Graças à ciência, a nossa compreensão do universo alarga-se constantemente. Isto aplica-se tanto ao mundo  quanto às quatro paredes que nos rodeiam. 

O estudo científico do sexo oferece pontos de vista interessantes e até mesmo surpreendentes sobre o como e o porquê das relações íntimas entre seres humanos e, com isso em mente, decidimos reunir algumas conclusões surpreendentes neste artgo.

Conheça-as, abaixo!

1. Queimamos mais calorias a cortar a relva do que a fazer sexo

iStock-509929880.jpg

Afinal, o sexo não exige assim tanto de nós. Pelo menos não a ponto de ser uma atividade extenuante. Na verdade, um ser humano teria de fazer amor durante quase 200 minutos para queimar tanta energia quanto a dispendida numa corrida de 30 minutos. Até mesmo cortar a relva queima cerca de três vezes mais calorias do que o sexo. Para ter uma ideia: de acordo com a British Heart Foundation, o sexo queima a mesma quantidade de energia por minuto do que passar roupas a ferro.

2. A penicilina pode ter despontado a revolução sexual

iStock-1140215526.jpg

Há quem defenda que a penicilina foi a verdadeira impulsionadora da revolução sexual, e não a pílula contracetiva. Um estudo publicado na revisa científica Archives of Sexual Behavior, em 2013, diz que a substância antibiótica contribuiu para um declínio na ordem dos 75% do número de mortes causadas pela sífilis entre 1947 e 1957. Como o tratamento tornou o sexo mais seguro, as pessoas começaram a correr mais riscos, o que resultou num aumento do número de filhos nascidos fora do casamento e de gravidezes na adolescência.

3. Os gémeos podem ter pais diferentes

iStock-912447262.jpg

Apesar de ser muito raro, é possível que gémeos fraternos tenham pais diferentes. Mas, para que tal aconteça, a mãe tem de ter estado com dois homens diferentes durante o seu período fértil e, para além disso, tem de ter ovulado duas vezes. Parece estranho, mas acontece e tem um nome científico: superfecundação heteropaternal. Os gémeos heterozigóticos não partilham 100% do ADN e, por isso, é possível que uma mulher tenha filhos gémeos com sexos e até mesmo etnias diferentes.

4. O género pode influenciar a forma como lidamos com os ciúmes

iStock-510415935.jpg

A investigação de psicólogos evolucionários indica que o género influencia a forma como uma pessoa reage aos ciúmes. Os homens reagem de forma mais forte à infidelidade sexual do que à emocional. Já com as mulheres acontece o contrário.

A teoria por trás destes comportamentos remonta à evolução humana: os homens que eram intolerantes em relação à possibilidade de as suas esposas serem sexualmente ativas com outros eram, também, menos propensos a tornarem-se alvo de chacota. Para além disso, tinham uma probabilidade maior de passar os seus genes a futuras gerações. Por sua vez, as mulheres que impediam os respetivos maridos de criarem ligações emocionais fora do casamento reduziam as hipóteses de eles gastarem os seus recursos com outras.

5. Há um elo entre pêlos púbicos e infeções sexualmente transmissíveis

iStock-494815022.jpg

andresr

Ora, aqui está uma desvantagem de fazer a depilação total: pode aumentar o risco de infeções sexualmente transmissíveis. Num estudo levado a cabo por um académico da Universidade do Texas, as pessoas que removiam os pêlos púbicos regularmente contraíam infeções com cerca de 80% mais frequência do que aquelas que nunca se depilavam. Uma explicação para isto é que aqueles que fazem regularmente a depilação, provavelmente, ferem a pele, facilitando a entrada de vírus no corpo.

Palavras-chave

Relacionados

Comportamento

Afinal, quanto tempo deve durar o sexo?

A resposta pode surpreendê-la.

Comportamento

9 coisas que acontecem ao corpo (e à mente) quando deixamos de fazer sexo

Do estado de espírito ao risco de doenças, a falta de sexo pode afetar tanto o bem-estar físico quanto o emocional.

Comportamento

Novo estudo derruba mito sobre a libido das mulheres na meia-idade

Não, as mulheres não perdem o interesse em sexo quando entram na idade adulta madura e na velhice.

Mais no portal

Imagem de Sucesso

As regras de estilo para escolher "looks" mais frescos sem descurar a elegância

Este é o tema do novo episódio da rubrica Imagem de Sucesso.

Diz Quem Sabe

Ervilha amarela: uma nova alternativa aos alimentos de origem animal?

Um artigo de opinião assinado pela nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Diz Quem Sabe

Tudo o que precisa de saber sobre a reabilitação oncológica

Um artigo de opinião assinado pelo médico Énio Pestana, do Hospital CUF Cascais, sobre este tipo de cuidados.

Saúde

Podcast: Sandra Gomes Silva responde às nossas questões sobre vegetarianismo

Os prós e os contras de um tipo de alimentação que leva em conta preocupações éticas e ambientais. Afinal, precisamos mesmo da carne para sermos saudáveis?

Saúde

O vegetarianismo melhora a vida sexual? Eis o que diz a Ciência

Não podemos subestimar o poder de uma dieta à base de plantas.

Mulheres Inspiradoras

Tem mesmo de conhecer estas ambientalistas portuguesas

Aqui ficam alguns exemplos de mulheres que renovam diariamente o compromisso de conservação e preservação ambiental.

Beleza

Conheça as grandes vantagens dos champôs sólidos

Preparámos também uma lista de produtos que pode incluir na sua rotina de cuidados capilares.

Nas Bancas

Como salvar as suas plantas

Na ACTIVA Verde, já em banca, os conselhos para escolher e cuidar das suas plantas.

Nas Bancas

Este casal mostra-nos como é viver "fora da rede"

Uma casa de madeira foi o início da mudança.

Nas Bancas

Receitas (de chef): desperdício zero

Sabia que está a deitar fora uma das melhores partes dos seus legumes?

Comportamento

A sustentabilidade chegou ao sexo

Conheça quatro formas de ajudar a salvar o planeta entre quatro paredes.