120753710.jpg

Lembre-se: vai ter de viver com eles toda a vida. Interessa-lhe criar gente civilizada. Para isso…

Tenha uma vida pessoal
Não transforme a criança na sua razão de viver nem numa compensação pela falta de outros amores. Não os torne seus confidentes ou substitutos de outro tipo de afectos que eles não podem, nem devem, dar.

Como pode estragar-lhe a vida: Muitas vezes os filhos são uma boa desculpa para não tirarmos o máximo partido da nossa vida, que exige trabalho e coragem.

O que pode fazer: Pode decidir ficar no sofá a ver a telenovela, mas não deite as culpas para cima dos seus pequenos.

Mantenha os seus interesses
É importante que a sua identidade não seja só a de ‘mãe’. Arranje outros interesses ou mantenha os que já tinha antes de ser mãe. Dedique-se ao voluntariado, ao step, à dança do ventre, participe em tertúlias de amigos, faça parte do coro da igreja… enfim, o que quer que seja que lhe faça sentir que é útil aos outros e a faz sentir bem consigo própria.

Como pode estragar-lhe a vida: Pode viver tanto em função deles que começa a achar que eles têm de lhe ‘retribuir’ e contar tudo, tipo telenovela.


O que pode fazer: Tenha coisas que os seus filhos não sabem sobre si. Tenha os seus próprios amigos e saia com eles de vez em quando, sem as crianças atreladas. Não há tempo? Há sempre tempo para o que é essencial. O problema é que, a certa altura, começamos a achar que os amigos não são essenciais. Pode ser o maior erro da nossa vida.

Não se sacrifique por eles
A não ser que seja uma questão de sobrevivência ou que valha mesmo apena. Um sacrifício é um peso que atiramos para os ombros de outra pessoa, principalmente quando ela não o pediu.


Como pode estragar-lhe a vida: Mesmo que se tenha feito a coisa abnegadamente e sem esperar nada em troca, é muito difícil no futuro fugir àquela cena do:’Eu sacrifiquei-me por ti estes anos todos e assim que tu me pagas?’


O que pode fazer: Lembre-se: para si própria, você tem de ser mais importante do que os seus filhos, do que os seus pais, do que o seu marido.

Invista na sua relação
Se for separada, o melhor que pode fazer pelas crianças é arranjar um namorado. Se for casada, não deixe que a relação com a criança se s[SM1] obreponha relação com o seu marido.


Como pode estragar-lhe a vida: Chegar aos 50 anos e descobrir que as crianças não lhe ligam nenhuma e que por causa delas passou a vida inteira sem ninguém.


O que pode fazer: Claro que se é do estilo de andar a mudar de príncipe como quem salta de nenúfar em nenúfar não convém apresentá-lo imediatamente aos seus rebentos, mas pelo menos não vive a achar que se ‘sacrificou’ por causa deles. Os filhos precisam de uma mãe amada com outro tipo de amor que não o deles.

Dê-lhes limites
Não crie um ditador, porque vai ter de viver com essa pessoa imenso tempo. Mais do que educá-lo para ser um génio, é importante criar alguém com quem seja bom viver.


Como pode estragar-lhe a vida: Ter alguém dentro de casa a dar-nos ordens a torto e a direito e a achar que tudo lhe é devido é pior que dormir com o inimigo.


O que pode fazer: Se lhe calhou um autoritário na rifa, não entre na onda: afinal, o ‘presidente da junta’ é você. Não ature crianças malcriadas… nem a sua. Não responda a ordens nem a más maneiras: peça-lhe para repetir de forma delicada e explique-lhe que as pessoas não gostam de ser tratadas com maus modos. Se precisar de lhe chamar a atenção em frente de outros, diga-lhe ao ouvido.


Muito importante: não viva para ele,viva com ele: se o habituar à ideia de que a mãe vive para ele, ele há-de ficar a achar que o resto do mundo está às suas ordens.

Seja a mãe que gostaria de ter tido
Claro que isto pode ser uma armadilha, pois o sonho de lhe dar a infância perfeita que nós não tivemos nem sempre resulta. Mas a ideia é esta: trate-o como gostava que a tivessem tratado a si. É sempre útil ter boa memória, nem que seja para pensar que na idade dele você,se calhar, também pensava assim.


Como pode estragar-lhe a vida: Se os educarem pequeninos só com base na ordem e no autoritarismo, o ressentimento deles arrisca-se a explodir-lhe na cara quando forem adolescentes. Se for autoritária com eles, não se admire que eles sejam trombudos e autoritários de volta.


O que pode fazer: Seja simpática. Claro que ser simpática não é deixá-los fazer tudo quanto querem. Com a idade, eles começam a trazer ideias de fora e a fazer experiências, mas uma boa altura para explicar que desse modo não é a melhor maneira de resolver as coisas. Há quem aconselhe a tratar os filhos como visitas: perguntar-lhes a opinião e ouvir o que pensam, pedir por favor e obrigado, pedir desculpa se for caso disso, não criticar aquilo que não se pode mudar (traços de temperamento, como a timidez, por exemplo) e não se curvar a tudo o que eles querem.

