@ellegramm

Dá por si a ser assombrada pelos mesmos pensamentos negativos? Então, veio ao lugar certo.

“Pensamentos como estes podem ser como areia movediça”, afirma a psicóloga Marina Harrys no portal Psychology Today. “Quanto mais tentamos combatê-los, ignorá-los ou suprimi-los, mais eles nos engolem”, acrescenta.

A especialista passa a explicar que existe uma ferramenta na área da Psicologia chamada desfusão cognitiva que pode ajudar no sentido de ganhar uma distância muito necessária de pensamentos tóxicos. Originalmente desenvolvida pelo Dr. Aaron Beck, um psiquiatra americano conhecido como o ‘pai da terapia cognitiva’, e refinada pelo Dr. Steven Hayes, um psicólogo clínico americano, a técnica consiste em ver os pensamentos como aquilo que são: apenas pensamentos. 

“A nossa ansiedade leva-nos a pensar que esses pensamentos são reais. Na verdade, são apenas jorros de eletricidade disparados pelos nossos neurónios. É tão fácil ficarmos presos a eles, presumindo que representam a realidade. Mas isso não é nada benéfico”, diz Harrys.

De acordo com a psicóloga, a Ciência corrobora esta teoria. A defusão cognitiva pode reduzir o stress em geral, diminuir a autocrítica e aumentar a autocompaixão. Para além disso, permite-nos viver a vida, apesar dos pesares. 

Como começar a pô-la em prática? Aqui ficam três sugestões:

  1. Apenas repare no pensamento
    Em vez de dizer “Sou um fracasso”, diga “Estou a pensar que sou um fracasso”
  2. Pergunte-se: “Há quanto tempo tenho este pensamento?”
    Tem mesmo de continuar a acreditar nele só porque já o fez no passado?
  3. Trate os seus pensamentos como anúncios pop-up.
    Reconheça que teve o pensamento e depois foque-se naquilo que estava a fazer antes de ele surgir.

Palavras-chave

Assine a ACTIVA e receba uma fabulosa OFERTA da LIERAC. ASSINE AQUI

Mais no portal