iStock_000018388747_Small.jpg

*artigo publicado originalmente em janeiro de 2016


Na vida de um casal tudo é partilhado, as conquistas, os medos ou até a conta do banco. E em relação às passwords do email, redes sociais e telemóvel? Os novos iPhone conseguem reconhecer até cinco impressões digitais, será que uma delas deve pertencer ao nosso marido ou namorado? Dar o código do telemóvel e a palavra passe das redes sociais tornou-se num novo marco na relação e porta aberta para todas as nossas informações, desde mensagens a fotografias e contactos. Para alguns significa até um símbolo de transparência, prova de que não há segredos entre o casal. Mas se há tanta confiança, por que razão sentem necessidade de partilhar toda a informação, até aquela que é da esfera privada? Segundo um estudo do Centro de Pesquisa Pew, nos EUA, 67% dos casais partilham as senhas de todas as contas. Se é verdade que as redes sociais facilitam a infidelidade, o acesso livre a elas também não é garantia de nada, pode até dar uma falsa segurança. Recolhemos o testemunho de várias mulheres, com opiniões divergentes sobre o assunto.

“ESTOU CASADA HÁ 4 ANOS E NÃO PARTILHO AS PASSWORDS DE NADA – Facebook, email, cartões multibanco. A vida enquanto casal é uma coisa, mas devemos preservar a nossa privacidade. Cada um tem o seu espaço e acho melhor não misturar o que só a mim diz respeito. Não seria normal chegar a casa e o meu marido estar no meu email, ou eu no dele. Isso não faz sentido. Nunca dei os meus acessos a ninguém, tanto é que mantenho a minha password há anos.
A única coisa que sei dele é o código de bloqueio do telemóvel, isto porque posso precisar de ligar para alguém. Claro que já fui cuscar o telemóvel, só para ver se estava tudo bem. Mas acho que faço isso cada vez menos, a idade traz-nos mais confiança. Essa coisa de ir ver o telemóvel acaba por ficar um pouco para trás.”
Marta Sousa, 29 anos

“NAMORO HÁ UM ANO E NÃO DOU AS MINHAS PASSWORDS, ATÉ PORQUE JÁ TIVE UMA MÁ EXPERIÊNCIA. O meu ex-namorado, com quem estive durante quatro anos, obrigava-me a dar-lhe as minhas passwords. Se não dava, dizia-me que tinha algo a esconder e assim começavam as discussões. Como não tinha mesmo nada a esconder, acabei por dar. Não sei com que frequência ele ia às minhas redes sociais, mas existia sempre uma espécie de controlo, não só para saber se eu estava a traí-lo mas para saber tudo: com quem é que eu conversava ou com quem é que combinava coisas. Nem podia falar à vontade com as minhas amigas, mesmo de coisas normais, porque sabia que ele ia ler. Muitas vezes, quando estávamos chateados e eu desabafava com as minhas amigas no chat do Facebook, ele acabava por saber a conversa toda. A certa altura, mudei a minha password, claro que ele disse que eu tinha mudado só para ele não poder controlar, e foi mais uma discussão. Eu também tinha a password dele, porque foi o próprio que a deu como forma de me pressionar a dar a minha, quase como uma troca. Entrei na conta dele, porque se ele achava que tinha o direito de ver a minha vida, eu fazia o mesmo com ele, só que com menos regularidade.
Na minha relação atual não tenho a password dele, nem ele a minha. Aliás, apesar de vivermos na mesma casa, ele fecha sempre a sessão no Facebook e eu passei a fazer o mesmo, o que não quer dizer que não confie nele.”
Sónia Santos, 21 anos

