iStock-479688136.jpg

*artigo publicado originalmente em dezembro de 2017

“Carolina, queres ler este livro?” Andreia Santos já perdeu a conta às vezes que fez esta pergunta à filha de 8 anos, cuja resposta oscila entre um encolher de ombros desinteressado e um redondo ‘não’. Carolina cresceu numa casa cheia de livros e adormecia com histórias contadas pelos pais, que adoravam ler. É-lhe familiar? Não está sozinha, bem-vinda ao (cada vez maior) clube de pais desesperados porque os filhos não acham piada aos livros. A parte preocupante é que os miúdos, ao privarem-se do mundo maravilhoso dos livros, não usufruem dos enormes benefícios que eles nos trazem: informam, enriquecem o vocabulário, estimulam a criatividade, a imaginação, o raciocínio, reduzem o stresse, ajudam-nos a criar empatia com os outros e está provado que ler por prazer é mais importante para o sucesso escolar que a riqueza ou a classe social a que a família pertence. Com tantas vantagens, vale mesmo a pena despertá-los para o prazer da leitura.

Tanta coisa interessante, tão pouco tempo livre


Sempre houve crianças que fugiam dos livros a sete pés mas nos últimos anos o problema parece ter alastrado. Lourdes Mata, professora e investigadora no Centro de Investigação em Educação no ISPA – Instituto Universitário, não tem dúvidas quanto às razões deste desinteresse, “agora as crianças têm múltiplas solicitações, outro ritmo de vida e estão rodeadas de coisas interativas e que despertam mais curiosidade: a televisão tem desenhos animados 24h por dia, vivem rodeadas de tablets, telemóveis… Outro dos problemas tem a ver com a escola, que se tem preocupado muito em ensinar a ler e a escrever mas pouco em motivar as crianças e a alimentar a curiosidade por histórias. Assim que entram no 1.º ciclo deparam-se com a enormidade das tarefas que têm para fazer e a leitura de livros acaba por se tornar mais um TPC. Há uns anos fizemos um estudo com crianças que foram do pré-escolar para o 1.º ano de escolaridade e verificámos que além da motivação para a leitura diminuir, o tempo que as famílias dedicavam à leitura de histórias decrescia drasticamente porque há outras tarefas ligadas à escola que são mais valorizadas. É esta perda de práticas de literacia em família que não pode acontecer”.

Pequenas estratégias para grandes leitores


Mesmo que o seu filho já tenha 8-10 anos e não goste de ler, não dê a batalha como perdida. “Vai ser difícil convencê-lo – porque muitas crianças não associam a aprendizagem a coisas agradáveis –, mas não impossível”, afirma a professora e investigadora Lourdes Mata.


• Faz o que eu faço. Não pode estar à espera que ele seja um bom leitor se nunca vê os pais a ler.
• Leia-lhe histórias mesmo que ele já saiba ler sozinho. Sentem-se lado a lado, abram o livro e cada um lê uma página. A leitura partilhada, em família, é a base para criar um leitor apaixonado por livros.
• Deixe-o escolher a história. Mesmo que seja infantil para a sua idade, ou uma BD, não critique, “é porque se sentem mais confiantes naquele formato. Há crianças que se assustam só de olhar para uma página cheia de texto, para elas é um sofrimento”. Ah, e nada de livros da escola.
• Não o obrigue a ler na hora dos desenhos animados favoritos senão vai pensar que é uma punição.
• Crie a lagarta dos livros. Por cada livro já lido, escreva o título num círculo em cartolina e cole na parede do quarto. A ideia é fazer uma lagarta gigante.
• Saibam tudo sobre o Ronaldo. Se ele gosta muito de um futebolista, porque não leem as notícias desportivas de um jornal?
• Leiam sempre o livro antes de ver o filme (‘Charlie e a Fábrica de Chocolate’, ‘Matilda, ‘Rapunzel’, ‘Crónicas de Nárnia’, ‘Crónicas de Spiderwick’). Depois digam o que gostaram mais ou menos no livro e no filme.
• Sugira que ele leia livros para os irmãos ou primos mais novos.
• Façam um audiolivro e ouçam a gravação nas viagens.
• Ler para uma plateia de 4 patas. As crianças sentem-se mais confiantes quando leem para cães e gatos, eles não criticam, limitam-se a ouvir. “Estive envolvida num projeto com a Câmara de Silves, chamado ‘Cãofiante’, em que um cão servia de elemento motivacional para as crianças aderirem à leitura. Os miúdos adoraram, estavam o mês inteiro à espera do dia em que liam para o cão na biblioteca. No fim da sessão, faziam-lhe festinhas e escolhiam um livro para levar para casa e ler em família”.
• Formem um clube de leitura com os amigos: podem discutir as personagens favoritas, o que não gostaram… Os pais não devem interferir.
• Não obrigue a ler até ao fim se ele não gostar do livro. Vão à biblioteca e explorem temas diferentes.
• Façam um diário de férias. “Não tem de escrever todos os dias e pode incluir o bilhete de cinema, do museu, fotos que tenha tirado. Algumas impressões sobre a experiência e pronto”, aconselha Lourdes Mata.
• Façam de turistas na própria cidade (ou fora dela). Podem ir ao posto de turismo e depois ele que leia os locais de interesse a visitar.
• Peça-lhes para tomar nota da lista de compras.
• Façam um bolo e peça para ler os ingredientes e a preparação.

