Saiba o que pode comprometer o sucesso escolar do seu filho!

Não, ele pode não ser apenas irrequieto, distraído, desinteressado ou apático. Uma série de problemas podem afectar as crianças, desde as dificuldades de visão e audição a disfunções como a dislexia e a discalculia, e comprometer a capacidade de se concentrarem e aprenderem conteúdos. Falámos com especialistas que os descodificam e apontam soluções.

 

 

Dislexia

O que é?: É uma dificuldade, de ordem neurológica, que afecta a aprendizagem da escrita e leitura. Ainda há poucas décadas, as crianças disléxicas eram consideradas pouco inteligentes ou desatentas. “A dislexia não tem qualquer correlação com classe social ou inteligência. Pessoas com esta dificuldade podem ser brilhantes em outras áreas, que não incluem leitura e escrita”, diz Tânia Rangel, psicopedagoga do SEI, Centro de Desenvolvimento e Aprendizagem.

Prevalência: “Esta é a dificuldade mais frequente na população escolar. Em Portugal os estudos são escassos, mas estima-se que se situe entre os 5% e os 10%”, diz Tânia Rangel. É mais comum nos rapazes.

Sinais de alerta: Como depende de que exista já algum tempo de alfabetização da criança, não costuma ser detectada antes dos sete ou oito anos. Eis alguns sintomas, segundo a psicopedagoga:

– trocas de letras com formas parecidas (o d e o b, por exemplo);

– trocas de letras com sons parecidos;

– confusão entre sílabas inicias, intermédias e finais;

– reduzida percepção auditiva;

– dificuldade na aquisição do nome das letras;

– problemas ao nível da organização espacial;

– dificuldade na memória auditiva;

– ocorrência de trocas/inversões e omissões na leitura e na escrita;

– problemas na aquisição da fala/dificuldades articulatórias;

– dificuldade em segmentar e reconstruir sílabas ou fonemas;

– dificuldade em fixar rimas;

 

 

Discalculia

 

O que é? Desordem neurológica que afecta a capacidade da criança compreender e trabalhar com números. Está para os números como a dislexia para as letras. Costuma afectar mais raparigas.

Prevalência: “Os estudos são ainda mais reduzidos, mas pesquisas americanas apontam para que afecte entre 3 e 6% da população com necessidades educativas especiais – que representa 13 a 14% do total de crianças”, observa a psicopedagoga.

Sinais de alerta: Tal como a anterior, só costuma ser identificada por volta dos sete ou oito anos, pois depende da estimulação escolar. Segundo Tânia Rangel, os principais sinais são:

– reduzida memória de trabalho;

– dificuldade na interiorização dos princípios numéricos;

– dificuldade em aceder ao cálculo mental;

– dificuldade no manuseamento do dinheiro;

– dificuldade na utilização de símbolos;

– dificuldade na compreensão dos números;

– fracas habilidades de contagem;

– dificuldade em nomear quantidades matemáticas;

– dificuldade na execução de operações e cálculos numéricos;

 

 

Quais as terapias mais eficazes para a discalculia e dislexia?

 

“Existem outras abordagens, não educacionais, mas o Treino Cognitivo é considerado o mais eficaz”, responde Tânia Rangel. “Neste tipo de intervenção, o terapeuta constrói, e aplica um programa, desenvolvendo e trabalhando as funções implicadas no processo de aprendizagem da leitura, escrita e cálculo. Trata-se de ajudar a criança a adquirir alguns ‘truques’ que lhe permitam ultrapassar as suas principais dificuldades no acto de ler, escrever ou calcular.”

 

Como os pais fazer podem ajudar?

 

Eis alguns conselhos da psicopedagoga do SEI:

Estar atento aos sinais: “Assim que identifiquem algum sinal de alerta, deverão procurar realizar uma avaliação especializada.”

Não faça disso um drama nem um tabu: “Em grande parte dos casos, a forma como os pais lidam com a dificuldade será semelhante à forma como a criança também lida”, observa. “Se os pais vivem estas dificuldades com tranquilidade e compreensão, provavelmente também a criança o irá fazer, havendo uma evolução mais rápida. Por outro lado, é preciso conversar com ela e explicar-lhe porque é que ela não está a conseguir ler como os seus colegas e não esconder essa dificuldade nem torná-la um assunto proibido.”

A brincar também se aprende: “Em casa, os pais poderão estimular através de jogos que estimulam o desenvolvimento destas aptidões. No SEI fazemos formações com pais onde lhes damos dicas de jogos que criamos para estes casos, pois há muito pouca coisa. Jogos como o Scrabble podem ajudar na dislexia, por exemplo, mas estão muito próximos do conteúdo escolar e as crianças acabam por rejeitá-los porque o associam a isso. Aconselho os pais a inventar jogos em que se encontrem palavras com determinados sons ou que comecem com uma letra.”