“NUNCA DEI A MINHA PASSWORD A NENHUM NAMORADO, NEM NUNCA QUIS TER A DELES. Por um mero acaso, o meu ex- -namorado, com quem estava há cerca de 3 anos, disse-me qual era a pass do Facebook dele. Como não era nada de complicado, decorei. Confesso que nunca tentei entrar na sua conta… até ao dia em que desconfiei dele. Contaram-me que ele me tinha traído, disseram-me o nome da pessoa em questão e até o dia em que tudo teria acontecido. Não queria acreditar que aquilo era possível, apesar de todas as evidências. Quando entrei no Facebook, lá estava tudo, as conversas, os detalhes, e tudo o que precisava (e não precisava) de saber sobre a traição.
Agora não era capaz de partilhar as minhas passwords e também prefiro não saber as dos outros. Apesar de ter sido por saber a palavra passe dele que consegui confirmar toda a história, acho que é melhor cada um manter a sua privacidade.”
Carlota Costa, 23 anos

“NÃO TENHO PROBLEMA NENHUM EM DAR AS MINHAS PASSWORDS, aliás, dou e tenho a palavra-passe do meu namorado, com quem já estou há um ano. Não tenho o hábito de ir ver nada sem que ele esteja presente. O que acontece é que muitas vezes peço para ele ver algo no meu telemóvel ou estamos no sofá juntos e peço o telefone dele porque o meu está a carregar. Entro no Facebook dele e acabo por ver tudo ali, até porque temos muitos amigos em comum. A minha relação é aberta e assim como dou o meu código pin do multibanco para ele fazer um pagamento, também dou os acessos às minhas redes sociais. Sei que ele não vai aceder sem a minha autorização. Quando as pessoas querem fazer alguma coisa às escondidas, arranjam sempre forma de o conseguir. Estamos sempre ligados à internet e assim que entra uma mensagem recebemos a notificação; quando alguém tem algo a esconder não abre logo ou algo do género. Existem muitos sinais e a idade e maturidade vai-nos ensinando muita coisa.
Fui casada durante nove anos e nunca dei as passwords, simplesmente porque a pessoa com quem estava não ligava muito a redes socais. Às vezes também depende das circunstâncias.” Andreia Mafra, 38 anos

““ENTAR NO FACEBOOK DO MEU NAMORADO ACABOU POR ME MOSTRAR MUITA COISA. Namorava há quinze anos e vivia numa relação de desconfiança. Ele não me deu acesso a nada mas acabei por obter a password e assim validar as minhas desconfianças. Ao entrar na conta constatei que existia uma relação paralela com uma pessoa há distância e que era tudo alimentado pelo Facebook. Ele nunca teve a minha password e estava mesmo bloqueado no meu Facebook, apesar de vivermos juntos. Era uma pessoa tão ciumenta que chamava à atenção qualquer amigo que fizesse um like ou um comentário numa foto minha. Não é preciso uma palavra passe para descobrir algumas coisas, há comportamentos no Facebook que nos dão muitos sinais. Se o nosso namorado diz que vai para a cama e às 3 da manhã ainda está online, ficamos logo a pensar com quem é que ele está a falar a essa hora, ou basta até fazer uma pesquisa e perceber quais as pessoas que fazem sempre likes nas fotos. Neste momento não dou, nem quero ter as passwords da pessoa com quem estou. Até posso ter o meu telemóvel acessível e isso é uma prova de confiança, mas dar as passwords não faz sentido.” Mónica Garcia, 34 anos

Na ACTIVA apresentamos-lhe mulheres e ideias inspiradoras nas mais diversas áreas. Acompanhe-nos, deixe-se inspirar e leia já esta revista. ASSINE AQUI

Mais no portal

Mais Notícias

Ecossintonia: quatro atrizes juntas na atitude sustentável

Ecossintonia: quatro atrizes juntas na atitude sustentável

Princesa Elisabeth da Bélgica usa visual sofisticado em inauguração de navio militar

Princesa Elisabeth da Bélgica usa visual sofisticado em inauguração de navio militar

Famosos divertem-se no segundo fim de semana de Rock in Rio

Famosos divertem-se no segundo fim de semana de Rock in Rio

Fashion Clinic abre 'pop-up store' no Carvalhal

Fashion Clinic abre 'pop-up store' no Carvalhal

JL 1348

JL 1348

A PRIMA gosta das cores de verão da Parfois, dos sabores frescos da Brigadeirando e da nova coleção da Joana Mota Capitão

