Nas últimas semanas, tudo mudou – e muitos duvidam que o mundo volte a ser o mesmo, tal como o conhecíamos. 

Estamos apenas no terceiro mês de 2020 e os quatro continentes já combatem uma pandemia, a do novo coronavírus, que causa uma doença conhecida como COVID-19. A sua chegada ditou a implementação de medidas de contingência em várias nações, incluindo o distanciamento social e as quarentenas voluntárias.

Tudo mudou, mas o sentimento inato e involuntário do desejo sexual continua a existir; a única diferença é que agora está minado pelo medo de que a interação com outros seres humanos faça de nós os próximos portadores do vírus.

Já sabemos que devemos lavar as mãos frequentemente, evitar tocar no rosto, desinfetar o telemóvel e, se possível, ficar dentro de casa. Mas quais são as diretrizes para fazer amor?

A COVID-19 é sexualmente transmissível? 

“A COVID-19 em si não é uma doença sexualmente transmissível,” afirma o Dr. Muhammad Munir, do departamento de ciências biomédicas e da vida da Universidade de Lancaster, em Inglaterra, em declarações ao “The Guardian”.

Contudo, esta questão tem uma resposta mais complexa. “Como há um contacto muito próximo entre dois indivíduos durante o sexo, a possibilidade de alguém contrair o vírus de outra pessoa infetada é de quase 100%, especificamente devido aos beijos envolvidos,” acrescenta o especialista em doenças virais. 

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, a COVID-19 transmite-se “através de gotículas libertadas pelo nariz ou boca quando tossimos ou espirramos, que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo.”  Quando beijamos alguém, é praticamente impossível evitar o contacto com a saliva, portanto este pode ser um comportamento de alto risco.

O perigo não está só nos beijos

Outra coisa a ter em conta é que muitas pessoas não sabem que estão infetadas, visto que existem casos assintomáticos. Aliás, de acordo com um estudo recente da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, os portadores sem sintomas são responsáveis por dois terços das infecções.

Por conseguinte, é importante sublinhar que uma pessoa pode contrair o coronavírus, mesmo que não beije o seu parceiro sexual. “As mãos contaminadas são uma grande fonte de infeção,” explica o Dr. Munir. “Não é apenas o sexo em si – é qualquer contacto envolvido durante o ato.”

O namoro e os encontros românticos ocasionais também devem ser evitados até que a pandemia esteja sob controlo, uma vez que tendemos a ter mais contacto íntimo e prolongado com outras pessoas nesses momentos. “Podemos beijá-las, abraçá-la sou dar-lhes a mão durante algumas horas. Quanto maior for a duração do contato com alguém, maior será risco de transmissão,” adverte o virologista. 

Resumindo: embora o coronavírus não se transmita da mesma forma que DSTs como a clamídia e o herpes, isso não significa que o cenário atual de pandemia não inspire (muitos) cuidados no que ao sexo diz respeito, desde as trocas de carinhos até aos preliminares.

Palavras-chave

Relacionados

Beleza e Saúde

Coronavírus: Nasceu o primeiro bebé de uma mulher infetada

Entenda quais os cuidados que grávidas e recém-mamãs devem ter nesta altura.

Beleza e Saúde

Este mapa reúne todos os números oficiais atualizados sobre o novo coronavírus

Pode acompanhar o avanço do vírus em tempo real.

Beleza e Saúde

Diz quem sabe: cuidados a ter com o Coronavírus

A enfermeira Céline Machado explica.

Mais no portal

Beleza e Saúde

Esta é a atividade física que nos deixa com mais fome

Estudo concluiu que pessoas que a praticam ingerem mais calorias.

Celebridades

5 celebridades que taparam tatuagens relativas aos "ex"

Quando o amor chegou ao fim, estas caras conhecidas decidiram dar uma nova vida às memórias que tinham pintadas no corpo.

Beleza e Saúde

Coronavírus: Casados há 53 anos, morreram de mãos dadas, no mesmo dia

Falamos de um casal do Texas, de 80 e 79 anos, internados por pouco mais de uma semana.

Celebridades

Atriz portuguesa estreia-se como protagonista em série da Netflix

Após Nuno Lopes dar que falar em "White Lines", voltamos a vez uma cara portuguesa num papel de destaque no serviço de streaming.

Beleza e Saúde

O mundo é um lugar estranho, portanto experimentei fazer Reiki — e acabei em lágrimas

Aqui, a cura faz-se pelas mãos e, mesmo sem toques, é impossível não nos sentirmos tocados por esta experiência libertadora.

Lifestyle

Livro da semana: "Uma Gaiola de Ouro", uma história que é um grito feminista

Um livro de Camilla Läckberg, publicado pela Suma de Letras.

Inspirações

10 inventoras negras que tornaram as nossas vidas bem mais fáceis

Sem o espírito de inovação e de empreendedorismo de cada uma destas mulheres, estas 10 invenções poderiam nunca ter existido.

Lifestyle

Vídeo viral mostra como picar um dente de alho em 10 segundos

Quer a cozinha seja ou não o seu forte, esta técnica promete facilitar o processo.

Lifestyle

4 dicas de poupança financeira para mulheres empreendedoras

No primeiro episódio da rubrica Finanças de A a Z, deixo algumas sugestões para criar um negócio e potenciar o seu crescimento.

Celebridades

Em tempos de pandemia, foi assim que Khloé Kardashian celebrou o aniversário

O evento teve direito a máscaras personalizadas - mas não só.

Celebridades

"Arranjem um quarto" - Olivia Culpo responde à letra a comentário da mãe do namorado

A modelo publicou uma fotografia em que surge a beijar o companheiro e a resposta que deu à sogra já se tornou viral.

Inspirações

Normalizar corpos normais: o movimento que se tornou viral

Pessoas de todo o mundo têm partilhado imagens dos respetivos corpos, de modo a provar que é normal sermos diferentes.

€2,95 por edição 20% desconto  

Papel