vulva sex.jpg

Alexmia

Muitas mulheres não conseguem ter orgasmos. Quer sofra deste “mal” ou não, com certeza conhece alguém que tenha tal dificuldade. E os fatores podem variar – desde pensamentos negativos em que questiona a sua aparência ou performance a efeitos secundários de medicamentos. De qualquer das formas, é algo frustrante e com um impacto negativo na vida sexual do casal.

Janet Brito, psicóloga clínica e terapeuta sexual, disse à Women’s Health: “As mulheres não são encorajadas a focar-se no seu próprio prazer sexual ou sequer a tê-lo. Muitas sentem vergonha e culpa quando têm prazer“. Além disso, “sentem-se constantemente pressionadas para agradar sexualmente o outro em vez de se focarem no que as faz sentir bem a elas“.

Este tipo de pensamentos, que, por sua vez, lhe causam ansiedade e stress, podem estar-lhe a roubar o máximo prazer do ato sexual. E se não for esta a causa, algumas doenças também podem dificultar o orgasmo, pelo que é sempre aconselhável que fale com um médico sobre o assunto. Mas a lista dos “fatores” tem um principal culpado: os medicamentos (nomeadamente antidepressivos ou inibidores de serotonina).

Qualquer que seja o obstáculo a impedi-la de chegar ao orgasmo, uma conversa com o médico é sempre importante. Mas até lá, confira as seguintes dicas para tornar todo o processo mais simples e natural.

1. Conheça o seu clítoris

Brito recomenda que as mulheres conheçam – quer visualmente, com um espelho, quer fisicamente, através do toque – todas as zonas da vagina, nomeando as “mais sensíveis, estimulantes, que fazem ‘cócegas’ e que são desconfortáveis“. O motivo é simples: quanto melhor conhecermos o nosso corpo e o que nos dá prazer, melhores indicações conseguiremos dar ao nosso parceiro.

2. Comece sozinha

Ian Kerner, terapeuta sexual e de relações, garante: “Podemos aprender muito sobre nós próprios durante a masturbação”. Sobretudo, se tivermos tido poucos parceiros ao longo da nossa vida sexual. “Criar um espaço seguro para percebermos qual a pressão que nos dá mais prazer ajuda a diminuir a tensão e expectativas durante o sexo. E quando há menos pressão para ‘fingir’, menos julgamento, e mais foco em identificar o que é prazeroso, as mulheres têm maior facilidade em atingir orgasmos“, acrescenta Brito.

3. Fantasiar e explorar é essencial

Há várias zonas erógenas pelo corpo. Experimente acariciar o peito, as pernas, o pescoço, de modo a perceber comose sente melhor. Pode também usar brinquedos sexuais em vez de somente as mãos. Nestes momentos, pense nas fantasias que tem, assista a pornografia, e permita sentir-se excitada.

4. Reformule as suas inibições

Pense realmente se aquilo que lhe está a passar pela cabeça, durante o ato sexual, não tem um tom depreciativo ou preocupado, causando-lhe ansiedade. Se o identificar, contrarie-o e tente relaxar ao máximo. O desejo que sente no momento deve ser superior a qualquer inibição – foque-se no que está a acontecer no momento. E caso não seja capaz de reformular os seus pensamentos sozinha, pode sempre recorrer a um terapeuta.

5. Não tenha medo de mostrar aquilo que quer

Se sentir algo fantástico durante o sexo, diga-o ao seu parceiro – quer seja verbalmente, ou através de gestos como agarrar-lhe o cabelo -, de modo a que também ele saiba como lhe dar mais prazer. Brito sugere também que questione o seu parceiro acerca das suas zonas erógenas, aproveitando a conversa para lhe falar das suas. “Enquanto algumas mulheres preferem estimulação suave do clítoris, outras preferem a penetração ou uma combinação das duas“, diz.

6. Prepare-se

Aqui, o lubrificante pode ser um grande aliado, bem como os brinquedos sexuais. No fundo, quaisquer “extras” que facilitem o ato sexual e aumentem o prazer são bem-vindos.

7. Tente relaxar

Assim que deixamos de pensar de forma obsessiva em algo, por norma, ela acontece. E o mesmo se aplica ao orgasmo. Se desfrutar da relação sexual sem estar apenas focada no facto de “ter de” chegar ao orgasmo, ser-lhe-á muito mais fácil atingi-lo.

Relacionados

Comportamento

As 10 ideias erradas mais comuns que as mulheres têm sobre sexo.. desmistificadas

Com a ajuda de especialistas na área.

Comportamento

9 factos surpreendentes sobre a masturbação feminina

Saiba quem o faz mais, quais os benefícios e tudo o resto que devia saber sobre esta prática sexual.

Comportamento

Eis as 5 coisas de que as mulheres menos gostam nas relações sexuais

Os resultados dizem muito sobre as diferenças entre homens e mulheres.

Mais no portal

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?

Comportamento

A sustentabilidade chegou ao sexo

Conheça quatro formas de ajudar a salvar o planeta entre quatro paredes.

Moda

7 coleções que mostram que a moda sustentável é o estilo do futuro (a começar agora)

Coleções sustentáveis que são um “must-have” para receber o calor

Saúde

Experimentei um copo menstrual pela primeira vez - e foi assim que correu

Nunca é tarde para tomar uma decisão com impacto positivo no ambiente.

Beleza

Saiba como criar uma rotina de beleza mais sustentável

Pequenas mudanças de hábitos podem fazer uma grande diferença no compromisso com a sustentabilidade.

Lifestyle

Faça você mesma: receitas de detergentes ecológicos

Para além destas seis sugestões, partilhamos outros truques que podem ajudar o lar a ser mais "eco-friendly".

Nas Bancas

Activa Verde: é urgente mudar o futuro

Nas bancas!

Saúde

Como qualquer músculo, o cérebro tem de ser trabalhado: Sandra Martins explica-nos como

É possível ter um cérebro à prova de cansaço