Rudolfo Valentino.jpg

Um cavalheiro pode nascer, ou pode fazer-se (Beau Brummel, anyone? Não tinha grandes origens mas tornou-se no epíteto do dandy, embora dandismo e cavalheirismo não caminhem forçosamente juntos).

Conheço senhores que por nascimento têm toda a obrigação de o ser mas se marimbam para as regras que beberam de pequeninos  por uma colher de prata;  e outros que lá chegaram pelo esforço (e grandes doses de óptima personalidade). Também conheço cavalheiros de berço que se portam como quem são e… muitos que não o sendo por nascimento nem por educação, procuram vestir essa pele. 

Mas um falso cavalheiro detecta-se rápido – por muitas atenções que tenha, por muito bem que se vista. Não é difícil imitar um cavalheiro, principalmente quando se pretende agradar com objectivos não necessariamente nobres: é só comprar flores (o que é simpático, mas não essencial) fazer o beija mão, abrir a  porta para uma senhora passar. Com algum treino e investimento também não é complicado trajar como um.
 
É no carácter, nas atitudes a longo prazo e nos pequeninos detalhes, nos pequeninos gostos, que um cavalheiro a sério se separa do resto. Um cavalheiro pode perfeitamente esquecer-se de comprar rosas (afinal, é humano) ou de abrir a porta (os cavalheiros também se distraem). Pode estar de jeans coçados e barba de dois dias mas faça o que fizer parece sempre um gentleman porque em essência, é muito bem educado: ou porque o educaram, ou porque se educou. E isso nota-se à légua pois um cavalheiro…

É selectivo: nas companhias, nas amizades, nos relacionamentos, nas pessoas que o acompanham, com quem se mostra em público e sobretudo, em relação àquelas a quem permite confiança. Mesmo que por motivos sociais ou profissionais seja obrigado a um estilo de vida high profile, o seu círculo íntimo é restrito. 

– É modesto: exigente consigo mesmo, indulgente e amável para com os outros. Não procura destacar-se, nem se faz ao elogio: o seu brilho é natural e a única admiração que lhe importa é a das pessoas dignas de admiração.

– A sua palavra vale um escrito: não foge das suas responsabilidades nem quebra de fininho os seus compromissos, como um malandro. 

– Veni, vidi, vici: quando realmente quer uma coisa, um cavalheiro não fica à espera que ela lhe caia no colo. Não faz mistérios como uma mulher, não espera ser conquistado como uma, não faz beicinho nem amua como uma criança. Um cavalheiro é, acima de tudo, um homem a sério.

 É simpático como convém a uma pessoa bem formada…mas altivo, imune à lisonja. Primeiro, porque tem mais em que pensar; depois, porque tem confiança em si mesmo e está acima dessas coisas. Um cavalheiro nunca é deslumbrado; sabe estar sem se dar ares e sem fazer um espectáculo de si mesmo.  Não chama a atenção sobre si próprio: é blasé, conhece o seu valor, logo deixa que a festa venha ter com ele em vez de ceder à gabarolice; não bajula nem quer ser bajulado.

Leia o resto da crónica e visite o blog clicando aqui.

Relacionados

Comportamento

Crónica: As mulheres são, basicamente, muito fáceis de entender

A sério. Há por aí uns exemplares desesperados, lamechas, chatos e cheios de birras que dão mau nome a todas nós, mas no que toca a mulheres razoáveis, basta distinguir a verdade por trás dos mitos urbanos e saber trabalhar com isso para evitar as complicações do costume.

Comportamento

Crónica: É dos maus rapazes que elas gostam mais?

"Sempre ouvi os "bons" rapazes queixarem-se de que as mulheres não gostam deles. Segundo os rapazes azarados, elas apreciam os brutos, os fanfarrões, que fazem uma mulher andar em sobressaltos e o sangue correr-lhe mais depressa nas veias, em modo "quanto mais me bates, mais gosto de ti". Que se passa com as mulheres, afinal?"

Comportamento

Crónica: Doidos por Mary... versão real.

Lembram-se da comédia gross-out Doidos por Mary? Não é o meu tipo de filme, mas o argumento dá que pensar. Recordemos: Mary é uma rapariga bonita, amorosa, bem intencionada e bem sucedida que tenta viver a sua vida sossegada, minding her own business, sem chatear uma alma que seja. Mas por qualquer razão uma série de homens diferentes acha-a irresistível e faz tudo - TODAS as vigarices, trampolinices, batotas, jogos e mentiras - para ficar com ela.

Comportamento

Crónica: Há homens que são eternos meninos

A gíria 'és um menino!' aplica-se a muitos espécimes que conheço, com idade para ter juízo e usar 'as calças compridas'

Mais no portal

Lifestyle

Livro da semana: "A Educação de Eleanor" faz sorrir ao mesmo tempo que emociona

Um livro de Gail Honeyman, publicado pela Porto Editora.

Celebridades

A internet não estava preparada para estas fotografias antigas de Kylie Jenner

A socialite celebrou o 23º aniversário, no passado dia 10 de agosto.

Beleza e Saúde

Covid-19: fumadores passivos correm maior risco de infeção?

Entenda a relação e perceba quais as melhores formas de se proteger.

Moda

Há novidades quentinhas a sair do forno da Parfois

Os novos acessórios e vestuário da marca portuguesa destacam-se pelos tons terra.

Comportamento

Diz quem sabe: não se esqueça de se amar primeiro

Uma lição de autoestima inspirada numa famosa série. “Porque Carry Bradshaw teria sido uma ótima Coach!”.

Celebridades

Chris Pratt e Katherine Schwarzenegger dão as boas-vindas ao primeiro filho

Chris Pratt e Katherine Schwarzenegger celebraram o primeiro aniversário de casamento em junho e assinalam agora a chegada do primeiro filho.

Moda

Estes são os modelos de 'beachwear' a que estas famosas não resistem

A época balnear já está mais do que aberta e as redes sociais são a prova disso.

Moda

Coleção "eco friendly" de calçado com modelos a partir dos 12,99 euros

As propostas são da Seaside.

Moda

Estes são os ténis que vão dar um novo fôlego à sua corrida

O regresso de um clássico, em novas cores.

Celebridades

Simon Cowell no hospital após acidente de bicicleta

O jurado do 'America´s Got Talent' está no hospital.

Lifestyle

Unique Sushi Lab: onde comer é sempre uma (boa) surpresa

O restaurante que os amantes de sushi têm de conhecer e que ér capaz de converter mesmo os mais desconfiados em fãs da culinária japonesa. A culpa é do chef Johnny Keep.

€2,95 por edição 20% desconto  

Assine já!

Papel