Não pressione: “Estas crianças podem apresentar desempenhos muito instáveis, como se num momento soubesse fazer aquela tarefa e daí a cinco minutos já não. Nestas situações, os pais não devem dramatizar, nem insistir. O melhor será mesmo desviar todos os sentimentos de culpa e encontrar outras formas de ajudar a criança.”

Seja assíduo na terapia: “É muito importante que os pais sejam consistentes e assíduos nas terapias que iniciarem.”

 

Distúrbio de Hiperactividade com Défice de Atenção

 

Não sendo uma dificuldade de aprendizagem específica, pode levar ao insucesso, uma vez que as crianças que dela sofrem não conseguem ter o nível de concentração necessário para o bom acompanhamento das aulas. “Começamos a ter queixas por volta dos quatro ou cinco anos, embora os pais se preocupem mais quando as crianças entram na escola e não conseguem estar sentadas na cadeira e concentradas”, diz-nos Tânia Rangel.

Prevalência: “Calcula-se que afecte entre 3% e 5% das crianças em idade escolar”, diz a psicopedagoga.

Sinais de alerta: A Hiperactividade e o Défice de Atenção podem manifestar-se isoladas ou associadas. Seis ou mais destes sintomas devem coexistir, com frequência, pelo menos durante seis meses, segundo a Associação Portuguesa da Criança Hiperactiva:

No Défice de Atenção:

– Não presta atenção suficiente aos pormenores ou comete erros nas tarefas escolares ou em actividades lúdicas;

– Tem dificuldade em manter a atenção em tarefas ou actividades;

– Parece não ouvir quando se lhe dirigem;

– Não segue as instruções e não termina os trabalhos escolares ou outras tarefas

– Tem dificuldade em organizar tarefas ou actividades;

– Evita, sente repugnância ou está relutante em envolver-se em tarefas que requeiram um esforço mental mantido, tal como trabalhos escolares ou de casa;

– Perde brinquedos, exercícios e material escolar, livros

Relacionados

Comportamento

Como tornar o seu filho mais confiante em si mesmo!

A confiança e segurança da criança não se conseguem instigando a competição ou fazendo-lhe todas as vontades. Essencial é conseguir dotar o seu filho de uma imagem adequada de si mesmo e da capacidade para lidar com o fracasso. Quer saber como?

Comportamento

Geração XL: o perigo da obesidade infantil

Porque é que as crianças de hoje são mais gordinhas do que os seus avós? Não, não é porque se fartam de comer: até comem menos calorias do que antigamente. O que acontece é que gastam muito menos. Aqui ficam algumas dicas para prevenir a obesidade infantil.

Comportamento

TPCs sem drama: Não trabalhe por ele

Os trabalhos de casa não têm de ser uma dor de cabeça: mas claro que têm de dar... trabalho.

Comportamento

O que querem dizer os pesadelos das crianças

Monstros, baratas ou grandes quedas. Estes são alguns dos temas recorrentes dos sonhos infantis. Saiba o que querem dizer e ajude os mais novos a ultrapassarem os seus medos e inseguranças.

Comportamento

Sabia que o seu filho pode ser um hacker do futuro?

Quando um estudo recente revela que 67% dos jovens entre os 15 e os 18 anos de idade já realizaram actos de pirataria informática... é normal qualquer pai ficar preocupado. É que a nova geração parece inclinada para usar os seus conhecimentos informáticos da pior maneira possível.

Comportamento

Como aumentar a confiança do seu filho

Gostava que o seu filho fosse bom aluno? Pois, não é só o estudo que conta. Está provado que crianças confiantes e autónomas são crianças mais felizes e com melhores rendimentos escolares. Mas para que isso aconteça, o seu papel é essencial.

Comportamento

50 coisas que fazem as crianças felizes

Algumas já as fazíamos em pequeninos, outras são ideias recentes. Mas há milhares de actividades simples que as crianças continuam adorar, e que não dão trabalho nenhum. Pelo menos 50 dias de brincadeira estão garantidos.

Comportamento

Shopping: regresso às aulas

Tudo o que os seus filhos precisam para regressar às aulas, a preços muito acessíveis, de roupa a material escolar.

Comportamento

Mochilas: como evitar que prejudiquem as costas dos mais pequenos

No regresso às aulas, a mochila é o acessório principal. No entanto, há que ter atenção à sua escolha para evitar que as crianças transportem demasiado peso nas suas costas

Comportamento

As crianças não se medem aos palmos

A sociedade valoriza os mais altos, mas a ansiedade dos pais face a filhos mais baixos raramente se justifica. Guarde a fita métrica e relaxe.

