De acordo com o El País, um em cada quatro casais já decidiu dormir em camas separadas. Tudo isto porque, apesar de estar perto de quem amamos ser visto pela maioria como reconfortante e carinhoso, a verdade é que também envolve cenários menos românticos. Desde ressonar a dar pontapés ao companheiro, tudo pode acontecer.

Perante as evidências, vários especialistas concordam que passar a noite em camas ou mesmo quartos separados pode ser benéfico para a qualidade do sono. “Se tivermos ao lado alguém que faça algum ruído, que se mexa, que abane muito as pernas ou que ronque, passaremos de um sono mais profundo para um mais superficial. Durante a noite não vamos notar, mas sim no dia seguinte, quando tivermos a sensação de não ter descansado bem”, explica Eduard Estivill, fundador da Clínica do Sono Estivill.

A psicóloga Francina Bou tem uma perspetiva igualmente interessante: “Dormir como casal é algo que não se faz com mais ninguém. É um ato de intimidade no qual são trocados abraços, carícias ou conversas no fim do dia. É um espaço único e exclusivo de calor e proteção. Mas não deixa de ser cultural. Há muitos outros atos em um casal que criam essa intimidade”.

Mas a verdade é que, inevitavelmente, se se dorme em zonas separadas, surge a sensação de que é porque o casal enfrenta problemas na relação. E isto é, simplesmente, “um estereótipo“, de acordo com a sexóloga Ana Fernández. A verdade é que dormir em camas separadas pode mesmo trazer vários benefícios à relação – se descansamos melhor, também nos iremos sentir melhor e tal refletir-se-á na forma como lidamos com o nosso parceiro.

casal cama separada.jpg

Clicknique

Segundo Estivill, 30% da população tem problemas relacionados com o sono, sendo que muitos deles acabam por interferir com o sono da pessoa que têm ao lado. Além disto, casais que trabalham por turnos enfrentam também esta dificuldade, bem como pessoas com hábitos de lazer distintos – quer seja dormir de luz acesa ou apagada, ou ver televisão até mais tarde. E todos estes pormenores são facilmente resolvidos com a separação de espaços de sono para cada um.

Mas como chegar a um acordo? Primeiro, não devemos “interpretar essa decisão como uma rejeição“, afirma Bou. Caso uma das partes não concorde, pode tentar-se desenvolver um horário. Por exemplo, sugere a psicóloga, no início da semana, quando é precisa mais energia para o trabalho, dormir em camas separadas e, mais para o final da semana, voltarem a dormir juntos. Esta “transgressão” da norma pode até ser entusiasmante para o casal.

De acordo com o El País, 38% dos casais britânicos que tomaram a decisão chegaram mesmo a dizer que as relações sexuais melhoraram. O sexo transcende a cama. Os casais que costumam ter uma vida sexual mais rica usam outros lugares: a casa de banho, a cozinha, o sofá…O principal inimigo é a rotina e, nesse sentido, dormir separados pode servir para estimular a surpresa”, refere Bou.

Acima de tudo, esta deve ser uma decisão tomada em conjunto, tendo em conta as mais variadas componentes da vida do casal – desde os horários de trabalho, aos horários de escola dos filhos ou, simplesmente, à vontade de cada um. E experimentar não custa, certo?

Relacionados

Comportamento

Cara Delevingne e Ashley Benson compraram um banco sexual. Mas, afinal, para que serve?

O brincquedo pode mudar a sua vida - ou ser um desperdício de quase 400€.

Comportamento

As mulheres têm sonhos eróticos tão frequentemente quanto os homens

Revela um novo estudo.

Comportamento

É isto que homens e mulheres realmente querem entre quatro paredes

Apostamos que as respostas não podiam estar mais longe daquilo que está a imaginar.

Mais no portal

Nas Bancas

Como podemos proteger os adolescentes da pandemia do narcisismo?

Vivemos numa 'cultura de superfície'. A expressão é do pedopsiquiatra Pedro Strecht, um dos especialistas que estão preocupados com esta realidade.

Beleza

Aprenda a fazer esta maquilhagem primaveril em apenas quatro passos

Juntámo-nos à Perfumes & Companhia para mostrar a nova coleção da marca exclusiva ARTDECO de uma forma original, com este tutorial de makeup bastante prático.

Saúde

Mifarma evolui para Atida Plus e quer liderar o setor das farmácias online na Europa

"A nossa missão é oferecer uma resposta global e profissional às necessidades de saúde e bem-estar na sociedade", diz-nos Ernesto Martín, Managing Director Southern Europe.

Vejo-me Grega

Aqui jaz um peixe e uma juba anos 80

Uma crónica da editora-executiva da revista ACTIVA.

Saúde

OMS estima que o número de crianças obesas no mundo chegará a 75 milhões em 2025

O Dia Mundial da Obesidade assinala-se nesta quinta-feira, 4 de março. A Ordem dos Nutricionistas alerta para a gravidade do problema.

Mulheres Inspiradoras

Prémio Mulheres Inspiradoras 2020: as palavras inspiradoras de Ana Rocha de Sousa e Cuca Roseta

Pedimos às nossas nomeadas aos Prémios Mulheres Inspiradoras 2020 que nos falassem sobre o que as inspira e as mantém motivadas numa altura desafiante como esta que vivemos. Aqui ficam as respostas que obtivemos de duas das nossas nomeadas na categoria Arte.

Fashion Tips

O denim está na moda. Veja como adotar a tendência na nova temporada

Aqui ficam três sugestões de looks simples e elegantes para incorporar peças em denim nos seus visuais.

Lifestyle

Já tem a Activa no carrinho?

Levar para casa a ACTIVA nunca foi tão fácil. Enquanto faz as suas compras no Continente online, escolha também o melhor da informação e do entretenimento.

Comportamento

Como prever o divórcio? Pessoas contam as histórias de casamentos mais insólitas

Algumas são mesmo difíceis de acreditar.

Moda

Isabel Silva lança duas novas peças da coleção com a Aly John

Caracterizadas por uma grande versatilidade.

Finanças de A a Z

Saiba como poupar nos seguros dos animais domésticos

O novo episódio da rubrica Finanças de A a Z diz-lhe tudo o que precisa saber para escolher as soluções mais vantajosas.

Saúde

Aqui ficam vários programas para dar um 'boost' à sua saúde

Propostas de alimentação saudável que pode encomendar e receber em casa.