Nas últimas semanas, tudo mudou – e muitos duvidam que o mundo volte a ser o mesmo, tal como o conhecíamos. 

Estamos apenas no terceiro mês de 2020 e os quatro continentes já combatem uma pandemia, a do novo coronavírus, que causa uma doença conhecida como COVID-19. A sua chegada ditou a implementação de medidas de contingência em várias nações, incluindo o distanciamento social e as quarentenas voluntárias.

Tudo mudou, mas o sentimento inato e involuntário do desejo sexual continua a existir; a única diferença é que agora está minado pelo medo de que a interação com outros seres humanos faça de nós os próximos portadores do vírus.

Já sabemos que devemos lavar as mãos frequentemente, evitar tocar no rosto, desinfetar o telemóvel e, se possível, ficar dentro de casa. Mas quais são as diretrizes para fazer amor?

A COVID-19 é sexualmente transmissível? 

“A COVID-19 em si não é uma doença sexualmente transmissível,” afirma o Dr. Muhammad Munir, do departamento de ciências biomédicas e da vida da Universidade de Lancaster, em Inglaterra, em declarações ao “The Guardian”.

Contudo, esta questão tem uma resposta mais complexa. “Como há um contacto muito próximo entre dois indivíduos durante o sexo, a possibilidade de alguém contrair o vírus de outra pessoa infetada é de quase 100%, especificamente devido aos beijos envolvidos,” acrescenta o especialista em doenças virais. 

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, a COVID-19 transmite-se “através de gotículas libertadas pelo nariz ou boca quando tossimos ou espirramos, que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo.”  Quando beijamos alguém, é praticamente impossível evitar o contacto com a saliva, portanto este pode ser um comportamento de alto risco.

O perigo não está só nos beijos

Outra coisa a ter em conta é que muitas pessoas não sabem que estão infetadas, visto que existem casos assintomáticos. Aliás, de acordo com um estudo recente da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, os portadores sem sintomas são responsáveis por dois terços das infecções.

Por conseguinte, é importante sublinhar que uma pessoa pode contrair o coronavírus, mesmo que não beije o seu parceiro sexual. “As mãos contaminadas são uma grande fonte de infeção,” explica o Dr. Munir. “Não é apenas o sexo em si – é qualquer contacto envolvido durante o ato.”

O namoro e os encontros românticos ocasionais também devem ser evitados até que a pandemia esteja sob controlo, uma vez que tendemos a ter mais contacto íntimo e prolongado com outras pessoas nesses momentos. “Podemos beijá-las, abraçá-la sou dar-lhes a mão durante algumas horas. Quanto maior for a duração do contato com alguém, maior será risco de transmissão,” adverte o virologista. 

Resumindo: embora o coronavírus não se transmita da mesma forma que DSTs como a clamídia e o herpes, isso não significa que o cenário atual de pandemia não inspire (muitos) cuidados no que ao sexo diz respeito, desde as trocas de carinhos até aos preliminares.

Palavras-chave

Relacionados

Beleza e Saúde

Coronavírus: Nasceu o primeiro bebé de uma mulher infetada

Entenda quais os cuidados que grávidas e recém-mamãs devem ter nesta altura.

Beleza e Saúde

Este mapa reúne todos os números oficiais atualizados sobre o novo coronavírus

Pode acompanhar o avanço do vírus em tempo real.

Beleza e Saúde

Diz quem sabe: cuidados a ter com o Coronavírus

A enfermeira Céline Machado explica.

Mais no portal

Beleza e Saúde

Cabelos: Risco ao meio ou de lado? A melhor opção para cada formato de rosto

A forma como reparte o cabelo pode mudar muito o seu visual - num cenário ideal, sempre para melhor. Saiba como valorizar o seu rosto.

Comportamento

5 formas de ultrapassar momentos menos bons

De acordo com vários especialistas.

Beleza e Saúde

O resultado de uma semana sem qualquer tipo de exercício físico

Para qualquer adepto de um estilo de vida ativo, estar parado é um verdadeiro desafio. E foi assim que encarei esta semana.

Lifestyle

Saiba como fazer a deliciosa salada de espinafres de Julie Deffense

Simples e deliciosa.

Beleza e Saúde

Chiara Ferragni mostra-nos como o azul com glitter resulta sempre para fazer os nossos olhos brilhar

A influencer criou novamente uma coleção com a Lancôme, em que o glitter é a aposta.

Moda

O vídeo que nos fala de Paris, de mulheres e do que acontece quando se trocam duas malas

Esta produção é uma viagem ao mundo das mulheres parisienses com toda a emoção e “joie de vivre” da cidade de Paris.

Beleza e Saúde

Não vai acreditar com que idade Halle Berry teve o primeiro orgasmo

A confissão da atriz veio surpreender o público.

Moda

Esta é a prova de que o 'nightwear' pode ser usado o dia todo

Seda, cetim ou caxemira?

Beleza e Saúde

Quando deve anunciar a gravidez?

A norma é que se ultrapasse a meta das 12 semanas. Mas será que é mesmo preciso?