@le_petittrou

A psicóloga Pauline Boss foi a primeira a utilizar o termo “perda ambígua”, para definir os tipos de sentimentos que ocorrem quando perdemos alguém de quem gostamos sem qualquer tipo de resolução ou fecho possível. Por outro lado, também pode estar associado ao facto de estarmos longe de alguém de quem gostamos, levando-nos a uma melancolia que nunca desaparece.

Num artigo para a Psychology Today, a psicoterapeuta F. Diane Barth explica que este termo pode também ser chamado de “luto não resolvido” ou “luto congelado”, isto é, aquele tipo de luto que fica como que congelado dentro de nós, tornando impossível que avancemos para um “local” mais feliz. E como é que se ultrapassa este sentimento de tristeza constante?

Ora, embora as perdas possam nunca ficar realmente “para trás”, há forma de as aceitar e integrar na nossa vida. E quando falamos de perdas, falamos não só de pessoas como de situações – por exemplo, eventos importantes aos quais faltámos e que não se poderão repetir. Segundo Barth, a única forma de seguir em frente é reconhecer e honrar essas perdas – sobretudo, ao falarmos delas.

Colocar os sentimentos em palavras, reconhecer que há uma perda genuína mesmo que não seja algo físico, é um primeiro passo para descongelar o luto. Como disse, não fará necessariamente a tristeza ir embora, mas pode ajudar a integrá-la num sentido mais complexo e realista de quem somos no mundo – e de como o mundo é realmente. E é essa integração que nos ajudará a dar os próximos passos na vida que nos espera“, remata.

Palavras-chave

Assine a ACTIVA

Deixe-se inspirar, assine a ACTIVA, na sua versão em papel ou digital, a partir de €2,00 a edição. Saiba tudo aqui ASSINAR

Mais no portal

Moda

Mafalda Carvalho mostra os desfiles (e as emoções) do último dia de Portugal Fashion

Veja tudo o que aconteceu na Alfândega do Porto.

Lifestyle

A Pizzaria Luzzo é uma das pérolas da Graça

Da comida ao ambiente, tudo é pensado para proporcionar refeições (e momentos) super agradáveis.

Lifestyle

Esta câmara trendy foi concebida para tirar selfies

Ela permite tirar, imprimir e partilhar fotografias em movimento. Um sonho para a Geração Z.

Beleza

5 cortes de cabelo clássicos que nunca saem de moda

Em equipa que ganha não se mexe.

Moda

Bailarinas: como usar estes sapatos clássicos de formas contemporâneas

Inspire-se nestas estrelas das redes sociais para adicionar estes sapatos versáteis e elegantes aos seus próximos visuais de outono.

Saúde

Cuidados a ter com a saúde íntima feminina quando as temperaturas descem

Eis as dicas de um ginecologista e obstetra dos hábitos a adotar nesta altura do ano.

Comportamento

Advogada elege as 5 razões mais comuns para o divórcio

Curiosamente, a traição não é uma delas.

Moda

Be The Change: tecidos reciclados e produção responsável com o selo de qualidade Tezenis

Uma coleção de ‘underwear’ bonita, sustentável e mais amiga do ambiente.

Diz Quem Sabe

Pele sensível e pele sensibilizada: entenda as diferenças

E saiba quais os cuidados a ter.

Saúde

Como os cuidados para bebés podem aliar-se à sustentabilidade

Opções para os pais que procuram produtos que causem o menor impacto possível no meio ambiente.

Diz Quem Sabe

A dor crónica não é um problema individual – é um problema de saúde pública

Um artigo de opinião assinado por um grupo de especialistas da Escola de Medicina da Universidade do Minho, a propósito do Dia Nacional da Luta Contra a Dor (15 de outubro).