Não stresse com as birras
Perceba que as crianças são pequenas e fracas (mesmo que algumas pareçam ter nascido com o software do Génio do Mal incorporado) e fazem experiências sobre a melhor forma de obterem o que querem. Tendo em conta como são fracas e como estão entre nós há tão pouco tempo, é absolutamente admirável que a maioria das suas tentativas sejam tão eficazes…


Como pode estragar-lhe a vida: Toda a gente sabe: se ceder uma vez, a próxima birra vai ser muito mais forte.


O que pode fazer: Cinco coisas ajudam: não ceder, não ter pena dele, não tentar raciocinar com ele a meio da tempestade, não levar a coisa a peito e não reagir ao nível deles.

Não o deixe interferir na sua vida amorosa
Não faça como a Nicole Kidman, que obrigava cada pretendente a obter primeiro a aprovação dos filhos, Connor e Isabella. Francamente! Estão a imaginar o Tom Cruise a aparecer às crianças e a dizer:’Olhem, meninos, tenho aqui uma moça que quero que vocês aprovem antes de saber se a convido para caçar extraterrestres ou não’?


Como pode estragar a sua vida: Eles começam a achar que têm direitos sobre si.


O que pode fazer: Não lhes dar justificações. O candidato a namorado é seu e não deles. Se eles aprovarem, excelente. Se não aprovarem, paciência, ó que chatice, tem imensa pena mas a escolha é sua.

Racione os chocolates
Em pequeninos, eles vivem perfeitamente sem açúcar. Somos nós que os encharcamos de pães com chocolate e leite com açúcar com o pretexto de que ‘comem melhor’. Pois comem. Mas interessa-lhe que ‘comam melhor’ uma data de porcarias? Além disso, a maioria das crianças não vai gastar as calorias que come. A maioria delas o mais activo que faz é mexer o rato, e mesmo que se desunhem a jogar futebol irão ficar com vícios de boca para o resto da vida. A educação alimentar dá um bocadinho de trabalho mas compensa.


Como pode estragar-lhe a vida: Chegar aos 10 anos com uma criança gorda, incapaz de levantar o rabo do sofá e despregar os olhos da consola, com uma relação conflituosa com o próprio corpo e muita dificuldade em mudar este estado de coisas.


O que pode fazer: Mude de hábitos suavemente. Não proíba os doces, mas controle: só depois do jantar, por exemplo. Mesmo que ele se farte de comer porcarias no bar da escola, em casa pode compensar com legumes, sopa e fruta. E inscreva-o na natação.

Não lhes dê tudo
A missão de uma mãe é dar amor, não é dar consolas. Fomos todos subtilmente (e somos todos os dias) condicionados pela ideia de que dar amor a uma criança é dar-lhe o último modelo de Playstation, mas desactive esse pensamento. Perceba que estamos a ser ‘pensadas’ pela sociedade consumista que quer que se pense assim. Se as suas crianças s se recordarem de si por aquilo que lhes deu, é mau sinal.
Como pode estragar-lhe a vida: Se começar a ceder, ele irá pedir mais e mais, porque está no seu papel. Lembre-se de que ele tem o direito de pedir, você tem o direito de dizer não, e ele tem o direito de fazer uma birra em pleno hipermercado. É melhor aturar umas birras monumentais enquanto ele é pequeno do que tê-lo a achar que tudo lhe é devido, que tudo lhe cai do céu, e que não pode ser feliz sem isto ou aquilo.
O que pode fazer: Educá-lo para perceber de onde vem o dinheiro e treinar-lhe a auto-estima, que não deve depender do que uma criança tem, mas do que é. Faça a experiência com a sua infância: o que é que recorda da sua mãe? A boneca que lhe deram ou os dias divertidos que passaram juntas, os beijos, as conversas?

[SM1]

Palavras-chave

Relacionados

Comportamento

Meningite o inimigo escondido

É a doença que mais alarma os pais com filhos pequenos, mas também ataca adolescentes e adultos. Aprender a reconhecer os sintomas pode salvar vidas.

Comportamento

Boas razões para deixar o seu filho jogar consola

O seu filho passa horas a fio agarrado ao comando? Tenha calma. Dentro de certos limites, os jogos apresentam vantagens surpreendentes para os mais novos.

Comportamento

Mãe, dá-me dinheiro

As crianças adoram pedir aos adultos que lhes comprem brinquedos, roupas, jogos. Mas, para que saibam que tudo custa dinheiro, ensine-as desde cedo que para conseguirem as ambicionadas moedas não basta pedi-las, há que merecê-las.

Comportamento

Stresse: crianças à beira de um ataque de nervos

Sabia que um bebé de poucos meses pode sofrer de stresse? Pois acredite que é mesmo verdade. E o pior de tudo é que somos nós, adultos, que andamos a transformar as nossas crianças em stressados profissionais. Mas será que não há mesmo outra saída?