A PRIMA gosta das cores de verão da Parfois, dos sabores frescos da Brigadeirando e da nova coleção da Joana Mota Capitão

Respostas aos problemas com os oceanos devem envolver países, empresas e pessoas

Respostas aos problemas com os oceanos devem envolver países, empresas e pessoas

Chuva de críticas a

Chuva de críticas a "Para Sempre"

H.amo: uma nova forma de decoração da sua mesa inspirada nos padrões portugueses

H.amo: uma nova forma de decoração da sua mesa inspirada nos padrões portugueses

Como saber se ele está mesmo apaixonado por si?

Como saber se ele está mesmo apaixonado por si?

Apple deverá anunciar mais de dez produtos novos ainda em 2022

Apple deverá anunciar mais de dez produtos novos ainda em 2022

Oeiras EcoRally arranca sexta-feira com a participação da Exame Informática

Oeiras EcoRally arranca sexta-feira com a participação da Exame Informática

Sara Matos usa visual com mensagem forte

Sara Matos usa visual com mensagem forte

EDP antecipa para 2040 a redução em mais de 90% de emissões na cadeia de valor

EDP antecipa para 2040 a redução em mais de 90% de emissões na cadeia de valor

As figuras da PRIMA 16

As figuras da PRIMA 16

Como os visuais de Jill Biden e Letizia passaram mensagens

Como os visuais de Jill Biden e Letizia passaram mensagens

CARAS Decoração de junho: retiros naturais

CARAS Decoração de junho: retiros naturais

Sugestões confortáveis para aproveitar os dias de sol

Sugestões confortáveis para aproveitar os dias de sol

“A inovação pode ser o motor da recuperação pós-pandemia”, defende António Campinos, Presidente do Instituto Europeu de Patentes

“A inovação pode ser o motor da recuperação pós-pandemia”, defende António Campinos, Presidente do Instituto Europeu de Patentes

Fotografe o Peugeot e-208 no Oeiras EcoRally e ganhe prémios

Fotografe o Peugeot e-208 no Oeiras EcoRally e ganhe prémios

Daniel Blaufuks na série PH

Daniel Blaufuks na série PH

Estas são as dores mais comuns na depressão

Estas são as dores mais comuns na depressão

Raquel André: Uma Língua Portuguesa afiada

Raquel André: Uma Língua Portuguesa afiada

Motos elétricas Silence chegam (oficialmente) a Portugal

Motos elétricas Silence chegam (oficialmente) a Portugal

Klara Castanho: a atriz de 21 anos que foi abusada, engravidou, deu o filho para adoção e viu-se obrigada a contar a sua história

Klara Castanho: a atriz de 21 anos que foi abusada, engravidou, deu o filho para adoção e viu-se obrigada a contar a sua história

Letizia recupera vestido de couro para presidir a entrega de prémios de sustentabilidade

Letizia recupera vestido de couro para presidir a entrega de prémios de sustentabilidade

Tecnologia Renault para os carros do futuro

Tecnologia Renault para os carros do futuro

Bruna Gomes falha regresso ao Brasil:

Bruna Gomes falha regresso ao Brasil: "Errei a data!"

Oceanos: Conferência da ONU entra hoje no segundo dia com

Oceanos: Conferência da ONU entra hoje no segundo dia com "promessa oceânica"

O que inquieta Jessica Athayde?

O que inquieta Jessica Athayde?

Putin quer Minsk

Putin quer Minsk

"Se olharmos para o tempo da União Soviética e para o papel que teve na independência de alguns países africanos, vemos que a kalashnikov é um verdadeiro símbolo de descolonização"

Cientistas descobrem a maior bactéria de sempre nas Caraíbas

Cientistas descobrem a maior bactéria de sempre nas Caraíbas