Os erros mais comuns das mulheres nas relações amorosas

Os homens sofrem menos. Pelo menos a crer na experiência profissional da psicanalista venezuelana Mariela Michelena. A autora do livro ‘Mulheres Mal-Amadas – Liberte-se das Relações Destrutivas e sem Futuro’ (Esfera dos Livros) especializou-se em problemas de relacionamento e traça o mapa dos pecados capitais que as mulheres mais cometem nas relações: submissão, intermitência, impostura e dependência correspondem a padrões destrutivos de relacionamento que geram muito sofrimento e podem ser doentiamente viciantes. “Todas as relações atravessam dificuldades, mas há relações que são uma dificuldade. As mulheres não podem contentar-se em ser mal-amadas. Há que olhar para as relações com objectividade e ver se causam mais sofrimento do que felicidade. Sem medo de ficar sozinha.”

A SUBMISSÃO

Onde está Irene? Escondida sob a capa de super-Irene, ela sacrifica-se e não entende por que os homens não a tratam como merece.

“Perdão”, “lamento”, “compreendo-te”, “não te preocupes”, “não vou dar importância” e “não voltará a acontecer” são frases típicas da mulher que caiu no pecado da submissão sem se dar conta. Chame-se Irene, Ana ou Joana, ela está sempre disposta a ajudar os outros e não percebe por que é que a sua relação não corre bem quando ela faz tudo para que corra.

Quando se enamoraram, a relação era apaixonada e absorvente. Ela nem se apercebeu como lentamente ia fazendo cedências às vontades do namorado. Afinal, fazia-o de boa vontade. Não lhe custava nada! Se ele não gostava de ir ao cinema, ela também não se importava de ficar em casa a ver TV… O problema: a uma cedência juntam-se dezenas e, de forma subtil, ela vai alterando os seus gostos e as suas preferências, até o corte de cabelo e forma de vestir, para agradar ao companheiro. Aos poucos afasta-se da família e dos amigos, mas sobretudo de si própria. Lentamente, vai perdendo os seus contornos. Não se pode dizer que há maus tratos ou pressão. O namorado não lhe exige nada, também não é preciso. Basta pedir e ela concede.

A Irene perdeu a Irene

A submissão de Irene é congénita. Ela pratica-a com qualquer pessoa, seja no trabalho, com as amigas ou com o namorado, mas curiosamente com este o efeito não é o esperado. O companheiro queixa-se cada vez mais que Irene o sufoca. Ao mesmo tempo Irene não pode afastar-se. Tem medo que ele prescinda dela. E tem medo de se sentir melhor sem ele também. Um dia ele deixa-a por outra mulher e Irene descobre que perdeu a Irene. Está sozinha e já não sabe quem é.

A DEPENDÊNCIA

A paixão que é como uma droga.

Síndrome de abstinência com angústia, insónia, perda de apetite, náuseas, pressão no peito e tristeza são sintomas de uma relação que já se transformou numa dependência. Acontece com frequência em contextos de clandestinidade quando a mulher-amante sabe que o seu amado nunca irá deixar a legítima, mas ainda assim opta por ignorá-lo e vive na esperança ilusória de que tudo irá mudar, enquanto mendiga atenção e tempo. Estes homens podem amar as suas mulheres-amantes, mas são elas que lhes dão tempo, paciência e compreensão, passando muitas vezes por cima das suas próprias necessidades e contentando-se com migalhas. Na situação de dependência emocional, é o amor pelo outro que ocupa toda a mente e vida do viciado. Neste caso, o vício é um homem, e nada existe para além dele. Mesmo que isso cause apenas infelicidade, a viciada continua a apostar em promessas e a receber em troca muita humilhação e sofrimento.

Voltar a ser dona de si

A mulher dependente deixou de estar no comando da sua vida e a cura consiste em voltar a ser dona de si. Como em todas as dependências o primeiro passo é a aceitação e depois a abstinência.

Só assim é possível o reencontro consigo mesma que preenche o vazio deixado pelo amor doentio. A recompensa são emoções mais leves e seguras e as rédeas da sua vida de novo nas suas mãos.

A INTERMITÊNCIA

Agora sim, agora não. Sara sabe que nunca o vai deixar E, se o fizer, voltará. O seu amor é uma montanha-russa.

