Se já começou alguma dieta e desistiu na primeira semana por causa da fome, saiba que não está sozinha. Aquela sensação de vazio no estômago, que para cada pessoa “ataca” em determinado horário, é uma das principais vilãs para quem quer fazer opções mais saudáveis.

E se sente mais atormentada por este problema do que algumas das suas amigas, não é impressão sua. O que faz algumas pessoas nascerem com essa tendência um tanto ingrata é um gene, o FTO, que regula os níveis da grelina, a hormona que aumenta o apetite. Há também quem tenha uma menor sensibilidade à hormona leptina, que está envolvida no processo de saciedade.

Contudo, esqueça a ideia de silenciar essa voz interna: se não sentisse fome, não saberia quando o seu corpo precisa de nutrientes para as funções vitais. O melhor a fazer é tentar reconhecer quando esse sinal é físico ou emocional.

Fome física

Quando a barriga “ronca”, isso é um sinal de fome fisiológica. Antes de mais, reavalie a sua rotina. Tente dormir bem (ajuda nas escolhas alimentares), beba bastante água (evita que confunda sede com fome) e pratique exercício físico com regularidade.

“Estudos mostram que a atividade física estimula a produção da hormona PYY, que atua no controlo do apetite,”, explica o endocrinologista Guilherme Renke à revista “Boa Forma”.

E o mais importante: na sua agenda, o horário das refeições deve ser sempre uma prioridade. Quando passamos muito tempo sem comer, sentimos tonturas, dores de cabeça e irritação.

Se come nos horários certos e, mesmo assim, sente muita fome, talvez o problema esteja na escolha dos alimentos, nomeadamente muito pobres em fibras e proteína. Sem essas substâncias, a fome costuma ser mais intensa, especialmente por volta das 16H, quando os níveis das nossas hormonas sofrem algumas oscilações. A situação piora se abusar de produtos carregados de açúcar, sal e gorduras saturadas.

“São comprovadamente produtos que causam dependência, como qualquer droga ou substância viciante,” acrescenta Renke sobre este tipo de alimentos, que ativam 

Este tipo de alimentos ativa os centros de recompensa e prazer do cérebro. Consequentemente, criamos a necessidade física de voltar a comer num curto espaço de tempo.

Unrecognizable young woman eating donut at city street.

Fome psicológica

Este tipo de fome surge quando estamos tristes ou ansiosos. Aqui, a principal dificuldade está no costume de “alimentar as emoções”.

“A tal fome psicológica aparece quando se sente a necessidade de usar a comida para compensar a tristeza, a ansiedade ou até mesmo o cansaço depois de um dia longo de trabalho,” afirma a nutricionista Daniela Cyrulin à revista “Boa Forma”. 

Nem sempre é fácil lidar com isto sozinha, portanto procure um profissional para perceber quais são os “gatilhos emocionais” que a fazer comer em excesso, mesmo quando não sente fome.

Fome social

Ela aparece quando sente o cheirinho de um bolo a sair do forno ou quando vê uma linda foto de comida no Instagram. Este impulso não tem nada a ver com a fome física ou psicológica, “porém, a vontade não atendida pode voltar com mais força e transformar-se numa compulsão,” diz a nutricionista Sophie Deram no livro “O Peso das Dietas”.

Em vez de fugir das tentações, permita-se: uma pequena quantidade será o suficiente para satisfazer o desejo. Só existe um problema quando os excessos se tornam um hábito.

Palavras-chave

Assine uma destas revistas e escolha um presente grátis. Estadas em hotéis, produtos de beleza e muitos outros. Aproveite. Assine aqui

Relacionados

Mais no portal

Saúde

Eis os 6 nutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo

Consuma-os diariamente.

Saúde

A nossa libido aumenta mesmo durante a ovulação?

Sempre ouvimos dizer que sim. Entenda se é verdade.

Celebridades

Morreu o ícone de moda André Leon Talley

O jornalista tinha 73 anos.

Celebridades

Jason Momoa e Lisa Bonet: revelado o motivo por detrás do divórcio

O casal anunciou a separação no início de janeiro, após 16 anos de relação.

Celebridades

Britney Spears em guerra com a irmã nas redes sociais: "Ela teve tudo de mão beijada"

A relação da cantora com Jamie Lynn Spears atravessa uma fase conturbada.

Moda

8 investimentos de moda que valem a pena este mês

Aprovados por algumas das fashionistas mais populares nas redes sociais.

Saúde

Cientistas revelam 4 factos que podem transformar a gravidez

De acordo com diferentes estudos.

Comportamento

Será que eliminar pensamentos negativos nos faz realmente bem?

Esta trapeuta oferece-nos uma alternativa.

Celebridades

Sinéad O’Connor internada após a morte trágica do filho

Shane foi encontrado sem vida no dia 8 de janeiro. Tinha 17 anos.

Celebridades

Bella Hadid revela o que a levou a partilhar fotos de episódios depressivos com o mundo

No passado, a modelo já tinha revelado que "sofreu de depressão e ansiedade extremas" durante a maior parte da adolescência e vida adulta.

Celebridades

Assistente de Betty White assinala data especial com “uma das últimas fotografias” da atriz

A estrela de "Sarilhos com Elas" morreu no final de dezembro de 2021, a menos de um mês de completar 100 anos.

Beleza

Cabelo natural: penteados e opções de styling para o dia-a-dia

Inspire-se nestas ideias que encontrámos nas redes sociais.