Se já começou alguma dieta e desistiu na primeira semana por causa da fome, saiba que não está sozinha. Aquela sensação de vazio no estômago, que para cada pessoa “ataca” em determinado horário, é uma das principais vilãs para quem quer fazer opções mais saudáveis.

E se sente mais atormentada por este problema do que algumas das suas amigas, não é impressão sua. O que faz algumas pessoas nascerem com essa tendência um tanto ingrata é um gene, o FTO, que regula os níveis da grelina, a hormona que aumenta o apetite. Há também quem tenha uma menor sensibilidade à hormona leptina, que está envolvida no processo de saciedade.

Contudo, esqueça a ideia de silenciar essa voz interna: se não sentisse fome, não saberia quando o seu corpo precisa de nutrientes para as funções vitais. O melhor a fazer é tentar reconhecer quando esse sinal é físico ou emocional.

Fome física

Quando a barriga “ronca”, isso é um sinal de fome fisiológica. Antes de mais, reavalie a sua rotina. Tente dormir bem (ajuda nas escolhas alimentares), beba bastante água (evita que confunda sede com fome) e pratique exercício físico com regularidade.

“Estudos mostram que a atividade física estimula a produção da hormona PYY, que atua no controlo do apetite,”, explica o endocrinologista Guilherme Renke à revista “Boa Forma”.

E o mais importante: na sua agenda, o horário das refeições deve ser sempre uma prioridade. Quando passamos muito tempo sem comer, sentimos tonturas, dores de cabeça e irritação.

Se come nos horários certos e, mesmo assim, sente muita fome, talvez o problema esteja na escolha dos alimentos, nomeadamente muito pobres em fibras e proteína. Sem essas substâncias, a fome costuma ser mais intensa, especialmente por volta das 16H, quando os níveis das nossas hormonas sofrem algumas oscilações. A situação piora se abusar de produtos carregados de açúcar, sal e gorduras saturadas.

“São comprovadamente produtos que causam dependência, como qualquer droga ou substância viciante,” acrescenta Renke sobre este tipo de alimentos, que ativam 

Este tipo de alimentos ativa os centros de recompensa e prazer do cérebro. Consequentemente, criamos a necessidade física de voltar a comer num curto espaço de tempo.

Unrecognizable young woman eating donut at city street.

Fome psicológica

Este tipo de fome surge quando estamos tristes ou ansiosos. Aqui, a principal dificuldade está no costume de “alimentar as emoções”.

“A tal fome psicológica aparece quando se sente a necessidade de usar a comida para compensar a tristeza, a ansiedade ou até mesmo o cansaço depois de um dia longo de trabalho,” afirma a nutricionista Daniela Cyrulin à revista “Boa Forma”. 

Nem sempre é fácil lidar com isto sozinha, portanto procure um profissional para perceber quais são os “gatilhos emocionais” que a fazer comer em excesso, mesmo quando não sente fome.

Fome social

Ela aparece quando sente o cheirinho de um bolo a sair do forno ou quando vê uma linda foto de comida no Instagram. Este impulso não tem nada a ver com a fome física ou psicológica, “porém, a vontade não atendida pode voltar com mais força e transformar-se numa compulsão,” diz a nutricionista Sophie Deram no livro “O Peso das Dietas”.

Em vez de fugir das tentações, permita-se: uma pequena quantidade será o suficiente para satisfazer o desejo. Só existe um problema quando os excessos se tornam um hábito.

Palavras-chave

Leia 6 meses GRÁTIS

Este verão assine a ACTIVA, CARAS, CARAS DECORAÇÃO, entre outras publicações do grupo Trust in News, por 1 ano e receba 6 meses de leitura grátis. Conheça todas as opções, incluindo as versões digitais. ASSINAR

Relacionados

Mais no portal

Moda

Esta tendência de swimwear improvável favorece peitos pequenos

Deixamos esta e outras sugestões para valorizar a área nas suas próximas idas à praia.

Saúde

4 bons motivos para começar a comer mais uvas

A sua saúde agradece.

Comportamento

Eis o que fazer quando se sente tentada a mentir

De acordo com uma psicóloga.

Imagem de Sucesso

Dicas para fazer as melhores compras em época de saldos

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Lifestyle

Estes casinos estão prestes a reabrir

Saiba quando os poderá visitar.

Mulheres Inspiradoras

Condessa D’Edla: a segunda mulher de D. Fernando II, que era artista e não agradava ao povo

A produção de capa da ACTIVA de agosto, protagonizada por Júlia Palha, foi fotografada num chalet conhecido como o "Chalet da Condessa”. Conheça a história desta mulher fascinante.

Saúde

Levantamento das restrições: um teste à eficácia da vacina para a COVID-19

Um artigo de opinião assinado pela Dra. Laura Brum, virologista dos Laboratórios SYNLAB.

Moda

Estes básicos da H&M prometem 'fazer bonito' em qualquer ocasião

Estas sugestões são bonitas, intemporais e surpreendentemente acessíveis.

Celebridades

Este foi o visual de gala preferido de Kate Winslet

A atriz caracterizou o vestido como "uma escultura bordada".

Saúde

O DIU pode causar queda de cabelo?

Saiba se tem alguma relação.

Comportamento

Psicóloga explica como perceber as diferenças entre amor e luxúria

A luxúria pode levar ao amor, mas eles não são a mesma coisa.

Celebridades

Anna Faris casou-se em segredo

A atriz e Michael Barrett namoram desde 2017.