e agora’, com a hipótese de um flagrante, é um afrodisíaco enorme para algumas pessoas e satisfazer a fantasia do proibido, que os amantes de Lawrence vivem no livro, também.
Outra lição a retirar: Oliver pode ser um tipo rude mas é extremamente viril e… honesto. É esse tipo de honestidade que se quer no sexo.

CARÍCIAS, DELÍCIAS…
‘O Sexo no Feminino’ Sylvia de Béjar
O enredo: Escritora e jornalista, a espanhola Sylvia é uma das autoras europeias mais desinibidas e francas na maneira como aborda o sexo e a relação da mulher com o seu corpo. Este livro, para ler a dois, é um manual da vida sexual e da descoberta dos corpos e prazer do casal. Por isso Sylvia propõe que os amantes pratiquem primeiro muito e conheçam os corpos um do outro ou se redescubram, quebrando a rotina sexual sem que exista penetração.
Ponha em prática: A autora sugere um exercício que vai pôr à prova as vossas capacidades de bons preliminares e… de saber esperar. No primeiro dia ambos devem despir-se. A mulher deita-se, primeiro de barriga para baixo, depois para cima, e o homem deve acariciá-la nas partes às quais não costuma dar atenção: a parte de trás dos joelhos, o antebraço, as costas, a barriga, os ombros, as pernas. Depois, troquem de posição: é a sua vez de o acariciar. A regra de ouro é evitar sempre os mamilos e os órgãos genitais e não demorar mais de 15 minutos em cada. Concentrem-se apenas no que sentem quando tocam no corpo um do outro. Ao segundo dia o exercício repete-se, podendo já incluir os mamilos, mas ‘não lhe dando mais importância do que a uma mão, ombro ou qualquer outra parte do vosso corpo’. A mesma regra dos 15 minutos em cada um deve ser cumprida.
‘Por muito excitados que estejam, não podem avançar mais, a menos que isso vos provoque uma grande frustração,’ diz a autora. Ao terceiro dia nenhuma área do corpo é vedada a massagens ou carícias e podem praticar-se todos os tipos de estimulação manual, oral e, por fim, o coito.

CHOCOLATE, CHANTILLY E SEXO
‘Nove Semanas e Meia’ Elizabeth McNeill
O enredo: Se viu o filme com Kim Bassinger e Mickey Rourke… esqueça! Aquilo é uma reunião de escuteiros quando comparado com o livro. Trata-se das aventuras sexuais verdadeiras de Elizabeth McNeill (o pseudónimo que a autora adoptou), uma executiva de topo que se entregou de corpo e alma a um homem que mal conhecia. Durante este limite de tempo ele faz dela o que quer, iniciando–a em novos prazeres e mostrando-lhe o sexo de vários pontos de vista. Ele diz–lhe o que fazer, o que vestir, coreografa todos os movimentos sexuais dela, dá-lhe banho, dá-lhe de comer. Ela apaixona-se perdidamente por ele e torna-se submissa, até ao dia em que decide acabar com tudo porque acha tudo demasiado intenso.
Passe à prática: A famosa cena do frigorífico, em que a autora e o seu amante se banqueteiam em mais do que um sentido, misturando os prazeres da gula com os do corpo, é sempre um clássico das brincadeiras eróticas. Experimente também, espalhando mel, chocolate líquido ou chantilly em partes erógenas do seu corpo, como os seios, a barriga e as coxas. A missão dele é devorar a sobremesa que lhe apresentar… É claro que para eles a ementa erótica também vale. A boca é um dos pontos mais erógenos do corpo humano. Misturar boas sensações intensifica o prazer e dá azo a preliminares fenomenais.