Comportamento

Os seus filhos esão viciados em novelas?

Quem tem filhos entre os 7 e os 12 anos já sabe que todas as tardes eles ficam colados em frente à televisão. Já lhes chamam a 'geração morangos com açúcar'. Há quem encolha os ombros, quem proíba e quem defenda que deve haver outras maneiras de lidar com o assunto. Mas afinal, eles podem ou não ver uma telenovela?

Comportamento

Timidez: como ajudar o seu filho a vencê-la

Ela agarra-se às pernas da mãe e olha os outros por baixo de sobrancelhas cerradas. A timidez pode ser passageira, mas há formas de impedir que se transforme num sofrimento.

Comportamento

Por que é que as crianças não aprendem?

Fazê-lo passar o dia a estudar não ajuda necessariamente o seu filho. Numa altura em que as dificuldades escolares estão a aumentar em Portugal, um especialista ajuda-a a tornar o seu filho num bom aluno... e feliz!

Comportamento

Geração XL: o perigo da obesidade infantil

Porque é que as crianças de hoje são mais gordinhas do que os seus avós? Não, não é porque se fartam de comer: até comem menos calorias do que antigamente. O que acontece é que gastam muito menos. Aqui ficam algumas dicas para prevenir a obesidade infantil.

Comportamento

O que querem dizer os pesadelos das crianças

Monstros, baratas ou grandes quedas. Estes são alguns dos temas recorrentes dos sonhos infantis. Saiba o que querem dizer e ajude os mais novos a ultrapassarem os seus medos e inseguranças.

Comportamento

Como tornar o seu filho mais confiante em si mesmo!

A confiança e segurança da criança não se conseguem instigando a competição ou fazendo-lhe todas as vontades. Essencial é conseguir dotar o seu filho de uma imagem adequada de si mesmo e da capacidade para lidar com o fracasso. Quer saber como?

Comportamento

Dislexia, a doença das palavras

Einstein era disléxico. Para o cientista, isso não constituiu um obstáculo, mas a história é diferente para muitas crianças que continuam a ser marginalizadas por falta de um diagnóstico correcto. Por isso mesmo, fomos saber mais sobre uma perturbação da escrita e da leitura que nada tem a ver com o Q.I.

Comportamento

É possível que um bebé destrua um casamento?

A chegada de um filho pode ser a maior benção para um casal, mas também pode significar o fim de uma relação.

Comportamento

Saiba o que pode comprometer o sucesso escolar do seu filho!

Será que o seu filho sofre de dislexia? Ou de hiperactividade? Estas são duas das maiores causas para o insucesso escolar. Saiba como pode identificá-las e qual o tratamento.

Comportamento

Como associar a escola ao prazer?

A escola tem, como é claro, aspectos menos atractivos para as crianças: regras e disciplina e matérias que, para eles, são um suplício. Mas há formas de dar a volta à situação.

Comportamento

"O meu marido deixou de pagar pensão de alimentos..."

São muito comuns os casos em que um dos progenitores deixa de pagar a pensão de alimentos por sua livre e espontânea vontade. Perguntámos à advogada Patrícia Silva o que fazer nessa situação.

Mais no portal

Beleza e Saúde

4 franjas que estão entre as tendências de cabelos para o novo ano

Qualquer uma destas sugestões é boa para quem dispensa a ideia de passar por uma transformação radical.

Celebridades

Kamala Harris revela a forma engraçada como conheceu o marido

E disse ainda tê-lo pesquisado na internet antes do primeiro encontro.

Beleza e Saúde

Tremer de frio pode emagrecer mais que alguns exercícios

Entenda como.

Celebridades

Gigi Hadid descobriu que estava grávida um dia antes de desfilar

Saiba como é que a modelo conseguiu controlar as náuseas.

Comportamento

Existem cinco tipos de casais - e parece que apenas três deles são felizes

Veja que características têm os casais que conseguem gerir conflitos de uma forma saudável.

Beleza e Saúde

As velas são tóxicas?

Entenda os potenciais efeitos na saúde.

Lifestyle

6 lugares em Lisboa que irradiam o otimismo do Illuminating Yellow

O Pantone Color Institute elegeu este amarelo vibrante como uma das cores de 2021.

Beleza e Saúde

Emily Ratajkowski usou este creme para acalmar a pele na quarentena

Conheça o produto que se encontra em saldos.

Beleza e Saúde

Adora "Bridgerton"? Revelamos os segredos de beleza da série da Netflix

O responsável pelos cabelos e maquilhagens de toda a produção revelou como criou os "looks" das personagens.

Beleza e Saúde

COVID-19: 1 em cada 8 dos pacientes britânicos que regressam ao hospital morrem

Foram analisados dados de mais de 47 mil pessoas.

Celebridades

Sobrinho de Beyoncé terá divulgado vídeos íntimos da ex-namorada na internet

Julez Smith poderá estar em apuros com a lei. Solange e Beyoncé, a mãe e a tia do jovem, respetivamente, estarão furiosas.