A gestão do tempo é um assunto deveras discutido, abordado, e sobre o qual facilmente poderíamos encontrar um sem número de dicas e estratégias que nos ajudassem a ser mais produtivas e eficientes. Diria que uma boa organização de tempo, o bem mais precioso do mundo, carece antes de mais, de foco e clareza sobre aquilo em que afinal queremos.

Chegadas aqui impõe-se questionar: “Onde ando a gastar o meu tempo, afinal?”

Sabemos hoje que a gestão de tempo é fulcral na evolução, na conquista de metas traçadas e, acima de tudo, anda de mãos dadas com a nossa saúde mental e o nosso bem- estar. Uma das piores sensações do mundo é sentir-se atarefada, e que por causa disso sentir que não progride, ou que os projetos se arrastam pela eternidade.

A base da gestão de tempo é a definição de objetivos e o foco e energia despendidos na sua realização. Demasiada informação, distrações e interrupções são um inimigo invisível mas com efeitos reais. Lembre-se: elas originam uma quebra de atenção na tarefa que estava a concretizar e, depois de interrompida, a retoma dos níveis de atenção não é imediata, pelo que deve organizar-se (sempre que possível) para ter a certeza de que não será interrompida quando está a executar uma tarefa importante.

Muitas de nós sofremos em permanência com o chamado síndrome da “Paralisia de Análise”, que acontece quando temos muitos dados analisar, o que causa excesso de informação, dificuldade de definição de prioridades, objetivos e foco, e leva automaticamente a que se sinta desmoralizada e desmotivada. É também este o motivo pelo qual a primeira tarefa do dia não deve começar com a leitura de emails. Quantas de nós não começamos o dia inundadas de emails, e informações que nos deixam completamente paralisadas e sem reação?

Comece por definir as suas tarefas prioritárias no início de cada dia, prepare as suas ferramentas de trabalho, tenha à mão tudo o que precisa para evitar distrações, e só depois avance para a leitura do email. Esta simples mudança de atitude vai discipliná-la e ajudá-la a manter o foco.

No que toca à gestão de tempo, uma das formas mais dramáticas de autoengano é tentarmos manter-nos sempre ocupadas. Para muitas pessoas, este autoengano leva a que nasça dentro delas a ideia de que o equilíbrio entre vida pessoal e profissional é uma verdadeira quimera. Sabemos hoje que os melhores estudos e técnicas sobre alta performance e produtividade indicam que esse equilíbrio não só é possível, como necessário e alcançável.

Acreditar que o equilíbrio na gestão de tempo é impossível é, antes de mais, uma crença limitante construída nas nossas mentes. Do que somos ou não capazes é sempre algo definido pelas nossas crenças, que podem ou não servir aos nossos propósitos.

De nada serve passar meses a definir todas as metas de um projeto, se não despendeu de nem um minuto para planear como vai organizar a sua semana de trabalho e conciliar as tarefas da vida pessoas e profissional. Outro grande erro é pensar que o equilíbrio na gestão de tempo significa uma distribuição equitativa do número de horas entre vida pessoal e vida profissional.

A expectativa deveria ser qualitativa e não quantitativa, ou seja, na cultura em que vivemos hoje, do “sempre conectado”, em que todos esperam uma resposta imediata e a maioria das pessoas trabalha mais de 40h semanais, o mais importante será equilibrar o progresso nas principais diferentes áreas da sua vida. Tenha também em conta que nem todas as áreas precisam que despenda o mesmo tempo para ver certos resultados.

Quando alguém se sente em desequilíbrio, no campo da gestão de tempo, em determinada área da sua vida, é porque esta área se tornou mais intensa, importante ou consumidora de tempo que as outras. Por exemplo, não é raro vermos alguém que ficou tão focado num problema pessoal que se esqueceu do trabalho, ou o inverso: ficou tão absorvido pelo trabalho que se esqueceu da sua saúde, casamento, amigos, e vida pessoal.

A melhor solução é manter em perspectiva as diferentes áreas da sua vida, mantendo o foco no progresso que cada área vai tendo, e precisa de ter. Uma revisão do que pretendemos para cada área com alguma regularidade, deve ser um hábito que devemos criar, para manter o foco e ver progressos acontecerem.