Já nas bancas!

Assine a ACTIVA por 6 meses a partir de 10 euros Assine já

Relacionados

Comportamento

Chapéus para manter os mais pequenos protegidos do sol

Quando estiver a reunir os essenciais de verão para si e para o seu pequenote, não se esqueça deste acessório must-have, não só pelo estilo mas, acima de tudo, pelo fator proteção nos dias quentes.

Comportamento

Violência no namoro afeta mais de 50% dos jovens portugueses

Amor não é violência, criticar, insultar, controlar ou forçar a fazer algo que não queiramos! Depois de vários estudos revelarem que mais de metade dos jovens portugueses é vítima de violência no namoro, nunca é demais repetir esta frase aos nossos filhos.

Comportamento

Alternativas ao 'cantinho' para disciplinar os mais novos

Bastaram dois episódios do malogrado ‘Super Nanny’ para trazer à ribalta a técnica do cantinho, onde a criança fica, literalmente, a um canto. Mas há várias alternativas: mães, educadoras e psicólogas explicam.

Mais no portal

Moda

Victoria's Secret vendida a fundo de investimento por quantia milionária

A Victoria's Secret voltará a ser uma empresa privada, com capital fechado.

Inspirações

Quem é a Carolina Deslandes? A cantora responde

Na #VozActiva deste mês.

Celebridades

Tudo o que Meghan vai poder voltar a usar ao deixar a casa real britânica

Unhas coloridas, vestidos curtos ou sandálias abertas são algumas das opções.

Celebridades

"O maior arrependimento da minha vida": é assim que Ben Affleck descreve o seu divórcio com Jennifer Garner

Jennifer Garner e Ben Affleck estão separados desde 2015.

Moda

Letizia usa capa oversize da Zara que é um must-have da estação

A rainha esteve presente na sede da UNICEF em Madrid.

Comportamento

Voz ACTIVA Podcast: Margarida Vieitez e Patrícia Matos revelam-nos o lado menos conhecido de 24 personalidades nacionais

As autoras do livro 'Sucesso Emocional' entrevistaram 24 personalidades para tentar compreender como gerem as emoções.

Celebridades

Aos 16 anos, Millie Bobby Brown faz desabafo sobre hipersexualização

A atriz de "Stranger Things" diz-se frustrada pelo tratamento que recebe da imprensa.

Moda

Meghan Markle e os seus sapatos feitos a partir de garrafas de água

Meghan tem privilegiado o uso de marcas de moda mais sustentáveis.

Moda

Disney lança coleção de vestidos de noiva inspirados nas princesas

É a primeira vez que a Disney faz uma parceria com a marca de vestidos Allure Bridal.

Celebridades

Nova Miss Alemanha tem 35 anos, é empresária e mãe

Leonie Charlotte von Hase foi a grande vencedora desta edição do concurso, que pretende acabar com os estereótipos.

Beleza e Saúde

Esta é a receita caseira perfeita (e deliciosa) para os lábios secos

Só vai precisar de três ingredientes!

Celebridades

Namorada de Al Pacino termina relação e diz que o ator é "velho" e "mesquinho"

Meital Dohan é 39 anos mais nova que Al Pacino.

Assine a ACTIVA por 6 meses a partir de 10 euros

Já nas bancas!

Assine já