Sara e Miguel davam-se francamente mal. O carácter forte de Sara impedia-a de suportar qualquer coisa e discutiam porque ela reivindicava direitos e fazia exigências. O problema: fosse de quem fosse a iniciativa de acabar, quando ficava sem o ver por uns dias, Sara convertia-se numa menina assustada e pedia perdão mesmo sem saber bem porquê. A reconciliação era sempre apaixonada e fazia-a esquecer de todas as humilhações e sofrimentos.

A excitação da incerteza

Esta é a típica relação que precisa da excitação da incerteza para continuar, no fundo, um parque de diversões emocional. Quem está de fora não entende as reconciliações, mas as Saras acham sempre que ‘desta vez vai ser diferente’ porque sentem que têm culpa e que com um pouco mais de paciência, melhorando o seu carácter, podem conseguir que funcione. O que não entendem é que nem tudo depende delas. Não é que eles não as amem, mas a sua forma (má) de amar não vai mudar. A cura de Sara veio apenas quando experimentou não ligar depois de uma ruptura. Ele também não ligou e nunca mais soube dele. Depois do luto, percebeu que tinha estado viciada em manter viva a emoção de um novo amor – com a mesma pessoa – à custa de muito sofrimento…

A IMPOSTURA

Estarei à altura do meu príncipe?

Isabel estava casada com Henrique, sentia-se amada, embora acusasse uma sensação de incomodidade que não conseguia identificar. Dizia apenas que se sentia sempre desajeitada e insegura junto dele. Henrique era mais velho e tinha tendência para ‘educar’ Isabel, mas de forma subtil. “Vais pôr esse vestido? Fica-te bem, mas lembra-te de que já não tens 15 anos” ou “cuidado com o que dizes no jantar, olha que eles não têm sentido de humor”. Com comentários destes ia modelando Isabel e fazendo-a sentir-se cada vez mais incapaz.

Serei quem tu quiseres

Isabel é o caso típico da síndrome da Cinderela: não sabe quem é, duvida do seu valor e sente que tem de fazer esforços para agradar. Mariela Michelena explica que esta síndrome é a encenação de uma fase que decorre entre a infância e a pré-adolescência quando a menina que até aí admirava a mãe passa a ter uma ‘madrasta’ que não a compreende e com a qual compete, e um pai que já não lhe dá beijos porque a filha começa a crescer. A mulher Cinderela fica presa nesta fase, nunca se sente verdadeiramente adulta e acha que para conquistar o seu príncipe terá de disfarçar-se de mulher, fazendo o que for preciso, mesmo que seja deformar o pé para caber no sapatinho de cristal. Porque se sente uma fraude, vive sob a ameaça de ser descoberta, está sempre alerta. É uma estagiária em contínuo período de experimentação e precisa de aprovação constante. Não é suficiente que o príncipe a tenha escolhido, ela sente sempre que tem algo a esconder e a provar.

Palavras-chave

Assine uma destas revistas e escolha um presente grátis. Estadas em hotéis, produtos de beleza e muitos outros. Aproveite. Assine aqui

Relacionados

Beleza

Faça o teste da árvore!

Pegue num lápis e desenhe uma árvore. Assim se inicia um teste que se converteu num clássico nas provas de selecção de muitas empresas.

Beleza

Acabe de vez com as noites em branco

É oficial: os portugueses são mesmo maus na cama. Pelo menos, no que toca a dormir. Fomos saber as razões, procurar ‘curas’ e viajar pelos profundos mistérios do sono.

Beleza

Otimismo, a arma anticrise

Quando as notícias são desanimadoras e toda a gente parece ter motivos para se queixar, é preciso alimentar uma forma mais positiva de olhar para a vida

Saúde

10 remédios para dormir melhor de forma natural

Os tempos são conturbados e muitas vezes podem refletir-se em noites mais agitadas. Aqui lhe deixamos muitas ideias ao natural para adormecer melhor.

Beleza

Como tirar o melhor partido da cidade no verão

Teve de cancelar a viagem ao Algarve? Não gosta de praia? O orçamento é apertado? Não interessa o motivo, se vai passar as férias na cidade e está a pontos de se deprimir com o ‘cheiro a praia’, chegou ao local certo. Este texto é exclusivamente para si. Para o usar, só tem de munir-se de um bom mapa e seguir as nossas sugestões.

Beleza

Faça nas férias o que não faz o ano inteiro!

Livre de horários e de mil e uma obrigações, aproveite estes dias de lazer para fazer o que lhe apetece. Lembre-se: está longe dos colegas, dos chefes, em família ou com amigos, e não tem de se preocupar com aquilo que parece bem.

