Casal.jpg

Urilux

A Decidida

Atrai o Instável, aqueles homens que nunca sabem muito bem o que querem e ora aparecem ora desaparecem como a lua. Assim que o conhece, ela dá-lhe dois palmadões nas costas e ele vai parar ao fim da sala com um ar embevecido a pensar: “Que mulherão!”. Ela faz imensos discursos inflamados contra a guerra e ele fica sentado muito caladinho a pensar que precisa mesmo de uma mulher assim para discutir com o canalizador, lhe preencher o IRS e lhe pagar as contas da água e da electricidade. O Instável acha sempre que uma voz grossa é sinónimo de segurança, e têm imensas discussões com os amigos que acham que a Luisinha, enfim, poderia talvez falar um bocadinho mais baixo. Mas o poder é afrodisíaco, e para este homem ainda mais. O pior é que depois vai para casa e passa o resto da vida com imensos complexos e indecisões, a pesar todos os prós e contras de se declarar e de se comprometer, coisa que o apavora. Se ela conseguir arrastá-lo ao altar, passa o resto da vida a mandar nele. Coisa que, diga-se de passagem, ele adora.


A Anjinha

Atrai o Abutre, que vem a correr com imensas fantasias de desviá-la para o mau caminho e lhe cortar as asinhas e de lhe entortar a aura. Mas sabe apanhar a mosca, não faz aquela cena do: “A menina desculpe, conhecemo-nos de algum lado?” Aparece sempre com boas roupas e ar perfumado, a fazer imensa conversa de elevador e a tentar visualizar o que há por baixo da roupa dela, enquanto a Anjinho se encolhe ao canto a pensar se há-de fugir pela garagem ou pela porta das traseiras. O cerco tem duas hipóteses: ou aparece outra santinha mais apetecível e o Abutre bate as asas para outras paragens e deixa o anjinho desasado, ou a coisa dá no caso mais tórrido do ano. Não dura, porque é um lugar-comum de todos os romances de cordel, e porque um Abutre não se fica no mesmo poiso muito tempo e em breve abrirá as asas para outro santuário.


A Tímida

Atrai o Protector. Ela cora e ele fica arrasado de paixão, porque neste mundo são raras as mulheres que coram. Ela desperta-lhe fantasmas do tempo em que os homens nos salvavam de dragões e se batiam em duelo pelo prazer da nossa companhia. Acha que o facto de ela corar quer dizer imensa coisa (que ela é virgem, vive em casa dos pais, tem jeito para o ponto-cruz, quer ter seis filhos todos com o nome do pai e adora-o em segredo) quando geralmente quer dizer apenas que se cora com facilidade, sem nenhuma razão demasiado específica. Oferece-se para lhe ir lá a casa fazer furos para os quadros de golfinhos, ou levar o carro dela à revisão, ou ajudá-la a carregar com os pesos no ginásio, ou transportar qualquer coisa muito pesada para qualquer sítio muito longe. Ao fim de uns tempos o Protector tende a dar em ditador, a ler-lhe as mensagens de telemóvel e a fazer-lhe cenas se encontra um número desconhecido.



A Conservadora

Atrai o Conservador, aliás porque não conhece mais ninguém. Encontraram-se no grupo de jovens do patriarcado quando o Papa foi a Espanha, ou então num acampamento de escuteiros quando ela foi picada por uma melga em vez de Cupido e ele lhe ofereceu um anti-mosquitos, tarde demais para a melga mas não para o amor. São os únicos jovens que vão a excursões e em vez de passarem as noites a trocarem de quarto no hotel passam os serões à volta da fogueira a cantar o Kumbaiá ou o ‘Menina estás à janela’. Na escola são muito poupadinhos e afiam os dois lados do lápis. Cada um deles sabe muito bem o que espera do outro, e por isso raramente se desentendem. Querem formar uma família e antes de se casarem já decidiram que nome dar aos filhos e em que universidade é que os vão pôr. A Conservadora não procura num homem o frissom da paixão, procura um bom pai que não apanhe bebedeiras ao sábado à noite, que se possa apresentar à avó e que não fume no quarto. O Conservador não procura uma mulher-fatal, procura uma pessoa com quem partilhar um Compromisso. Compromisso, para um Conservador, escreve-se sempre com maiúscula.