Beleza

Prepare o seu corpo para ser mãe

Se pretende ser mãe nos tempos mais próximos tenha em atenção certos aspectos que não deve descurar para conservar a sua fertilidade e evitar problemas futuros.

Comportamento

Crianças: como ter umas férias tranquilas

Elas protestam que têm fome. Ou não querem sair da água. Ou estão enjoados. Ou estão fartos de estar no carro. Ir de férias com crianças pode ser um stresse mas não tem de ser um drama. Aqui ficam algumas ideias para uns dias descansados.

Comportamento

Jogos e estratégias para entreter os mais pequenos em viagem

Vai de férias e está em pânico a pensar como vai entreter os seus filhos? Aqui está uma ajuda preciosa para os manter sossegados em tempo de férias.

Comportamento

Crianças: saiba como convencê-los a comer legumes

Sim, é possível evitar a 'birra dos verdes'. Tire cinco minutos para rever a estratégia

Comportamento

O que fazer se o seu filho desaparecer

O rapto de Madeleine McCann veio lembrar o pior fantasma de qualquer mãe. Mas no meio de toda a angústia, o que é que pode aprender com tudo isto?

Comportamento

Não deixe que o seu filho seja violento na escola

Agressões verbais e mesmo físicas entre professores e alunas não faltam. Mas haverá forma de resolver a violência nas escolas? E se o seu filho for um dos agressores? A pedagoga Eulália Barros avança com respostas para os pais sobre esta questão.

Comportamento

Hiperactividade: Quando as crianças não param quietos

Ainda há muitas ideias erradas sobre esta patologia, que afecta entre 35 e 50 mil crianças em Portugal. Mas o tratamento atempado pode salvá-las das malhas do insucesso escolar.

Comportamento

O meu filho tem um angioma

Depois de nove meses de expectativa, nasce o seu bebé. Lindo, gordinho e... com uma manchinha avermelhada no corpo. Não entre em pânico, geralmente são inestéticas mas inofensivas.

Comportamento

Filho meu nunca irá...

... dizer asneiras, comer porcarias, riscar as paredes. O pai ou mãe que nunca disse algo do género que atire a primeira pedra. Mas algumas promessas foram mesmo feitas para quebrar...

Mais no portal

Moda

Estas saias prometem fazer furor nas estações quentes

Apresentamos-lhe seis modelos que são ótimos investimentos tanto para a primavera como para o verão de 2021.

Lifestyle

Vamos falar sobre os deliciosos tacos japoneses do FishFish Sushi?

Às quartas-feiras, na compra de três tacos, o restaurante oferece um quarto. Uma oferta literalmente irresistível!

Body Shaper

O derradeiro plano para declarar guerra à celulite e à retenção de líquidos

O novo episódio da rubrica Body Shaper traz-lhe um plano de ataque, sublinhe-se, só com dicas caseiras.

Diz Quem Sabe

Questões a ponderar antes de avançar com uma mudança na vida profissional

A coach Lúcia Palma deixa alguns pontos a ter em conta antes de efetuar qualquer mudança neste campo.

Saúde

Os reajustes necessários para perder peso depois dos 40

Aconselhados por uma especialista.

Beleza

Base demasiado clara? Este truque do TikTok ajuda a resolver o problema

É bastante simples e económico.

Moda

Duvidamos que haja um vestido mais prático do que este

É só vestir e sair porta fora, sem pensar muito no styling.

Comportamento

Os 10 pilares de relacionamentos saudáveis

De acordo com um perito em relações amorosas, existem 10 alicerces de uma parceria que tendem a ser subestimados.

Celebridades

Ex-mulher de Travis Barker alega que o músico teve um caso com Kim Kardashian

Barker é o novo namorado de Kourtney Kardashian.

Diz Quem Sabe

O guia para criar uma selva urbana em casa

Um artigo de opinião assinado por José Luís Velasco, product manager da Gardenia, sobre os novos hábitos que se cultivaram e enraizaram em tempos de confinamento.

Comportamento

Como ser mais vulnerável num relacionamento (mesmo que isso a assuste)

O medo da rejeição faz-nos levantar a guarda e, por conseguinte, perdemos coisas boas como a intimidade e a conexão.

Diz Quem Sabe

O couro cabeludo também precisa de proteção solar

O Dr. Carlos Portinha, coordenador Clínico do Grupo Inspary, explica que o cancro da pele pode ser uma das consequências da exposição do couro cabeludo aos raios solares.