Beleza

Descubra agora qual é o seu tipo de inteligência

Tem mais ‘queda’ para as letras, ou sente-se mais à vontade com números? Nem uma coisa nem outra?! Não se preocupe, um cientista americano diz que existem não apenas dois mas sim sete tipos de inteligência distintos. Saiba quais são e como os identificar.

Beleza

Vídeo: Como aprender a meditar

Ajuda a libertarmo-nos de tensões acumuladas, aumenta a criatividade e equilibra as funções metabólicas do nosso corpo. Quer saber como se medita?

Beleza

10 pequenos gestos para uma saúde de ferro

Lembra-se da história da borboleta que bate as asas e provoca um furacão do outro lado do mundo? Pois se serve para o mal também há-de servir para o bem. Quer isto dizer que, no que toca à saúde, por vezes são as pequenas mudanças de hábitos que fazem a diferença. .

Beleza

Sabe o que lhe causa mais stresse?

Fomos saber o que é que nos deixa à beira de um ataque de nervos e descobrimos seis grandes 'culpados'. Aprenda a lidar com algumas das situações mais stressantes.

Mais no portal

Comportamento

O tamanho não importa, mas há uma coisa que as mulheres valorizam bastante

De acordo com diferentes estudos sobre o assunto.

Mulheres Inspiradoras

Prémios Mulheres Inspiradoras: estas são as nomeadas na categoria Negócios

Em 2021 foram muitas as mulheres que se distinguiram em Artes, Ciência. Desporto, Negócios, Solidariedade e Sustentabilidade. Não foi fácil escolher, mas aqui ficam as nomeadas a mais um Prémio ACTIVA Mulheres Inspiradoras. Em breve poderá conhecer as vencedoras em cada uma das categorias.

Mulheres Inspiradoras

Prémios Mulheres Inspiradoras: estas são as nomeadas na categoria Desporto

Em 2021 foram muitas as mulheres que se distinguiram em Artes, Ciência. Desporto, Negócios, Solidariedade e Sustentabilidade. Não foi fácil escolher, mas aqui ficam as nomeadas a mais um Prémio ACTIVA Mulheres Inspiradoras. Em breve poderá conhecer as vencedoras em cada uma das categorias.

Moda

Sim, os mocassins ficam bem com qualquer visual — e aqui está a prova

Saias, leggings, vestidos.. não há como falhar ao combinar diferentes peças com estes sapatos.

Mulheres Inspiradoras

Prémios Mulheres Inspiradoras: estas são as nomeadas na categoria Ciência

Em 2021 foram muitas as mulheres que se distinguiram em Artes, Ciência. Desporto, Negócios, Solidariedade e Sustentabilidade. Não foi fácil escolher, mas aqui ficam as nomeadas a mais um Prémio ACTIVA Mulheres Inspiradoras. Em breve poderá conhecer as vencedoras em cada uma das categorias.

Mulheres Inspiradoras

Prémios Mulheres Inspiradoras: estas são as nomeadas na categoria Artes

Em 2021 foram muitas as mulheres que se distinguiram em Artes, Ciência. Desporto, Negócios, Solidariedade e Sustentabilidade. Não foi fácil escolher, mas aqui ficam as nomeadas a mais um Prémio ACTIVA Mulheres Inspiradoras. Em breve poderá conhecer as vencedoras em cada uma das categorias.

Mulheres Inspiradoras

Prémios Mulheres Inspiradoras: estas são as nomeadas na categoria Solidariedade

A vencedora será revelada em breve.

Beleza

8 verdades sobre cabelos brancos que não podemos ignorar

Mais cedo ou mais tarde, todas as mulheres passam pela experiência de ter cabelos brancos.

Mulheres Inspiradoras

Prémios Mulheres Inspiradoras: estas são as nomeadas na categoria de Sustentabilidade

São quatro as nomeadas nesta categoria, que conta com ao apoio da Endesa.

Lifestyle

Afinal, a loiça deve ser passada por água antes de ir para a máquina ou não?

A resposta pode surpreendê-la.

Saúde

A regra que ajuda a aumentar o consumo diário de fruta e vegetais

Consumir mais frutas, verduras e legumes está associado a vários benefícios para a saúde.

Moda

Eis como fazer com que as leggings passem de casuais a elegantes

Inspire-se nestes visuais que provam que as leggings não têm de ser básicas.