A maioria de nós nunca ponderou sobre as diferentes áreas da sua vida e percebeu o que está ou não em desequilíbrio. Para muita gente, cada área vive em piloto automático no caos dos dias. Deixe-me contar-lhe um segredo sobre essa autogestão sem rédeas: a sensação de desequilíbrio e falta de tempo será eterna, com consequências fatais a nível do esgotamento de energia, até chegar a estados críticos que originam o Burnout e a Depressão.

Olharmos para as diferentes áreas da nossa vida numa perspetiva mais alargada ajuda-nos a identificar o que está fora de controlo, bem como aquilo em que estamos a despender mais tempo e não devíamos. Se o seu objectivo é alcançar uma progressão de carreira para a qual precisa de determinada formação, mas não consegue sequer encontrar tempo para frequentar a mesma, porque está consumida em tarefas diárias menos relevantes? Como espera alcançar a desejada progressão?

Por fim, lembre-se que nada nos torna mais inúteis do que perder tempo em atividades que nem deviam ser feitas, deixando para trás as que nos trazem prazer e nos ajudam a ir mais além nos nossos sonhos.

Em jeito de conclusão: importa lembrar que o tempo é irrecuperável, e que gastar o seu tempo em atividades nas quais entende que irá obter resultados e que estão em linha com as metas que traçou; desligar o piloto automático; evitar excesso de informação e distrações, vai ajudar a separar o trigo do gérmen, aumentando o seu bem-estar, níveis de realização e felicidade.

Palavras-chave

Relacionados

Diz Quem Sabe

Grandes divas que poderiam ter sido grandes coaches

"Quem define as suas metas?" - A liberdade de escolha numa reflexão inspiradora.

Comportamento

Conheça os dois elementos-chave para determinar o fim de uma relação

A neurociência pode ajudar nesse sentido e a coach Lúcia Palma explica-lhe como neste artigo de opinião.

Diz Quem Sabe

Não se esqueça de se amar primeiro

Uma lição de autoestima inspirada numa famosa série. “Porque Carry Bradshaw teria sido uma ótima Coach!”.

Mais no portal

Beleza e Saúde

COVID-19: usar duas máscaras protege-nos mais?

Algumas pessoas adotaram este método. Mas será que é necessário?

Lifestyle

Assine 9 revistas por apenas €9,90 por mês e garanta boa informação, em sua casa

Beleza e Saúde

Esperam-se menos nascimentos em 2021

Entenda o motivo.

Imagem de Sucesso

O fator essencial para construir uma Imagem de Sucesso em 2021

No novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso, explico-vos como podem comunicar de forma assertiva através da vossa imagem e, assim, conquistar objetivos no novo ano.

Comportamento

Este truque curioso pode aliviar o stress durante o confinamento

Só precisa de um telemóvel ou computador - e deixá-lo fazer magia.

Moda

A psicologia por trás das cores românticas que vão estar em alta na primavera

Não só explicamos a origem da popularidade, como deixamos algumas sugestões de visuais para os dias mais quentes.

Beleza e Saúde

Pode haver uma inesperada cura para a acne

Pelo menos, para um dos tipos do problema. Saiba qual.

Moda

Revelado o próximo nome da alta-costura que irá colaborar com a H&M

Todos os anos, a gigante sueca lança uma coleção de edição limitada, que é fruto da colaboração com um estilista ou marca de renome.

Beleza e Saúde

3 acessórios para o cabelo que as mulheres nórdicas adoram

Estas sugestões são perfeitas para ter sempre no nécessaire e transformam qualquer visual num instante.

Beleza e Saúde

Saiba como manter um estilo de vida saudável em regime de teletrabalho

Aqui ficam seis sugestões para continuar a cuidar da sua saúde física e mental no novo confinamento.

15 Perguntas A...

Tânia Ribas de Oliveira: "O meu estilo é casual, confortável e descontraído"

Lançámos questionários com 15 perguntas a várias celebridades sobre temas como, por exemplo, estilo pessoal e rotinas de beleza. A apresentadora da RTP foi a primeira a aceitar o desafio.