UNICEF

A mutilação genital feminina (MGF) é um ato considerado bárbaro que começa na mente. Embora o número exato de meninas e mulheres que já foram submetidas a algum tipo de excisão em todo o mundo seja desconhecido, a UNICEF estima que 200 milhões tenham sido mutiladas em 31 países com dados representativos. Uma realidade dura de engolir. 

O órgão das Nações Unidas, que tem como objetivo promover a defesa dos direitos das crianças, diz ainda que esta é uma prática quase universal em nações como, por exemplo, a Somália (98%), a Guiné-Conacri (95%) e o Sudão (87%). E é desta última, onde nove em dez meninas são mutiladas, que nos chegam boas notícias: o novo governo aprovou uma lei que proíbe a MGF.

O que é?

A mutilação genital feminina é uma prática legal em mais de 30 países, com maior foco no continente africano e no Médio Oriente. Consiste na remoção de partes da genitália feminina (especialmente do clitóris), por motivos culturais, e perpetua a desigualdade de géneros. Aliás, na maioria das vezes, é uma forma de impedir que a mulher tenha prazer sexual, bem como uma condicionante para que muitas possam casar-se.

As meninas, ainda na infância, são as principais vítimas. O ritual também pode acontecer na altura da primeira menstruação, marcando a passagem para a vida adulta. Além de interferir no desenvolvimento da sexualidade feminina, a mutilação pode representar um grande risco para a saúde. Isto porque, muitas vezes, é feita sem quaisquer condições de higiene, provocando mortes por infeção ou hemorragia. 

Embora não se saiba ao certo quantas pessoas já morreram na sequência da MGF, os países onde a prática ainda é legal gastam cerca de 1,4 bilhão de dólares por ano em tratamentos para as sequelas, que incluem (mas não se limitam a) problemas urinários e grandes dificuldades durante o trabalho de parto.

Um passo na direção certa

O facto de o Sudão ter aprovado a criminalização da mutilação genital feminina significa, portanto, um grande avanço para as mulheres. A lei prevê uma pena de até três anos de prisão para quem realizar a excisão dentro ou fora de um hospital/clínica, uma vez que também é comum que seja realizada por curandeiros, sublinhe-se (novamente), em ambientes sem quaisquer condições. 

Contudo, os grupos que defendem os direitos das mulheres naquele país, alertam para o facto de que ainda há muito trabalho pela frente, acima de tudo, no sentido de mudar uma cultura profundamente enraizada. Como tal, sugerem que será necessário implementar medidas de vigilância e de acompanhamento para assegurar que a nova lei será cumprida, e não contornada.

Palavras-chave

Relacionados

Lifestyle

A Escócia pode tornar-se o primeiro país a garantir o acesso gratuito a tampões e pensos higiénicos

"A menstruação é normal. O acesso universal gratuito a tampões, pensos higiénicos e opções reutilizáveis também devia ser normal."

Lifestyle

Adolescentes que tomam a pílula têm maior risco de sofrer de depressão

De acordo com um novo estudo.

Saúde

7 sintomas de endometriose que deve conhecer

Uma condição que pode demorar vários anos a ser diagnosticada.

Mais no portal

Nas Bancas

Como podemos proteger os adolescentes da pandemia do narcisismo?

Vivemos numa 'cultura de superfície'. A expressão é do pedopsiquiatra Pedro Strecht, um dos especialistas que estão preocupados com esta realidade.

Beleza

Aprenda a fazer esta maquilhagem primaveril em apenas quatro passos

Juntámo-nos à Perfumes & Companhia para mostrar a nova coleção da marca exclusiva ARTDECO de uma forma original, com este tutorial de makeup bastante prático.

Saúde

Mifarma evolui para Atida Plus e quer liderar o setor das farmácias online na Europa

"A nossa missão é oferecer uma resposta global e profissional às necessidades de saúde e bem-estar na sociedade", diz-nos Ernesto Martín, Managing Director Southern Europe.

Vejo-me Grega

Aqui jaz um peixe e uma juba anos 80

Uma crónica da editora-executiva da revista ACTIVA.

Saúde

OMS estima que o número de crianças obesas no mundo chegará a 75 milhões em 2025

O Dia Mundial da Obesidade assinala-se nesta quinta-feira, 4 de março. A Ordem dos Nutricionistas alerta para a gravidade do problema.

Mulheres Inspiradoras

Prémio Mulheres Inspiradoras 2020: as palavras inspiradora de Ana Rocha de Sousa e Cuca Roseta

Pedimos às nossas nomeadas aos Prémios Mulheres Inspiradoras 2020 que nos falassem sobre o que as inspira e as mantém motivadas numa altura desafiante como esta que vivemos. Aqui ficam as respostas que obtivemos de duas das nossas nomeadas na categoria Arte.

Fashion Tips

O denim está na moda. Veja como adotar a tendência na nova temporada

Aqui ficam três sugestões de looks simples e elegantes para incorporar peças em denim nos seus visuais.

Lifestyle

Já tem a Activa no carrinho?

Levar para casa a ACTIVA nunca foi tão fácil. Enquanto faz as suas compras no Continente online, escolha também o melhor da informação e do entretenimento.

Comportamento

Como prever o divórcio? Pessoas contam as histórias de casamentos mais insólitas

Algumas são mesmo difíceis de acreditar.

Moda

Isabel Silva lança duas novas peças da coleção com a Aly John

Caracterizadas por uma grande versatilidade.

Finanças de A a Z

Saiba como poupar nos seguros dos animais domésticos

O novo episódio da rubrica Finanças de A a Z diz-lhe tudo o que precisa saber para escolher as soluções mais vantajosas.

Saúde

Aqui ficam vários programas para dar um 'boost' à sua saúde

Propostas de alimentação saudável que pode encomendar e receber em casa.