@gabriellecaunesil

A sociedade está em constante evolução e são cada vez mais os debates sobre a utilização do automóvel. Neste contexto de desenvolvimento, nos últimos anos, têm surgido várias alternativas que vêm fomentar a discussão. É um transporte que causa muita poluição? É um transporte muito caro financeiramente? São várias, e cada vez mais, as questões.

Apesar de todas as críticas a que o carro pode estar sujeito e de todas as nuvens negras que têm pairado sobre ele, a verdade é que é um transporte que tem permanecido inevitável e intemporal. As conclusões são do Observador Cetelem Automóvel 2021, que nos indica que, em Portugal, 6 em cada 10 pessoas não se veem a viver sem automóvel. O mesmo se passa na Europa e no mundo, que apresentam números semelhantes. No entanto, apesar de ainda ser um meio de transporte indispensável, podemos afirmar que esta ideia tem perdido força, uma vez que em 2017 eram 8 em 10 as pessoas que não se viam a viver sem automóvel.

Outro fator a ter em conta na avaliação da importância da viatura para uso pessoal é o escalão de rendimento: 53% das pessoas com rendimentos mais elevados não podem viver sem automóvel, em comparação com apenas 36% dos que têm rendimentos mais baixos.

Insubstituível para a vida quotidiana

A nível mundial, questionados sobre o porquê de estarem apegados ao seu carro, 7 em cada 10 destacaram também as questões ligadas à sua utilidade – o facto de prestar um serviço. Já em Portugal, as respostas a esta questão dizem-nos que o automóvel também é tido como um veículo capaz de valorizar a imagem pessoal.

Quanto aos motivos para a utilização do carro, 85% dos portugueses inquiridos referem a necessidade de utilizar o carro para cumprir tarefas do dia-a-dia (ir trabalhar, ir às compras, deixar os filhos na escola, etc.). Esta necessidade é de tal forma dominante que as outras formas de utilização – como realizar longas viagens, ter momentos de lazer, ir de férias ou simples prazer de condução – têm menor relevância. Isto reforça as razões utilitárias em detrimento da noção de prazer ou escapismo.

Com o aparecimento da crise pandémica e do confinamento, as saídas reduziram-se ao estritamente necessário. No entanto, esta crise veio reforçar a perceção do caráter utilitário do automóvel: a nível mundial, apenas um terço dos inquiridos reduziu a sua utilização no âmbito da vida quotidiana, por comparação com 46% em relação a viagens privadas e de lazer e 55% em relação a fins de semana e férias. Em Portugal, fruto de um conjunto de medidas mais rígidas, a utilização do automóvel, no âmbito da vida quotidiana, reduziu para metade.

A relação com o automóvel tem sido pautada pela estabilidade, pelo menos nos países ocidentais. Em Portugal, 1 em cada 2 pessoas acredita que, nos últimos anos, não utilizou o seu veículo nem mais, nem menos vezes. No entanto, regista-se um aumento significativo da utilização do automóvel nos países emergentes, designadamente na China (66% referem que têm utilizado mais) e na Turquia (65%).

Palavras-chave

Relacionados

Diz Quem Sabe

Que sequelas pode a covid-19 deixar?

Os sintomas respiratórios podem ser particularmente importantes, justificando uma observação especializada pelo médico Pneumologista.

Lifestyle

Pessoas revelam qual o lado bom da pandemia

Veja testemunhos na primeira pessoa.

Comportamento

Um em cada 10 colaboradores gosta de trabalhar em casa sem roupa

Os últimos meses passados em casa, em regime de teletrabalho, fez com que muitas pessoas descobrissem "pequenos prazeres" como este.

Mais no portal

Beauty Spot

As melhores técnicas e produtos para fazer sardas falsas

A rubrica Beauty Spot desta semana é dedicada a esta tendência divertida, que combina na perfeição com visuais mais naturais de maquilhagem.

É só uma sugestão

Falar de Livros: "D.A.D. - Desempregado, Artista, Dona de Casa" é um retrato humorista da vida de um pai

Um livro de Alexandre Esgaio publicado pela Suma de Letras.

Moda

Olivia Wilde elege sobretudo acessível para se proteger do frio em Londres

Não sabíamos que precisávamos de um sobretudo azul... até vermos um dos visuais mais recentes da atriz.

Comportamento

3 formas de manter a conta bancária emocional do seu relacionamento com saldo positivo

Este conceito está diretamente relacionado com a forma como os casais gerem discussões de conflito.

#ActivaEmCasa

Braços e pernas: cinco exercícios para maior definição muscular

Aqui fica mais um circuito de treino completamente gratuito, preparado e exemplificado por Susana Carromeu, coach do CrossFit Cais.

Beleza

Cabelo: Os produtos que temos de experimentar

Conhece as novidades mais recentes? Para fortalecer, dar brilhou ou obter o styling perfeito.

Moda

Inspire-se no que há de novo nestas marcas de moda populares

A nova estação traz muitas novidades e estas marcas dão o mote para o que vamos querer usar nos dias quentes.

Exclusivo
Beleza

Bárbara Corby: "Considero que a beleza vem de dentro"

A influencer é o novo rosto da Vichy em Portugal, depois de ter sido embaixadora digita da marca durante algum tempo. Em conversa com a ACTIVA falou sobre o novo papel e a a relação que tem com o mundo da beleza.

Imagem de Sucesso

Como usar o cinto para modernizar looks e valorizar a silhueta

Quer seja fino, grosso, de metal ou de couro, o cinto pode ser um grande aliado para no que toca ao styling.

Mulheres Inspiradoras

Joana Pessoa: um novo fado

É fadista desde os 15 anos, mas isso está longe de resumir a sua vida. Estivemos à conversa sobre escolhas, caminhos, filhos, divórcio, destino, amor, velhice, para voltarmos ao fado e fecharmos o círculo. Levei-lhe quase quatro horas de vida. É o que dá conversar com uma das mulheres mais interessantes que já entrevistei.

Comportamento

Existem quatro tipos de vinculação num relacionamento - saiba qual é o seu

Este tipo de apego é construído na infância e pode acabar por ter repercussões na vida adulta.