O COLAR DE PÉROLAS
‘Como Ser Uma Boa Amante’ Lou Paget

O enredo: Um guia para mulheres fogosas que gostam de dar o máximo de prazer aos seus companheiros.
Nos seminários sobre sexo que dá na América do Norte, homens e mulheres contam as suas experiências, desejos, posições e técnicas preferidas e ouvem os conselhos de Lou. O livro é best seller nos EUA e um grande auxiliar em matéria de literatura sexual.
Ponha em prática: Comece a noite com um jogo de sedução muito feminino. Combinem um jantar a dois. Vista-se a rigor e não se esqueça do seu melhor colar de pérolas falsas, com cerca de 75 cm de comprimento e 8 a 10 mm de diâmetro de pérola, em fio de nylon e não em seda. Depois, comecem com uns beijos, tirem a roupa e passe o colar pelo corpo dele. Lubrifique o pénis, enrole a fiada de pérolas à volta dele e segure o fecho com os dedos para ele não se magoar. Deixe duas folgas de colar de cada lado, passe os seus polegares nessas folgas e comece a fazer o colar deslizar para cima e para baixo, rodando com suavidade ao mesmo tempo. Depois retire o colar e passe as pérolas na parte de baixo dos testículos, rodando-o também ligeiramente para um lado e para o outro. ‘E quando acabar sente-se em cima dele’, remata a sexóloga.

FANTASIAS SEM LIMITES
‘História de O’, Pauline Reage

Enredo: Não é um livro para mentes sensíveis. Uma fotógrafa de moda parisiense faz uma aprendizagem sexual perversa e é ensinada a estar constantemente disponível para todas as formas de sexo com vários homens, numa espécie de bordel de luxo onde é vendada, acorrentada e chicoteada. Já tem o estômago às voltas? ‘O’ é o diminutivo de Odile, mas também ‘O’ de ‘orifício’, de ‘objecto’. Uma obra que põe os cabelos em pé à maior parte das mulheres, apesar de ter sido escrita por uma. O clássico já tem duas adaptações cinematográficas.
Ponha em prática: Perversões à parte, os pequenos jogos de submissão podem ser excitantes, mas, por questões de segurança, só devem ser feitos por casais com relações estáveis. Uma das ideias mais eróticas consiste em vendar os olhos ao parceiro ou parceira e iniciar assim os preliminares, acariciando-o com uma pluma, beijando, mordendo, estimulando as zonas erógenas. Joguem com o factor surpresa. Pode até ser mais empolgante para uma mulher, já que eles são mais dados a estímulos visuais do que nós. Quem gosta de sexo mais escaldante pode até experimentar com a variante de atar as mãos do parceiro com um lenço (algemas podem sempre gerar situações desagradáveis…).
A ideia de estar à mercê das carícias do outro é muito sensual. Desde que seja de comum acordo e que ninguém se magoe… tudo bem. Convém apenas combinarem uma palavra passe de segurança para o caso de o parceiro de mãos atadas sentir algum desconforto.

BEIJOS PROFUNDOS
‘A Casa dos Budas Ditosos’ João Ubaldo Ribeiro
O enredo: As hilariantes memórias sexuais despudoradas de uma sexagenária. Mas do que um livro que criou algum escândalo no Brasil, é uma crónica de costumes genial, onde a autora fala dos homens da sua vida e das diferenças de cada povo a fazer sexo (com direito a referências a Portugal).
A personagem conta como foi iniciada no sexo sem perder a virgindade, através do coito praticado entre as suas coxas por um criado do avô e por uma sessão de cunnilingus extasiante.
Ponha em prática: O sexo oral praticado pelo homem à mulher (ou cunnilingus) é uma prática normal. Se eles gostam tanto de sexo oral, porque não podemos nós gostar também? Mas as técnicas para uma boa execução são mais complicadas, ou não fossem as mulheres seres de delicada mecânica. Pratiquem primeiro. Se ele for um iniciado nestas artes, mostre-lhe primeiro onde fica o seu clitóris. Pegue na mão dele, guie-o, ensine-o a estimulá-lo suavemente com os dedos e mostre-lhe como sente mais prazer.
Beijos, lambidelas, movimentos circulares à volta do clítóris e até alguma sucção ajudam a intensificar o prazer. Depois, retribua em grande estilo, porque o amor é uma partilha.

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?

Comportamento

A sustentabilidade chegou ao sexo

Conheça quatro formas de ajudar a salvar o planeta entre quatro paredes.