A Extrovertida

Atrai o Intelectual, que fica encandeado com tanta energia, tanta luz, tanta gargalhada, tanta faísca. Ele vai para casa e passa a noite ao computador a escrever-lhe imensos poemas a rimar ‘dor’ com ‘amor’ e ‘paixão’ com (tenta lembrar-se de outra rima que não seja ‘tesão’ e é por isso que fica ali a noite toda) e depois persegue-a com e-mails e flores e CDs de rock alternativo e romances do José Saramago com dedicatórias de três páginas. Persegue-a por todas as esquinas. Leva-a ao Guincho numa quarta-feira à noite (a maioria dos mortais iria a um Domingo à tarde, mas o pesadelo do Intelectual é fazer qualquer coisa como o povo) e tem uma longa conversa com ela dentro do carro, depois da qual lhe oferece um anel de noivado sem reparar que está a fazer exactamente o que o povo faz. Se ela aceita, casam-se nos Jerónimos e ficam um casal como toda a gente. Se ela não aceita, ele ameaça deitar-se ali mesmo das rochas para o mar e escavacar o carro lá em baixo na Boca do Inferno, mas em vez disso vai para casa beber dois copos e no dia seguinte vê outra musa ao virar da esquina, ou então volta para a antiga namorada como se nada se tivesse passado, que é mais prático e cai sempre bem.



A Mulher Fatal

Normalmente atrai toda a gente, mas estranhamente acaba com o Certinho, a ouvir imensas bocas sobre ‘mas que raio é que ela viu nele’. O que ele viu nela é óbvio. Ainda por cima ele anda com um ar muito contente e tem escrito na testa: “Saquei a mais gira. Eh eh eh.” Esperou por esta vingança desde os tempos de escola em que era sempre o último da turma porque tudo lhe parecia uma interminável seca. Depois arranjou um emprego melhor do que o colega de carteira que tirou um doutoramento em paleontologia, e quando conheceu a loira do metro e oitenta e dois, em vez de se deixar intimidar e de ficar em casa a babar-se para cima da fotografia dela, convidou-a para ir ao cinema. Dá-lhe pelo ombro (dá-lhe pela cintura quando ela usa saltos altos) mas orgulha-se disso. A loira consegue percebê-lo porque ele é caseiro e ela, ao contrário do que se pensa, não quer um homem que a leve a fazer parapente, quer ficar com ele ao fim de semana a ver o Eurosport sentada no sofá com as pantufas calçadas e o jornal do domingo passado, a pintar as unhas e a discutir quem é que vai levar o cão lá fora.



A Maternal

Atrai dois tipos de homem: ou o Instável que conhecemos acima, ou o Tímido, que sempre procurou mais uma mãezinha que lhe lavasse as cuecas e lhe fizesse o jantar e ficasse com ele a gritar alto as respostas aos concursos na televisão do que uma mulher fatal que lhe exigisse feitos de malabarismo. Pode demorar a dar o primeiro passo, prefere espiá-la de longe e mandar-lhe bilhetinhos anónimos e encontrar-se com ela ‘por acaso’ imensas vezes no mesmo dia até que a pobre quase tem uma apoplexia de tanta emoção e tem de ser ela a convidá-lo para um cafezinho na pastelaria da esquina, onde se enchem os dois de mil-folhas e duchesses para disfarçar os nervos. Ao fim de três dias, já ele está a viver em casa dela e a comer grandes pratadas de esparguete à Bolonhesa e com a taxa de colesterol a rebentar da escala. Se não der com nenhuma mulher fatal no caminho para a igreja, é bem capaz de casar com ela, mas só para aí 45 anos depois do primeiro dia de vida em comum e de ela lhe apontar uma caçadeira e ameaçar que vai fugir com o homem do gás, porque é um moço que demora a tomar uma decisão.



A Certinha

Atrai o Homem de Carreira. Seja qual for a carreira: atirador de facas ou repórter de guerra, cirurgião ou padeiro, realizador de filmes eróticos ou professor catedrático. O homem de carreira não quer uma mulher igualmente de carreira porque depois ela terá imensos congressos de biologia molecular na Eslovénia e ele não está para fazer o papel de marido a andar a fazer compras na Zara da Eslovénia, e também não está para ficar em casa a dar ordens à mulher a dias e a ir de cestinho ao supermercado porque acha que todas as velhas do bairro vão comentar: ‘Coitado, a mulher não lhe liga’, e também não está para chegar a casa e encontrar o frigorífico magnificamente recheado com meio-limão e as crianças ranhosas, esfomeadas e com a fralda suja, coitadinhas. Portanto foge a sete pés daquelas que sacam as melhores notas da turma ou daquelas que no primeiro encontro recebem um telefonema de um aluno a perguntar se ela lhe vai orientar o doutoramento. Procura antes a vizinha do lado, de preferência uma que ele tenha conhecido antes dos 3 anos na bicha para o escorrega no parque do bairro, com um bibe cor de rosa com patinhos e tranças loiras. Acha que ela o seguirá até ao fim do mundo se for preciso, e o facto é que segue mesmo, com os três filhos às costas e a casa inteira dentro da mala. Tem o céu à espera.



A Simpática

Atrai os que ninguém quer ou que têm encantos muito muito escondidos: o tarado da Cinemateca, os que têm 3 dentes à frente e nenhum atrás, o militante de uma causa incompreendida, o oleoso que passa a vida a dar graxa aos professores. Faz-se um sorriso para eles no elevador, e nunca mais despegam, porque não estão habituados a receber sorrisos. Geralmente tiraram as lições erradas da sua triste sina e fecharam-se na concha, que por acaso costuma ser desarrumada e oleosa como eles. Geralmente adquiriram vícios de solitários, vivem com 19 gatos que fazem o que querem, montaram um viveiro de pombos no quarto dos fundos, depois deixaram morrer os pombos mas nunca mais se lembraram de limpar o quarto, só mudam os lençóis de dois em dois anos, têm um irmão gerente de banco que não lhes liga nenhuma, e acham que são Shakespeare/Bruce Springsteen/Manoel de Oliveira/Picasso incompreendidos pelo resto da Humanidade. Tristemente, o mais provável é que não sejam.



A Inteligente

Como a inteligência não se percebe automaticamente (o que se percebe automaticamente é que ela usa óculos e não faz nuances) geralmente não atrai assim ninguém a não ser os camionistas quando vai a descer a rua a pensar no Lobo Antunes e se esqueceu de vestir o soutien. A inteligente pode disfarçar-se de loira burra e fazer nuances e usar meias de rede, mas se começar a falar de Kierkegaard no primeiro encontro, está tudo acabado, porque nenhum homem quer passar o resto da sua vida a ouvir falar de coisas que não entende. As inteligentes do 3.º milénio já não são como as intelectuais dos anos 60 em que 10 minutos a pintar as unhas eram 10 minutos roubados à alfabetização dos pobres, mas ou se é inteligente arraçada de mulher fatal e aí sempre se tem alguma hipótese com os falsos-tímidos que têm um fetiche com as dominadoras que falam russo, ou então pode-se começar a treinar para tia. No entanto, se se for uma Inteligente com sorte, pode-se dar de caras com outro Inteligente da mesma espécie. Pormenor: o Inteligente, como se viu atrás, tende a fugir com a Certinha, que usa as cuecas a dizer Terça-feira à Terça-feira mesmo, ao contrário da Inteligente, que as usa ao Domingo ou quando calha, que nunca é na Terça-feira.

Relacionados

Comportamento

Homens: os sinais que lhe dizem se ele está interessado em si... ou não

Pesquisas revelam que há uma série de gestos que os homens fazem, repetidamente, quando estão interessados numa mulher. Fique a saber quais são e o que significam.

Comportamento

As mulheres a que os homens não resistem

Até podemos ser uma delas, até podemos nunca ter dado por isso, mas a verdade é que há mesmo tipos universais de mulheres que os atraem. Conhece alguma?

Comportamento

O que procuram os homens numa mulher?

Esta é a eterna questão! Por isso mesmo, fomos ter com eles e lançámos a pergunta. Eis as respostas que obtivemos...

Mais no portal

Beleza e Saúde

4 franjas que estão entre as tendências de cabelos para o novo ano

Qualquer uma destas sugestões é boa para quem dispensa a ideia de passar por uma transformação radical.

Celebridades

Kamala Harris revela a forma engraçada como conheceu o marido

E disse ainda tê-lo pesquisado na internet antes do primeiro encontro.

Beleza e Saúde

Tremer de frio pode emagrecer mais que alguns exercícios

Entenda como.

Celebridades

Gigi Hadid descobriu que estava grávida um dia antes de desfilar

Saiba como é que a modelo conseguiu controlar as náuseas.

Comportamento

Existem cinco tipos de casais - e parece que apenas três deles são felizes

Veja que características têm os casais que conseguem gerir conflitos de uma forma saudável.

Beleza e Saúde

As velas são tóxicas?

Entenda os potenciais efeitos na saúde.

Lifestyle

6 lugares em Lisboa que irradiam o otimismo do Illuminating Yellow

O Pantone Color Institute elegeu este amarelo vibrante como uma das cores de 2021.

Beleza e Saúde

Emily Ratajkowski usou este creme para acalmar a pele na quarentena

Conheça o produto que se encontra em saldos.

Beleza e Saúde

Adora "Bridgerton"? Revelamos os segredos de beleza da série da Netflix

O responsável pelos cabelos e maquilhagens de toda a produção revelou como criou os "looks" das personagens.

Beleza e Saúde

COVID-19: 1 em cada 8 dos pacientes britânicos que regressam ao hospital morrem

Foram analisados dados de mais de 47 mil pessoas.

Celebridades

Sobrinho de Beyoncé terá divulgado vídeos íntimos da ex-namorada na internet

Julez Smith poderá estar em apuros com a lei. Solange e Beyoncé, a mãe e a tia do jovem, respetivamente, estarão furiosas.